O papel de alguns criptoativos envolve a preocupação com questões ligadas às transações financeiras. Para saber o que é Ethereum, é importante considerar qual é a estrutura que a plataforma oferece para alcançar os objetivos.

Além da plataforma em si, há uma criptomoeda própria que viabiliza as operações e recursos. Portanto, é fundamental identificar todos os elementos para ter uma visão completa e definir qual caminho seguir quanto aos investimentos.

Na sequência, veja tudo sobre a Ethereum e entenda o que a plataforma tem a oferecer para o seu cotidiano!

O que é Ethereum?

A Ethereum é um tipo de blockchain altamente programável, que pode dar origem a apps diversos e que permite realizar transações descentralizadas. Com o recurso, criado em 2015, é possível executar operações financeiras com uma nova proposta.

Afinal, um dos motivos da criação da Ethereum foi dar mais controle ao usuário sobre os próprios dados, evitando o armazenamento em servidores terceiros.

Então, a ideia é substituir operações em bancos comuns por movimentações via Ethereum, com menos cessão de conhecimento e dados dos usuários.

Como a plataforma funciona?

A Ethereum é uma plataforma que apresenta código aberto e que permite um uso amplo, devido à descentralização. O funcionamento acontece com contratos inteligentes, aplicativos desenvolvidos e outros recursos, como uma carteira de criptomoedas ou a negociação entre diversas moedas digitais.

As funcionalidades da plataforma, bem como suas movimentações, são pagas. Em contrapartida, o usuário tem acesso ao que o blockchain pode oferecer em termos de segurança, eficiência e agilidade.

Os contratos que são carregados na plataforma, bem como os aplicativos que são criados, ficam registrados em blockchain. Isso garante transparência e confiança, já que os registros não podem ser adulterados.

O que é a criptomoeda Ether?

A Ether é a moeda a Ethereum. Ou seja, a Ether é uma criptomoeda que é utilizada nas operações da plataforma. Portanto, apesar dos nomes parecidos, são dois elementos diferentes e que têm funções distintas.

Os tokens da moeda Ether são utilizados para pagar as operações e os recursos da plataforma Ethereum. Eles também utilizam a tecnologia de blockchain.

Por causa das características da Ether, é possível criar uma carteira na Ethereum para armazenar essa moeda em segurança, por exemplo. Ainda há como utilizá-la para trocas e pagamentos por meio de transferências.

Apesar de ter sido uma criptomoeda criada para a plataforma, logo se transformou em um sucesso de capitalização e adoção. Hoje, está entre as que apresentam maior valor de negociação e, principalmente, participação de mercado.

Como comprar Ether?

Agora que você já sabe o que é Ethereum, pode ser que a Ether, como criptoativo, tenha chamado sua atenção. Em termos de investimento, a exposição à moeda digital pode ser uma alternativa, primeiramente, para quem tiver um perfil arrojado.

Após a avaliação, você pode adquirir a moeda digital em uma instituição conhecida como exchange. O valor de negociação depende da relação entre oferta e demanda e pode variar com informações e ocorrências no mercado, como a proibição em um país.

Neste aspecto, é importante ter em mente que em diversas nações – como no Brasil, as criptomoedas não são regulamentadas.

Quais são as vantagens dos criptoativos?

Tanto a Ethereum quanto a Ether apresentam benefícios importantes. Como visto, a plataforma pode ajudar a proteger as informações dos usuários, graças à descentralização.

Também é uma alternativa flexível, com a possibilidade de aplicativos descentralizados surgirem, o que aumenta a liberdade. Por falar nisso, é uma plataforma que eleva o nível de autonomia, ao mesmo tempo em que garante a segurança, por evitar manipulações da rede, por exemplo.

Quanto à criptomoeda, como visto, ela tem elevada capitalização e aceitação. Para o futuro dos criptoativos, isso é muito importante e pode ajudar a consolidar um investimento vantajoso.

Quanto ao processo de mineração, tudo acontece de maneira semelhante ao Bitcoin. A tarefa executada por mineradores costuma exigir recursos eletrônicos adequados, mas não tão intensos quanto no Bitcoin. Então, a mineração de moedas pode se tornar um pouco mais acessível.

Quais são os principais riscos?

Antes de realizar qualquer ação, como utilizar a plataforma Ethereum ou adquirir Ether, é preciso saber o que é dito na avaliação de riscos.

Primeiramente, há a questão da volatilidade às quais os criptoativos estão expostos. A oferta e a demanda podem mudar rapidamente e o valor pode subir ou pode despencar drasticamente ao longo do tempo.

Embora o blockchain da Ethereum evite problemas maiores de segurança, você corre o risco de sofrer ataques, como ao deixe suas moedas na carteira de criptomoedas.

Além disso, como você viu, moedas como o Ethereum podem não ser regulamentadas em diversos países. No Brasil, uma maneira mais segura de se expor a elas e diversificar seu portfólio é por meio de fundos de criptomoeda.

Quais são os diferenciais para outras alternativas?

Saber o que é Ethereum e como a Ether atua é fundamental para identificar seus diferenciais. Em relação ao Bitcoin e seu protocolo, por exemplo, há mais flexibilidade e um volume maior de alternativas sobre o que fazer e como operar.

Além disso, não tem limites específicos quanto à geração de tokens, embora novos estejam sendo liberado aos poucos, em especial por meio da mineração.

Quando você descobre o que é Ethereum, passa a estar diante de um criptoativo em alta e que pode trazer oportunidades para investidores mais tolerantes a riscos. Portanto, é preciso avaliar cuidadosamente para definir se incorporar moedas digitais à sua carteira é adequado.

Se a sua decisão for se expor a esse mercado, não deixe de considerar os fundos de investimento. Assim, você pode aproveitar as possibilidades sem abandonar a segurança regulatória que os fundos podem oferecer.

Gostou de conhecer melhor o Ethereum (ETH)? Então compartilhe este post nas suas redes sociais para que mais gente tenha acesso às informações!