Os fundos de investimento reúnem recursos de vários investidores e fazem aportes no mercado financeiro e de capitais. A negociação se dá pela venda ou compra de cotas e os resultados obtidos pelos cotistas têm relação com as decisões tomadas por um gestor.

Para isso, cobra-se uma taxa de administração e performance. Tais custos podem impactar na rentabilidade do investidor. Por isso, antes de investir, é fundamental analisá-los – além de avaliar outras questões importantes.

Quer saber o que é preciso identificar na hora de investir em fundos de investimento? Continue a leitura e descubra como fazer a melhor escolha!

Afinal, o que é taxa de administração?

Essa taxa é a mais comum e conhecida pelos investidores de fundos. Ela representa um valor pago pelos cotistas para remunerar o gestor e a estrutura do fundo. Logo, estão inclusos o pagamento do gestor, administrador, custodiante, auditor e demais serviços necessários para o seu funcionamento.

A taxa de administração incide sobre o valor total investido, ou seja, pelo capital e rendimento. Ela é expressa em porcentagem ao ano e varia de acordo com o fundo e com o tipo de gestão. Por exemplo, fundos de gestão ativa costuma cobrar uma taxa maior do que fundos passivos.

O que é taxa de performance?

A taxa de performance funciona como um prêmio para o gestor. Cobram-na apenas quando a rentabilidade supera um índice de referência. Ele pode ser o CDI, o Ibovespa ou outro indicador que definiram no prospecto do fundo.

Suponha que o CDI rendeu 2% no ano. Se um fundo que tem esse indicador como benchmark consegue rendimentos de 4% no mesmo período, cobrarão a taxa de performance (que também é expressa em porcentagem) apenas sobre os 2% excedentes.

Vale destacar que não a cobram em todos os fundos. Em geral, é mais comum naqueles com gestão ativa. Neles, o objetivo é exatamente superar um benchmark e os gestores têm papel mais dinâmico na compra e venda de ativos (como em alguns fundos multimercado ou de ações).

Quais são os objetivos das taxas?

Como você viu, o objetivo da taxa de administração é remunerar a operacionalização envolvida nos fundos de investimento. Ela funciona como se fosse um salário recebido por todos que administram a modalidade de investimento — além disso, cobre eventuais custos da organização.

Em um fundo de ações, por exemplo, o dinheiro pode ser utilizado para contratar analistas que busquem as oportunidades de ganhos. Assim, em vez do investidor tomar as decisões de investimento, ele conta com um gestor e toda uma equipe, que ficam responsáveis pela função.

Já a taxa de performance funciona como um incentivo para o gestor do fundo realizar um bom trabalho e fazer a carteira superar o benchmark de rendimento. Por isso, ela pode ser vista como algo positivo, já que só será paga se os investidores obtiverem retornos acima da média.

Relação entre taxas e rendimentos

Também é necessário lembrar que as taxas podem impactar no rendimento do investimento — especialmente se forem muito altas. Então, é preciso considerá-las antes de investir. O principal cuidado a tomar é avaliar se as taxas estão alinhadas à estratégia do fundo.

Ou seja, um fundo de gestão passiva, como você já sabe, tende a ter uma pressão menor por resultados acima da média. Com isso, é esperado que a taxa de administração dele seja menor do que a de fundos de gestão ativa.

Assim, você pode analisar o custo-benefício. Se quer investir em um fundo com estratégias mais complexas e possibilidades de resultados mais atrativos, provavelmente haverá taxas um pouco maiores.

O risco é quando não existe uma relação direta entre o valor da taxa de administração e o desempenho do fundo. Isto é, quando a cobrança não compensa os resultados entregues. Por isso, é preciso fazer uma análise detalhada para saber se o investimento é vantajoso.

Quais outros fatores analisar em um fundo?

A taxa de administração e a taxa de performance são cobranças comumente encontradas nos fundos de investimento e Previdência Privada. Os ETFs (fundos de índice) também costumam cobrar taxa de administração.

Analisar esses custos, portanto, pode ser o primeiro passo para escolher uma alternativa interessante de investimento. Mas também é importante não desconsiderar outros fatores.

Conheça alguns aspectos que não devem passar despercebidos e que vão além da questão de custos na hora de investir em fundos!

Histórico

A documentação dos fundos costuma indicar qual foi a rentabilidade nos últimos 12 meses (ou desde a sua formação). Vale a pena olhar os números para entender se o rendimento é consistente — especialmente, analisando momentos difíceis da economia.

No entanto, é importante lembrar que rentabilidade que passaram não é garantia de sucesso futuro. A avaliação serve como indicador para analisar se a estratégia do fundo está funcionando e parece adequada para seus objetivos.

Estratégia

Fundos de uma mesma categoria podem manejar seus investimentos de diferentes formas. Ou seja, se você é conservador, não basta escolher aleatoriamente um fundo de renda fixa.

É muito importante entender como cada fundo trabalha com o capital dos cotistas. Isso também ajuda a alinhar suas expectativas com o investimento. Então, entenda a estratégia antes de aportar.

Liquidez

Cada fundo de investimento tem uma determinada liquidez, ou seja, um prazo de resgate. Pode ser no mesmo dia, em até 24 horas ou em 30 dias úteis, por exemplo.

Para determinar se a liquidez está adequada, é importante conhecer os seus objetivos e definir prazos para eles. Essa estratégia permite organizar seus ativos de forma que seu patrimônio não fique inacessível caso você precise resgatá-lo.

Adequação ao seu perfil e objetivos

Como já adiantamos, o fundo de investimento deve estar alinhado aos seus objetivos — sejam eles de curto, médio ou longo prazo. Além disso, conhecer o seu perfil de investidor é fundamental para fazer uma escolha mais acertada.

Existem diversos tipos de fundos mais ou menos adequados para perfis conservadores, moderados ou arrojados. Então, também é importante considerar sua abertura ao risco antes de escolher os melhores para o seu caso.

Agora que você conhece a taxa de administração e a taxa de performance, pode entender por que essas cobranças existem e como elas afetam o cotista. Para investir, é fundamental estudar os fundos de investimento e optar por aqueles que tenham um melhor alinhamento com as suas expectativas!

Quer aumentar ainda mais os seus conhecimentos sobre o assunto? Saiba o que é e como funciona o fundo de investimento em Dólar!