O mercado de criptomoedas tem atraído a atenção de investidores devido ao seu potencial de rentabilidade. Assim, surgem mais alternativas no mercado para quem deseja se expor à alternativa. Nesse cenário, a Hasdex lançou um novo fundo de índice: o ETHE11.

Ele permite que o investidor se exponha à moeda digital ethereum na bolsa de valores brasileira (B3), a B3, de maneira regulamentada. Porém, antes de investir, é importante entender como funciona essa alternativa, suas vantagens e riscos.

Quer conhecer o ETHE11? Neste post, você entenderá mais detalhes sobre o novo ETF de criptomoedas da B3.

Acompanhe!

O que é ETF?

Antes de conhecer o ETHE11, é interessante entender o que é exatamente um ETF. O exchange traded fund, termo que dá origem à sigla, é um fundo de investimento negociado na bolsa de valores.

Essa é uma modalidade coletiva que conta com a figura de um gestor profissional que administra a carteira conforme a estratégia do fundo. Assim, ele é quem realiza os investimentos, de acordo com as normas estabelecidas no fundo.

Na prática, ele tem como objetivo espelhar um índice do mercado, por isso, também é chamado de fundo de índice. Para tanto, nos ETFs, o gestor se baseia no indicador de referências para montar o portfólio. Nesse tipo de fundo, a gestão é passiva, pois não visa superar o benchmark.

Para facilitar a compreensão, vamos a um exemplo. Um dos índices mais conhecidos na B3 é o Ibovespa. Assim, a sua carteira teórica é formada pelas empresas com maior volume de negociação na bolsa.

Dessa maneira, um ETF com esse índice como benchmark deve comprar essas ações reproduzindo a performance do Ibovespa. Contudo, além das ações, os ETFs podem replicar índices relacionados a outros ativos. É o caso das criptomoedas.

O que é o ETHE11?

Agora que você já se familiarizou com o termo ETF, chegou o momento de conhecer o ETHE11. Trata-se de um veículo de investimento da gestora Hashdex que investe parte do seu patrimônio no Hashdex Nasdaq Ethereum ETF — um fundo de índice estrangeiro.

Por sua vez, o ETF do exterior segue o índice Nasdaq Ethereum Reference Price (NQETH), desenvolvido pela Nasdaq. Esse índice fornece o preço de referência do ethereum em tempo real. Logo, ao comprar cotas do ETHE11, o investidor se expõe às movimentações dessa criptomoeda.

Na prática, esse fundo de índice permite que investidores tenham acesso aos criptoativos de maneira segura, simples e regulamentada.


Aqui, vale destacar que o Hashdex Nasdaq Ethereum ETF investe em ativos financeiros emitidos e negociados no exterior, principalmente o ethereum. Porém, também atua em posições compradas no mercado futuro.

Quais as vantagens de investir em ETFs?

Depois de aprender o que é o ETHE11, vale a pena conferir quais são as vantagens de investir nessa modalidade de investimento. A principal característica que atrai os investidores é a possibilidade de diversificação de maneira mais simples e acessível.

Isso porque há exposição a uma carteira teórica, que pode contar com ativos distintos para acompanhar o benchmark. Especificamente quando se trata de criptomoedas, ele traz uma alternativa descorrelacionada com o mercado, o que colabora com a diversificação.

Ainda, existe a possibilidade de aproveitar o desempenho do índice de referência com maior praticidade, pois o gestor profissional fará as movimentações necessárias para isso. Outro ponto importante é que, nos ETFs, os custos podem ser menores.

Isso acontece porque as taxas de administração tendem a ser mais baixas em fundos de investimento de gestão passiva. Ademais, a liquidez é outro fator importante.

Como os ETFs podem ser comprados e vendidos na bolsa de valores, o investidor tende a ter mais facilidade para converter as cotas em dinheiro, se necessário.

Vantagem em fundos de criptomoedas

Quando se fala em fundos de criptomoedas, os ETFs podem trazer vantagens específicas quando comparado ao investimento direto em moedas digitais. O principal motivo é que os fundos oferecem a segurança institucional, pois são produtos autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Por serem regulamentados e acompanhados pelo mercado, os fundos representam menor risco de fraude ou golpe. Além disso, o investidor contará com a segurança institucional ao realizar os seus aportes.

Quais são os riscos envolvidos?

Além das vantagens dos ETFs, é preciso entender quais são as desvantagens e os riscos. Como se trata de um investimento de renda variável, os fundos de índice se expõem à volatilidade do mercado. Então não há garantias de retorno, podendo ocorrer prejuízos.

Já a gestão passiva pode significar perda de autonomia para alguns investidores. Portanto, pode não ser interessante para um perfil de investidor que deseja maior liberdade para escolher os ativos e compor a sua carteira.

Além disso, como o desempenho não prevê superar o índice de referência, ele pode não ser atrativo para quem busca maior rentabilidade.

Riscos em fundos de criptomoedas

Os riscos específicos do ETHE11 são inerentes ao mercado de criptoativos. Afinal, as moedas digitais apresentam alta volatilidade. Dessa maneira, mesmo com a regulamentação, esse tende a ser um investimento mais arriscado.

Por fim, embora tenda a ter maior liquidez devido à possibilidade de negociar na bolsa, isso dependerá do interesse de outros investidores nas cotas do ETF. Assim, o risco de liquidez ainda estará presente e deve ser considerado.

Como investir no ETHE11?

Após conhecer o novo ETF de criptomoedas na B3, é interessante saber como investir seus recursos nesse fundo. Saiba que a compra e a venda são feitas pelo home broker — sistema que dá acesso ao ambiente de negociação da bolsa, por meio do ticker ETHE11.

Por isso, o primeiro passo é ter conta em um banco de investimentos, a fim de acessar o home broker. Depois, pesquise o ticker, insira o número de cotas desejadas, confira o preço, verifique os dados da transação e emita a ordem de compra. Após o prazo de liquidação, as cotas passam a compor o seu portfólio.

Como você conferiu, o ETHE11 é um fundo de índice com exposição ao ethereum. Porém, antes de investir, é importante avaliar o seu perfil de investidor e objetivos para entender se a alternativa é compatível ou não com os seus interesses.

Quer saber mais sobre essa e outras opções de investimentos? Entre em contato conosco e converse com um de nossos assessores!