O que é e quem pode ser um Investidor Qualificado?
O que é e quem pode ser um Investidor Qualificado?

O que é e quem pode ser um Investidor Qualificado?

Nem todos os investimentos estão disponíveis para todos os investidores. Como alguns trazem riscos maiores e exigem mais conhecimento, têm acesso limitado. Para entender melhor esse assunto é essencial saber o que é investidor qualificado.

Ao conhecer classificação, você pode saber como se tornar um investidor do tipo, caso tenha interesse em aproveitar investimentos com características específicas. Nesse caso, será preciso conferir se o seu perfil atende aos critérios exigidos.

A seguir, você pode conhecer esse tipo de investidor e descobrir quais são os produtos exclusivos disponíveis. Confira!

O que é investidor qualificado?

O investidor qualificado é uma classificação estabelecida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Segundo o órgão regulamentador, para ser considerado qualificado um investidor precisa atender a uma das duas características:

  • ter R$ 1 milhão investidos no próprio nome de maneira comprovada ou
  • ter qualificação técnica ou ter sido aprovado em uma certificação que seja reconhecida pela CVM.

Com um desses pontos contemplados, entende-se que o investidor está mais preparado para assumir riscos maiores. Com isso, há uma oferta diferenciada de produtos, como você verá adiante.

Quem pode ser um?

Sabendo o que é um investidor qualificado, pode-se perceber que qualquer pessoa pode se tornar um, desde que atenda, ao menos, a uma das condições estabelecidas pela CVM. Não há outros critérios — como experiência no mercado de investimentos.

Assim, se uma pessoa não tiver R$ 1 milhão investidos no próprio nome, poderá recorrer à qualificação técnica para se encaixar na classificação — e vice-versa.

Na prática, desde investidores comuns até analistas e assessores do mercado financeiro podem ser classificados dessa maneira. No caso dos profissionais, é preciso saber que os investimentos feitos no nome dos clientes não são contabilizados para alcançar R$ 1 milhão.

Quais são as vantagens de ser investidor qualificado?

Como vimos, quem se torna um investidor qualificado passa a ter acesso a produtos financeiros diferentes. Algumas alternativas ficam disponíveis exclusivamente para quem se encaixa na classificação.

Então, um dos pontos positivos de se tornar um investidor do tipo é poder aproveitar um volume maior de investimentos. Com outras escolhas ofertadas, você poderá diversificar sua carteira com ainda mais intensidade.

Os investimentos destinados ao investidor qualificado costumam apresentar condições específicas, como maior potencial de retorno. Essa é outra vantagem importante. Contudo, é preciso destacar que o potencial vem acompanhado de um nível maior de risco.

Embora encaixar-se nessa classificação dê acesso a possibilidades exclusivas, é importante avaliar se os investimentos estão de acordo com seu perfil de investidor e com seus objetivos.

Qual a diferença entre investidor profissional e qualificado?

Além da classificação de investidor qualificado, há o chamado investidor profissional. Como os termos são parecidos, é possível confundi-los. Mas os critérios são diferentes: o investidor profissional é o grau hierárquico mais elevado em relação à classificação.

Para se tornar um, é preciso comprovar o investimento de R$ 10 milhões no próprio nome ou ser um agente autorizado pela CVM para atuar. Note que nesse caso, além de obter a certificação profissional, é necessário ter registro e autorização por parte da comissão.

Por causa dessas diferenças, podemos dizer que todo investidor profissional também é qualificado. Porém, o contrário nem sempre é verdadeiro, então é fundamental ter atenção.

Como se tornar um investidor qualificado?

Agora que você já sabe o que é e como funciona o título de investidor qualificado, é o momento de saber como se tornar um. Para tanto, não basta apenas cumprir os requisitos que viu neste conteúdo. Também é preciso solicitar a classificação.

Se o seu critério é ter R$ 1 milhão investidos, é necessário preencher uma autodeclaração de atendimento à condição. Você deverá incluir suas informações no documento disponibilizado pela CVM e enviá-lo para a instituição.

É importante ter cuidado porque fazer uma autodeclaração desse tipo que seja falsa pode gerar problemas e sanções. Portanto, só siga por tal caminho se realmente tiver o dinheiro alocado em seu nome.

A outra possibilidade consiste em buscar qualificação técnica. Como é necessário que ela seja reconhecida pela CVM, você pode analisar as certificações da Anbima para ser um investidor qualificado, por exemplo.

O programa de qualificação é desenvolvido pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais e atende aos requisitos da CVM. Também é viável realizar outras certificações de destaque no mercado.

Depois de escolher a certificação que deseja, inscreva-se no processo e realize a prova para comprovar conhecimentos. É preciso obter a nota mínima para ser aprovado.

Caso consiga passar por todo o processo e ter a aprovação, preencha o requerimento da CVM e apresente o comprovante de qualificação técnica para ser um investidor qualificado.

Quais são os investimentos destinados a esses investidores?

Como você viu, uma das vantagens de ser um investidor qualificado é ter acesso a alternativas diferenciadas de investimentos.

Normalmente, as possibilidades incluem investimentos mais arriscados e que não dispõem de componentes de proteção. Espera-se que o investidor qualificado saiba o que é adequado para as suas características, com maior entendimento que um investidor iniciante, por exemplo.

Na renda fixa, os investimentos ligados ao crédito privado aparecem com mais frequência para esse tipo de investidor, pois oferecem menor segurança. Os certificados de recebíveis e, principalmente, os fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC) são alguns exemplos.

Os fundos internacionais também têm destaque, como os fundos de investimento no exterior (FIE). Com eles, há como ter exposição ao mercado internacional e diversificar a carteira, expondo-se a riscos diferenciados.

Além disso, outros fundos podem ter versões direcionadas para quem é qualificado, especialmente quando apresentam uma estratégia mais agressiva.

Vale destacar, ainda, que até 2020 somente os investidores qualificados poderiam investir na maioria dos brazilian depositary receipts (BDR). Mas o acesso se tornou mais amplo e qualquer investidor pode aportar nos certificados agora.

Agora você já sabe o que é um investidor qualificado e quais são as condições exigidas. Assim, é possível se tornar um — caso queira acessar investimentos exclusivos. Porém, lembre-se de que eles costumam apresentar mais riscos e isso deve ser contemplado pelo seu perfil!

Ainda tem alguma dúvida sobre essa classificação? Use o espaço dos comentários para que possamos ajudar!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.