BIXN39
BIXN39

BIXN39: Conheça o BDR do ETF iShares Global Tech

Atualmente, um dos setores que mais cresce no mundo é o da tecnologia. Por isso, algumas pessoas se interessam em investir em grandes empresas como Apple e Microsoft. Logo, conhecer o BDR BIXN39 pode facilitar o caminho para expor sua carteira de investimento a esse setor.

As maiores empresas do setor de tecnologia não possuem papéis negociados na B3 — a bolsa de valores brasileira. Então, por algum tempo, o investidor brasileiro precisava se submeter às bolsas estrangeiras para investir nelas — o que é mais custoso e burocrático.

Assim, o BIXN39 surgiu como uma alternativa. Se você quer conhecer melhor este investimento e saber como funciona um BDR, aproveite o conteúdo deste artigo!

O que é um BDR?

Para entender melhor o investimento, é preciso saber o que é um BDR. A sigla BDR refere-se à brazilian depositary receipt e se trata de um certificado atrelado a um ativo que não é negociado diretamente na bolsa brasileira.

Funciona do seguinte modo: uma instituição depositária realiza a compra dos ativos internacionais nas respectivas bolsas onde são negociados. Posteriormente eles emitem os BDRs com lastro nesses ativos (que ficam depositados sob custódia).

Logo, os BDRs podem ser negociados no mercado brasileiro. Assim, comprar um BDR permite que você se exponha ao mercado estrangeiro, mas sem sair do mercado nacional. Essa é uma maneira mais simples e acessível de diversificar sem retirar o capital do país.

O que é um ETF?

Depois de conhecer o conceito de BDR é preciso saber o que significa outro termo: ETF. Afinal, o BIXN39 é um BDR de ETF. Um exchange traded fund é também conhecido como fundo de índice e apresenta particularidades.

Trata-se de um fundo de investimento que objetiva acompanhar ou ter a performance próxima de um benchmark (índice de referência). E ele cumpre este objetivo ao replicar a carteira teórica do índice escolhido.

Quando surgiu o BIXN39?

Até o final do ano de 2020, por uma limitação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) os BDRs só podiam estar lastreados em ações estrangeiras. Além disso, a aquisição de um BDR ficava restrita aos investidores qualificados.

Naquele ano, a bolsa brasileira perdeu muitos investidores diante da crise causada pela COVID19. Como uma das estratégias para contornar o cenário, a CVM modificou as regras para BDRs.

Eles puderam ser emitidos com lastro em ETFs e títulos de renda fixa, além de ações. Além disso, ela permitiu a aquisição destes títulos por investidores em geral.

Com isso, a gestora BlackRock decidiu lançar no mercado brasileiro 37 BDRs de ETFs, entre eles o BDR do ETF iShares Global Tech — o BIXN39. Após a B3 traduzir o material publicitário que envolvia o BIXN39, o mesmo foi liberado para negociação a partir de 29 de março de 2021.

A qual ETF o BIXN39 está atrelado?

No caso do BIXN39, o fundo atrelado é o iShares Global Tech, que é negociado na NYSE (bolsa de valores de Nova York) desde 12 de novembro de 2001. Seu benchmark é o S&P Global 1200 Information Technology Sector Index (TM).

Portanto, é um ETF que replica a carteira teórica de um índice composto por ações globais do setor da tecnologia. Assim o investidor que adquirir o BDR terá seu capital exposto a empresas como: Apple, Microsoft, Nvidia, Samsung, Paypal, Intel e muitas outras.

Quem administra o ETF?

A gestão do ETF iShares Global Tech é feita pela própria BlackRock Inc., a mesma que emite o BDR BIXN39. Ela é uma empresa estadunidense, criada em 1988, considerada uma das maiores gestoras de ativos no mundo. O início das atividades no Brasil se deu em 2008.

Como a gestão do ETF é passiva, de modo que não é preciso superar o benchmark, a taxa de administração costuma ser menor que a de outros fundos de investimento.

Quais as vantagens de investir no BIXN39?

Investir no BIXN39 possui diversas vantagens. Uma delas está relacionada à praticidade, pois a sua negociação é feita em reais, na própria B3. Logo, o investidor não precisa fazer câmbio de moedas ou estar vinculado a bolsas estrangeiras.

Também se aponta como vantagem à exposição cambial. Como o BDR está lastreado em um ETF de ações estrangeiras cotadas em dólar, no seu preço já está embutido à diferença de câmbio. Isso protege o investidor contra a desvalorização do real.

Ainda no campo das vantagens, há o benefício de alocar capital em um setor com um histórico de grande rentabilidade. Embora lucros passados não signifiquem lucros futuros, o índice S&P Global 1200, benchmark do ETF do BIXN39, acumulava, em maio de 2021, uma valorização próxima a 600% desde sua criação.

Mais um benefício se refere à dupla possibilidade de lucros. A primeira está relacionada à variação do papel e a segunda em virtude do recebimento de dividendos. Isso porque o BIXN39 está atrelado a um ETF de empresas que pagam dividendos — que são repassados ao titular do BDR.

Quais são as desvantagens e os riscos?

A desvantagem está relacionada ao recolhimento de Imposto de Renda. Se houver ganho de capital a alíquota é de 15% nas operações comuns e 20% nas operações day trade. Sobre os dividendos, há tributação no país de origem do ETF.

Outra desvantagem se dá em virtude dos riscos. O BDR é negociado na renda variável. Ou seja, o investidor não consegue antever o quanto de lucro ou prejuízo terá. Além disso, as ações do setor de tecnologia podem enfrentar muita volatilidade.

Vale a pena investir no BIXN39?

Depois de conhecer as informações até aqui, você pode avaliar se vale a pena investir no BDR. Essa deve ser uma decisão pessoal, a considerar o seu perfil de investidor e seus objetivos. Caso lhe pareça interessante, é preciso ter uma conta em um banco de investimento para aportar.

Com acesso ao home broker, você pode realizar negociações da bolsa de valores. Basta digitar o ticker BIXN39 e indicar a quantidade que deseja adquirir. Depois da liquidação, você estará se expondo aos resultados do ETF internacional através do certificado.

Como você viu, o BDR do ETF iShares Global Tech (BIXN39) é uma alternativa de diversificação de investimentos. A possibilidade pode ser atrativa para quem deseja ter seu capital exposto a empresas estrangeiras do setor de tecnologia, mas é preciso considerar os riscos!

Ainda tem dúvidas a respeito de BDRs? Confira outras 5 vantagens de investir neles!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


whatsapp icon chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.