Os fundos de investimento oferecem ao investidor a possibilidade de diversificar sua carteira de maneira simplificada. Uma das alternativas é o fundo macro, cuja estratégia de alocação de ativos financeiros se baseia na macroeconomia.

No entanto, é importante avaliar como funciona esse fundo para que você tome uma decisão adequada para o seu portfólio. O objetivo deste artigo é ajudar você a entender como funcionam os fundos macro e quais tipos existem.

Você entenderá também quais são as vantagens e os riscos de investir em fundos macro. Continue lendo para conhecer essa alternativa de investimento!

O que é fundo macro?

Fundo macro é um subtipo dos fundos multimercado. A palavra macro faz referência à macroeconomia, que está associada a fatores como inflação, cotações de moedas, taxas de juros etc.

A carteira de um fundo multimercado pode conter diversos tipos de investimento. Esse é um fator que o diferencia, por exemplo, de um fundo de ações — que concentra a maior parte da carteira em ações. Fundos imobiliários, de modo similar, focam sua alocação em ativos imobiliários.

No entanto, fundos multimercado podem selecionar uma variedade maior de ativos. Isso inclui ações, títulos de renda fixa, investimentos em câmbio, entre outros. Vale destacar que nem sempre todas essas classes de investimento estão presentes em um único fundo multimercado.

Tudo depende da estratégia. Em fundo macro, o gestor avalia de que modo o cenário macroeconômico poderá afetar os investimentos que estão na carteira. O objetivo é ter uma perspectiva com relação aos ativos que poderão performar melhor no médio e no longo prazo.

Quando se fala em cenário macroeconômico, o que está em questão não é apenas o que acontece no próprio país. Acontecimentos no exterior também podem ter grande impacto nos investimentos de um fundo.


No próximo tópico, você entenderá como funciona essa estratégia de investimento dos fundos macro.

Como funcionam os fundos macro?

Em um fundo multimercado macro, o gestor analisa o cenário econômico e considera quais seriam as melhores alocações no momento. Desse modo, esse profissional tenta tirar proveito da conjuntura atual para otimizar o desempenho do fundo.

Suponhamos que a inflação apresente a possibilidade de prejudicar o desempenho de determinada ação no médio e no longo prazo. Nesse caso, o gestor talvez decida realocar os recursos que estão investidos nesse papel.

Geralmente, o benchmark dos fundos macro é a taxa do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Nesse caso, o objetivo é superar o desempenho do índice. Mas é preciso saber que, quanto maior é a rentabilidade esperada, maior costuma ser a volatilidade.

Em alguns casos, a volatilidade pode ser menor, o que significa que a rentabilidade esperada também é reduzida. Assim, é preciso considerar esses fatores com atenção antes de investir, já que eles variam dependendo do fundo.

Além disso, lembre-se de que não há garantias de que os resultados serão positivos. O fundo macro pode ter o objetivo de superar o CDI e, por algum motivo, não conseguir isso. O desempenho alcançado no passado também não representa certeza de rentabilidade no futuro.

Quais são os tipos de fundo macro?

Você entendeu que os fundos macro recorrem a uma estratégia que leva em conta o cenário macroeconômico. No entanto, existem variações nessa estratégia, de modo que eles podem receber algumas classificações.

Confira duas delas:

  • fundos macro carregamento — a estratégia visa o médio e o longo prazo. Assim, as posições podem não sofrer alterações diante de acontecimentos de menor duração;
  • fundos macro trading — uma estratégia pensada para o curto prazo. Por conta disso, há uma maior sensibilidade com relação a cotações de ativos e outras questões mais imediatas.

Quais são as vantagens dos fundos macro?

Uma das vantagens dos fundos macro está relacionada com a diversificação de investimentos. Quando o investidor monta um portfólio diversificado, ele aumenta sua proteção em relação a potenciais desvalorizações.

Isso ocorre porque certos eventos podem afetar o desempenho de alguns investimentos e não impactar outros. Esse princípio costuma se aplicar aos fundos de investimento, sendo que os fundos multimercado podem apresentar um nível ainda maior de diversificação.

Afinal, eles alocam os recursos em investimentos de classes diferentes. Desse modo, fundos macro geralmente oferecem uma diversificação que pode beneficiar o portfólio do investidor.

Vale a pena destacar também que, em alguns casos, os fundos macro permitem atrelar parte da sua carteira a moedas estrangeiras. Isso pode ser interessante para investidores que querem alguma proteção com relação à inflação e à desvalorização do real.

Em termos de resultado, a estratégia de um fundo macro faz com que ele geralmente consiga superar o CDI. Mas é preciso lembrar da volatilidade. Desse modo, fica claro que não se pode ter em mente apenas as vantagens. É preciso estar ciente dos riscos.

Quais são os riscos dos fundos macro?

Uma das questões às quais você deve dar atenção é a volatilidade. Afinal, os fundos macro, por natureza, já contêm investimentos sujeitos a ela. É o que acontece com as ações e as moedas estrangeiras, por exemplo.

Alguns fundos podem ser mais voláteis, outros menos. Por isso, é importante analisar com atenção para escolher um investimento que seja adequado ao seu perfil de investidor.

Investidores de perfil conservador, por exemplo, podem não tolerar as variações que alguns fundos macro sofrem no curto prazo. Além da volatilidade, tenha em mente também que existe o risco de mercado.

Os gestores analisam o cenário macroeconômico, mas não é possível prever tudo. Em alguns casos, certo ativo pode dar prejuízo, prejudicando temporariamente o desempenho do fundo. Por isso, considere se esse tipo de risco é aceitável para você.

Os fundos macro recorrem a uma estratégia bem particular e, em alguns casos, podem não ser adequados para investidores conservadores. Isso ressalta a importância de avaliar o seu perfil em conjunto com o regulamento do fundo.

Agora que você sabe o que é o fundo macro, pode avaliá-lo para sua carteira. Desse modo, você terá condições de decidir se ele é um investimento adequado no seu portfólio. Caso seja, não se esqueça de analisar as opções disponíveis com atenção!

Fundos de investimento podem usar estratégias variadas, e uma delas é a quantitativa. Continue aprendendo sobre o assunto por ler nosso artigo que explica o que são fundos quantitativos!