Renova Invest Facebook

ETF de criptomoedas: conheça o fundo de índice HASH11

HASH11
HASH11

O sucesso das moedas digitais despertou o interesse de muitos investidores, que passaram a considerar fazer aportes nesses ativos. Com esse movimento, é normal que surjam novas opções de investimento — como os ETFs de criptomoedas. No Brasil, o primeiro a ser negociado foi o HASH11.

Ele foi autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e está disponível para qualquer investidor. Porém, antes de investir, é preciso conhecer esse veículo de investimento e suas características para tomar uma decisão acertada.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e conheça o fundo de índice de criptomoedas criado pela gestora Hashdex!

O que são e como funcionam os ETFs?

Primeiro, vale entender o que são ETFs (exchange traded funds). Os fundos de índice, como também são conhecidos, visam acompanhar o desempenho de determinado índice do mercado financeiro.

O patrimônio do ETF é administrado por um gestor profissional, que realiza uma gestão passiva. Ele faz as negociações necessárias para o fundo espelhar as variações do índice escolhido. Logo, não é preciso tomar decisões diferenciadas para superar a rentabilidade do mercado.

Por exemplo, há ETFs de ações que espelham o índice Ibovespa. Ou seja, eles visam acompanhar de perto o desempenho das principais empresas negociadas na bolsa de valores brasileira (B3). Além dele, existem outros indicadores disponíveis e, consequentemente, diversos ETFs no mercado.

Vale destacar que as cotas dos ETFs são negociadas na bolsa de valores. Ao comprá-las, o investidor poderá participar dos resultados do fundo de índice.

O que são ETFs de criptomoedas?

Depois de entender o que são ETFs, vale ressaltar que esses fundos não precisam se limitar a índices do mercado brasileiro ou de ações. Dessa forma, um ETF também pode ter exposição a um índice do mercado de criptoativos.

Esse é o caso do Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice — negociado sob o ticker HASH11. Ele foi o primeiro fundo de criptomoedas negociado na bolsa de valores brasileira. Porém, para entender melhor esse veículo de investimento, é preciso entender o que são ativos digitais.

Renda fixa
Seta Tripla

Descubra agora a
NOVA RENDA FIXA
que pode turbinar seus ganhos. 


Trata-se de recursos que existem apenas no ambiente virtual, que incluem criptomoedas e outros ativos. Por exemplo, a primeira criptomoeda foi o bitcoin, que é bastante conhecida entre os investidores.

No geral, esses ativos vêm apresentando alta valorização desde o surgimento. Com isso, têm chamado a atenção de investidores em todo o mundo. No entanto, as criptomoedas não são regulamentadas em diversos países, inclusive no Brasil.

Isso não torna a compra ilegal, mas a falta de segurança institucional torna o investimento direto mais arriscado.

O que é o HASH11?

Agora que você sabe mais sobre o assunto, pode conhecer melhor o HASH11. O fundo de índice foi criado pela Hashdex — gestora brasileira focada em criptoativos — e anunciado em setembro de 2020. Porém, as cotas foram disponibilizadas para os investidores a partir de abril de 2021.

Com a aprovação da CVM, ele foi o primeiro ETF de criptomoedas listado na B3 para qualquer investidor. Ao adquirir cotas do Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice, os investidores têm acesso aos principais ativos digitais do mercado mundial.

Para tanto, o fundo usa como referência o Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Hashdex em parceria com a Nasdaq. Outra questão importante é que, antes do lançamento do ETF, já existiam alguns fundos de investimento com exposição às moedas digitais no Brasil.

No entanto, eles eram acessíveis apenas através das alternativas oferecidas pela própria gestora e disponibilizadas nas plataformas das corretoras nacionais parceiras. Logo, não era possível adquiri-las por meio da B3.

Nessas situações, a exposição aos ativos digitais também é variada, sendo que os fundos com maior exposição (que pode chegar a 100%) só são acessíveis aos investidores profissionais.

Sobre o NCI

O índice NCI visa representar o mercado de ativos digitais e é considerado o principal benchmark de criptomoedas do mercado financeiro. Ademais, a composição do indicador segue critérios rigorosos para a escolha dos criptoativos.

Porém, não há um número fixo de moedas digitais utilizadas para a composição da carteira teórica do índice. Em dezembro de 2021, por exemplo, ele contava com ativos como bitcoin, ethereum, litecoin, chainlink, bitcoin cash, uniswap, filecoin e stellar.


A formação do NCI segue as movimentações do mercado, de forma que a porcentagem de cada ativo na composição também varia. Vale destacar que a carteira teórica do índice passa por reajustes frequentes.

Quais são as principais características?

Se você se interessou pelo HASH11, conheça as principais características do fundo para entender se ele está alinhado às suas necessidades:

Objetivo

O principal objetivo do fundo HASH11 é obter retornos que sejam equivalentes, de forma geral, à performance do NCI em reais.

Estrutura

O fundo HASH11 investirá em cotas do Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF. Tal fundo de índice é listado na bolsa de valores de Bermudas — país com regulamentação avançada e amigável em relação aos criptoativos.

Inclusive, a estratégia de adquirir cotas de fundos de índice estrangeiros é utilizada por diversos ETFs disponíveis na B3.

Política de investimento

Para alcançar seu objetivo, o HASH11 investe a maior parte dos seus recursos em cotas do fundo de índice alvo. Além disso, ele pode utilizar posições compradas no mercado futuro, de forma a refletir a performance do NCI.

Público-alvo

O ETF é destinado a investidores em geral. No entanto, é importante que eles aceitem os riscos inerentes ao investimento. Ele também é focado naquelas pessoas que buscam rentabilidade condizente com o objetivo do fundo.

Taxas

Em janeiro de 2022, a taxa de administração do fundo, utilizada para remunerar o trabalho do administrador, era de 0,3% ao ano. Porém, considerando o fundo de índice alvo (Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF), a taxa máxima era de 1,3% ao ano.

Vale destacar, ainda, que existem outros custos e despesas assumidas pelo fundo. Alguns exemplos são os honorários dos auditores independentes, os impostos e as contribuições federais, estaduais e municipais.

Tributação

Há cobrança de Imposto de Renda sobre os ganhos de capital na venda de ETFs. No caso dos fundos de índice de criptomoedas, a alíquota é de 15% sobre o lucro com a venda das cotas em operações comuns. Contudo, o percentual é de 20% no caso de day trade.

Quais são os riscos envolvidos?

Além de conhecer as características do HASH11, é importante considerar seus riscos. O fundo pode ser um modo mais simples e acessível de se expor ao mercado de criptomoedas e diversificar o portfólio, mas é preciso ter atenção.

Assim como outros ativos de renda variável, o investimento em ETFs pode resultar em perdas financeiras causadas por diversos fatores. Entre eles está o risco de mercado, que está ligado à variação no preço das cotas.

Também há fatores macroeconômicos, como condições políticas, econômicas ou sociais, que podem afetar negativamente o preço dos criptoativos. Outro risco é o de liquidez, apesar de ele ser menor por se tratar de cotas de fundos, que costumam ter mais interessados.

Por fim, cabe ressaltar que o desempenho do fundo de criptomoedas pode não refletir exatamente a performance do índice, já que ele pode assumir posições no mercado futuro. Portanto, existem diversos fatores que devem ser analisados antes do investimento.

E as vantagens de investir em ETFs?

Em relação às vantagens que esse veículo de investimento pode oferecer, uma delas é a praticidade para quem deseja se expor ao mercado de criptomoedas. Em vez de comprar cada ativo digital individualmente, é possível adquirir cotas do ETF HASH11.

Além de ser mais acessível financeiramente, essa operação é mais familiar para quem já investe na bolsa de valores, por exemplo. Outro benefício dos ETFs é contar com gestão profissional, de forma que você não precisa acompanhar de perto o mercado de ativos digitais.

Vale ressaltar, ainda, o ponto positivo envolvendo a regulamentação. Por ser regulado e autorizado pela CVM, ao contrário do que ocorre com a compra direta de criptomoedas em exchanges, há segurança institucional para o investidor.

Também há vantagens relacionadas às próprias moedas digitais. O investimento em ETFs permite aproveitar possíveis valorizações dos ativos, além de ser uma forma de diversificar a carteira. Afinal, eles apresentam descorrelação com as alternativas da renda fixa e da renda variável.

Quando vale a pena investir em HASH11?

Como foi possível aprender, o fundo HASH11 pode apresentar algumas oportunidades de investimento interessantes. Ele conta com exposição aos criptoativos pertencentes a um mercado que, historicamente, tem apresentado bom desempenho.

Além disso, ao contrário do investimento direto em ativos digitais, os fundos de criptomoedas são regulados pela CVM — como você já sabe. Assim, os fundos devem cumprir diversas determinações legais junto ao órgão. Esse é um fator importante para a proteção institucional dos investidores.

Entretanto, o investimento ainda envolve riscos que devem ser considerados. Portanto, ele pode ser interessante para quem deseja diversificar o portfólio e busca por ganhos maiores. É preciso ter um perfil de investidor adequado, em regra, aceitando uma exposição maior aos riscos.

Quais outros ETFs de criptomoedas estão disponíveis na bolsa?

Após o lançamento do HASH11, outros ETFs de criptomoedas surgiram no mercado brasileiro. Com isso, os investidores têm mais alternativas para se expor às moedas digitais. Conheça outras possibilidades disponíveis na bolsa de valores:

QBTC11

Se o seu objetivo é investir apenas em bitcoin, o fundo QBTC11 oferece essa possibilidade. Esse ETF foi o primeiro fundo de índice com foco em bitcoins da América Latina, com exposição de 100% nessa moeda digital.

Portanto, você não estará exposto a outras criptomoedas, mas poderá aproveitar o desempenho do bitcoin. Na prática, o QBTC11 espelha o índice de contratos futuros de bitcoin. Além disso, seu grande diferencial é possuir uma apólice de seguro.

QETH11

Por outro lado, se você não tem interesse em se expor exclusivamente ao bitcoin, mas quer acompanhar o desempenho da criptomoeda ethereum, o QETH11 pode ser mais interessante. O objetivo desse ETF é espelhar o preço desse ativo digital.

Para isso, o ETF QETH11 segue o índice CME CF Ether Reference Rate. O indicador foi desenvolvido pela maior bolsa de derivativos do mundo, a Chicago Mercantile Exchange Group (CME). Logo, esse indicador é considerado um dos mais amplos e seguros do mundo.

ETHE11

O ETHE11 é um ETF que investe a maior parte de seu patrimônio no fundo de índice Hashdex Nasdaq Ethereum ETF. Esse fundo segue o índice Nasdaq Ethereum Reference Price (NQETH), que visa fornecer o preço de referência do ethereum em tempo real.

Assim, pode ser uma alternativa para quem se interessa por essa criptomoeda. Um diferencial desse ETF está no fato de que o gestor também pode operar com posições compradas no mercado futuro.

BITH11

Se você busca um fundo de índice de bitcoins com foco em investimentos sustentáveis, precisa conhecer o BITH11. O fundo replica o desempenho do Nasdaq Bitcoin Reference Price (NQBTC), que acompanha a cotação do bitcoin em dólar.

Para manter o propósito de sustentabilidade, o ETF adquire créditos de carbono, além de investir em projetos neutralizados. Com isso, ele visa reduzir a emissão desse poluente e minimizar o consumo de energia — um dos principais gargalos na mineração de criptomoedas.

A maior parte do capital do BITH11 é alocada em cotas do fundo de índice Hashdex Nasdaq Bitcoin ETF. O restante dos recursos pode ser direcionado para outros ativos financeiros.

Como investir em HASH11?

Como você acompanhou, o HASH11, assim como os demais ETFs, tem suas cotas negociadas na bolsa de valores brasileira (B3). Por esse motivo, é necessário ter conta em um banco de investimentos para acessar o ambiente de negociação.

Após abrir sua conta, você terá acesso ao home broker da instituição e poderá comprar e vender cotas pela plataforma. Porém, antes de investir, transfira os recursos necessários. A depender da sua tolerância ao risco, pode ser mais prudente investir uma porcentagem menor do patrimônio.

No momento de adquirir as cotas, busque o código HASH11 na bolsa de valores e envie uma ordem de compra. Quando a operação for liquidada, os fundos de índice estarão disponíveis na sua carteira de investimentos.

Agora que você conhece o ETF HASH11, pode analisar se a opção é interessante para compor a sua carteira. Lembre-se de que as criptomoedas são ativos mais recentes no mercado, então o fundo de índice pode auxiliar quem deseja usufruir de eventuais desempenhos positivos dos criptoativos.

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e conheça 10 das principais moedas digitais do mundo!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.