Diversificar seus investimentos pode ajudar o investidor a melhorar a rentabilidade sem deixar a segurança de lado. Com a estratégia, é possível expor a carteira a setores variados da economia e até mesmo a moedas estrangeiras. Nesse sentido, vale a pena conhecer o ETF VOO.

Esse ETF é uma maneira de investir nas empresas mais negociadas nas bolsas americanas. Neste artigo, você entenderá como o investimento funciona e quais são suas vantagens e desvantagens. Também verá como investir no VOO.

Quer entender tudo isso? Continue lendo o artigo!

O que é um ETF?

Antes de conhecer o ETF VOO, é bom relembrar o que é um ETF. A sigla se refere a Exchange Traded Fund, mais conhecido como Fundo de Índice. Ele é um Fundo de Investimento, mas sua principal característica tem a ver com a alocação dos recursos e sua gestão.

Um Fundo de Índice investe em ativos que compõem um índice. Assim, a gestão é passiva e segue as regras determinadas pelo indicador escolhido como benchmark. O índice pode ser tanto de renda fixa quanto de renda variável, mas ETFs são comumente relacionados a índices de Ações.

O que é o ETF VOO e como ele funciona?

O ETF VOO é um fundo cujo objetivo é acompanhar o desempenho do índice S&P 500. Assim, sua carteira está distribuída entre as Ações das empresas que fazem parte desse índice, o principal indicador das bolsas dos Estados Unidos.

Inclusive, é importante ter em mente que o ETF não está disponível no mercado financeiro brasileiro. Ele só é negociado na NYSE (New York Stock Exchange), uma das bolsas de valores americanas.

O tema nos leva a uma questão importante: quais empresas estão incluídas na carteira? Falaremos sobre isso no próximo tópico.

Qual é a composição do ETF VOO?

Para entender a composição do ETF VOO, é preciso compreender a composição do S&P 500. Esse índice mede o desempenho médio das Ações das 500 empresas mais negociadas nas bolsas americanas.

As companhias incluem grandes nomes que você conhece, como Apple, Tesla, Alphabet (proprietária do Google), Amazon, Microsoft, Disney, Facebook, entre outras.

Desse modo, quem compra cotas do ETF VOO tem seu investimento exposto a essas e outras empresas do S&P 500. A gestão do ETF aloca os recursos dos cotistas com a intenção de replicar o famoso índice. Quem administra o ETF VOO é a empresa Vanguard Equity Index Group.

Como investir no ETF VOO?

Quando uma pessoa quer investir em um ETF nacional, o processo é muito simples. Basta ter conta em um banco de investimentos e saldo disponível para investir. Então ela acessa o home broker e procura o ETF a partir de seu código — mais conhecido como ticker, executando uma ordem de compra.

No entanto, no caso de um ETF internacional, as coisas funcionam de um modo diferente. Para começar, a negociação acontece em uma bolsa de valores estrangeira. Por isso, para ter acesso ao ambiente de negociação, é preciso abrir conta em uma instituição sediada naquele país.

Depois, é preciso transferir dinheiro da sua conta bancária para a sua conta na instituição, realizando o câmbio. Desse modo, você poderá acessar os ambientes de negociação das bolsas americanas. Então bastará procurar o ticker VOO para encontrar o ETF sobre o qual estamos falando.

Mas isso nos leva a uma pergunta importante: será que vale a pena investir no ETF VOO? Para chegar a uma resposta, você deve considerar as vantagens e desvantagens de investir nesse fundo.

Quais são as vantagens e desvantagens de investir no ETF VOO?

Como vimos, por meio do ETF VOO é possível investir em empresas que estão entre as mais poderosas do mundo. É claro que você poderia comprar Ações dessas companhias separadamente. No entanto, o ETF simplifica o processo de diversificação.

Afinal, você compra uma cota e adquire exposição a 500 empresas em conjunto. Assim, expõe sua carteira a setores diferenciados, que podem não ter tanta representatividade na bolsa brasileira. Por exemplo, na área de tecnologia.

Além disso, investir no ETF VOO significa dolarizar parte da sua carteira. Esse tipo de diversificação pode proteger seu portfólio no caso de desvalorização do real ou de uma inflação alta. A descorrelação também funciona como um hedge para o portfólio.

Por outro lado, você não pode deixar de considerar as desvantagens. Uma delas é a burocracia. Depois de abrir conta em uma instituição internacional, você precisa transferir dinheiro para lá. Remessas internacionais como essa estão sujeitas a impostos, taxas bancárias e taxa de câmbio.

Além disso, operando no mercado financeiro estrangeiro, você não tem o suporte dos órgãos reguladores nacionais. Desse modo, pode ser difícil obter ajuda em caso de problemas.

Por fim, não se esqueça de que é preciso observar as exigências fiscais e tributárias de dois países: o Brasil e o outro onde você está operando. Isso requer estudar bastante para conhecer seus direitos e deveres.

Vale a pena investir no ETF VOO?

Depois de conhecer as vantagens e desvantagens do ETF VOO, você já tem condições de tomar uma decisão. Fica claro que escolher investir ou não nesse fundo vai além de observar seu desempenho, certo? É preciso considerar diversos fatores.

Nesse sentido, deve analisar se o ETF VOO faz sentido para o seu perfil e os seus objetivos. Além de, claro, conferir se investir diretamente nos EUA é algo viável para o seu caso. Se você quiser fazer o investimento com menos burocracia, é possível.

Isso porque também existem ETFs na bolsa brasileira que replicam índices internacionais — entre eles, o S&P 500. Um exemplo é ETF negociado pelo ticker IVVB11 na B3. Você pode adquirir as cotas dele na bolsa brasileira, em reais, e ter exposição ao mercado norte americano.

Como vimos, o ETF VOO permite que você exponha a sua carteira a setores variados e internacionais. Esse tipo de diversificação é benéfica, mas é fundamental analisar a oportunidade. Desse modo, é possível tomar boas decisões de investimentos, evitando arrependimentos no futuro!

Sabia que você pode conhecer os investimentos com a ajuda de profissionais do mercado financeiro? Entre em contato com a Renova Invest e conheça o nosso serviço de assessoria!