Renova Invest Facebook

BDR: o que é, vantagens, riscos e como investir!

BDR
BDR

Embora existam diferentes ativos na bolsa de valores brasileira, a B3, esse número é considerado pequeno em comparação com algumas bolsas internacionais. Porém, investir fora do país tende a ter custos elevados e exigir um processo burocrático. Por isso, é importante conhecer o que é o BDR.

Negociado no mercado nacional, o BDR pode ser o investimento para expor seu capital ao exterior de forma prática e rápida. Então é fundamental entender como funciona essa alternativa para tomar decisões mais acertadas.

Se você quer saber mais sobre o tema, continue a leitura deste artigo até o final. Nele, você verá o que é o BDR, como ele funciona, suas vantagens e riscos.

Aproveite o conteúdo!

O que é um BDR?

Na B3, é comum se deparar com diversas abreviações. Por exemplo, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos de índices), FoFs (fundos de fundos) e também o BDR. O termo significa brazilian depositary receipts ou certificado de depósito de valores mobiliários.

Trata-se de um investimento que pode ser encontrado no mercado nacional, mas que possui lastro em uma alternativa internacional. Ou seja, ao investir nele, você se expõe aos mercados estrangeiros, sem precisar sair do Brasil.

Antes, a maior parte dos BDRs eram restritos aos investidores qualificados. Isto é, aqueles que reúnem ao menos R$ 1 milhão investidos ou detém certificação profissional para atuar no mercado financeiro.

Contudo, em 2020, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu flexibilizar as regras para que investidores em geral pudessem adquiri-los. Então, normalmente, assim que o material que envolve a emissão do certificado é traduzido, ele é disponibilizado para qualquer interessado.

Como um BDR funciona?

Após conhecer o conceito, saiba que o funcionamento do BDR depende de uma empresa depositária. É essa instituição que adquire ativos nos mercados estrangeiros — como ações, títulos públicos, ETFs, REITs (fundos imobiliários americanos) etc.

Depois, a empresa os coloca sob a custódia de um agente custodiante. Na sequência, a depositária emite os BDRs com lastro nos investimentos internacionais e os disponibiliza na B3 para os investidores.

Contudo, é preciso ter em mente que ao investir em BDRs você não se torna o titular dos investimentos estrangeiros, mas sim do certificado atrelado a eles. Portanto, o ativo se assemelha a um recibo de uma ação, cota ou título do exterior.

Ao mesmo tempo, o resultado do BDR dependerá da performance obtida pelos ativos estrangeiros. Caso os eles se valorizem, o certificado também se valorizará — e o mesmo acontece no cenário contrário.

Também é responsabilidade da instituição depositária repassar aos investidores nacionais todas as informações relevantes acerca dos investimentos que lastreiam os BDRs. Afinal, o investidor que possui BDR precisa avaliar o negócio para conseguir gerir sua carteira.

Quais os principais tipos de BDRs?

Você já viu o que é um BDR e como ele funciona, mas ainda é preciso conferir quais são os principais tipos disponíveis. Eles podem ser do tipo patrocinado ou não patrocinado, veja detalhes de cada um deles!

BDRs patrocinados

Nos BDRs patrocinados, a própria companhia ou fundo revela o interesse em disponibilizar seus ativos no país. Então ela pode contratar uma instituição depositária para emitir os BDRs e disponibilizá-los no mercado nacional.

A depender da forma de distribuição e do volume emitido, esses recibos podem ser classificados em nível I, II ou III. No primeiro nível, o registro da companhia estrangeira na CVM é dispensável. Porém, ela fica obrigada a repassar as informações divulgadas sobre os títulos que dão lastro ao BDR, no seu país de origem.

Além disso, os BDRs de nível I são negociados em balcão específico. Já nos níveis II e III, a negociação se dá no pregão comum da B3. Nesse caso, as companhias precisam ter registro junto à CVM e devem seguir as regras de transparência na comunicação com os investidores.

BDRs não patrocinados

No caso dos BDRs não patrocinados, o interesse em ofertá-los no mercado brasileiro não partiu de uma empresa ou fundo no exterior, mas de uma instituição depositária. Logo, ela é quem toma a iniciativa de investir em bolsas internacionais e emitir os certificados no Brasil.

Esse tipo de BDR é o mais encontrado na bolsa e sempre é considerado de nível I. Isso significa que a companhia depositária será a responsável por repassar as informações emitidas no exterior para os investidores brasileiros.

Em relação ao investidor, os resultados do BDR patrocinado ou não patrocinado podem ser semelhantes. Isso porque os dois seguem a mesma regulamentação e, assim, dificilmente você encontrará problemas com o emissor do certificado.

BDR paga dividendos?

Depois de ter visto que ao investir em BDRs você não se torna dono do ativo estrangeiro, pode surgir a dúvida se eles pagam dividendos. Aliás, essa questão é bastante comum, principalmente para investidores que buscam alternativas para obter renda passiva.

Se esse é o seu interesse, vale destacar que os BDRs contam com a distribuição de proventos. No entanto, é preciso ter em mente que o pagamento só ocorrerá se o ativo original fizer a distribuição de dividendos na bolsa de origem.

Quais são os custos e a tributação dos BDRs?

Quando o assunto é taxas e tributação, sobre os BDRs recaem os mesmos custos envolvidos em operações com ações. A principal diferença é a inexistência da isenção de Imposto de Renda (IR) em vendas mensais que totalizem até R$ 20 mil.

Desse modo, sempre que o investidor tiver lucro com a venda das dos certificados, precisará recolher IR com alíquota de 15%, aplicada para negociações comuns. Especificamente no day trade (compra e venda realizadas no mesmo dia), a alíquota é de 20%.

Ainda, a depender do banco de investimentos utilizado, poderá haver taxa de corretagem e taxa de custódia. No entanto, é comum as instituições oferecerem descontos e até isenção dessas taxas. Também há incidência de emolumentos (cobrados pela B3), que não contam com isenções.

Apesar da existência desses custos, investir em BDRs tende a ser menos oneroso que alocar seu capital fora do país. Como os títulos são negociados em reais, você não precisará se preocupar em fazer o câmbio, nem passar pela burocracia de se vincular a uma corretora internacional.

Quais as vantagens desse investimento?

Agora que você sabe mais a respeito da distribuição de dividendos e custos que incidem sobre os BDRs, é possível que queria saber as vantagens do investimento.

Confira a seguir!

Praticidade

Uma das vantagens mais relevantes de um BDR é a sua praticidade. Isso porque eles podem ser encontrados na bolsa brasileira e são negociados nos mesmos moldes de uma ação. Logo, mesmo quem não detém muito conhecimento sobre o mercado consegue adquiri-los sem dificuldades.

Com isso, o investidor não precisa gastar seu capital com câmbio, IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e outros custos para remeter seu capital para o estrangeiro. Por consequência, o investimento em BDRs costuma ser muito mais simples e prático.

Dolarização da carteira

Outro benefício trazido pelo investimento em BDR é a possibilidade de dolarizar sua carteira. Como grande parte dos investimentos que dão lastro aos certificados são negociados em dólar, isso pode gerar a proteção cambial do seu portfólio.

Ao ter em carteira um ativo que espelha um investimento dolarizado, o aumento da moeda americana impactará na sua cotação, valorizando o BDR. Assim, as flutuações do câmbio são minimizadas quando você tem esse tipo de proteção.

Diversificação

Também conta como vantagem o fato de você poder expor seu capital a diferentes companhias internacionais. A expansão do leque de escolhas permite a montagem de uma carteira com alto nível de diversificação.

Essa estratégia é bastante conhecida e adotada por investidores de todos os perfis, principalmente o investidor de renda variável. Com ela, é possível equilibrar a relação risco e retorno do portfólio, de modo a potencializar os ganhos e mitigar as perdas.

Vale destacar que, geralmente, quando a bolsa brasileira cai, o dólar valoriza. Desse modo, as movimentações da moeda norte-americana podem compensar, ao menos, parte das perdas em caso de quedas no mercado acionário brasileiro.

Acesso a grandes empresas

Também é importante destacar que os BDRs permitem que você se exponha às maiores e mais conhecidas organizações do mundo. Confira algumas das alternativas que podem ser encontradas na bolsa brasileira:

  • Apple (AAPL34);
  • Meta (antigo facebook) (FBOK34);
  • Google (GOGL34);
  • Johnson & Johnson (JNJB34);
  • Microsoft (MSFT34);
  • Netflix (NFLX34);
  • Amazon (AMZO34);
  • Visa (VISA34).

Há muitas outras companhias a serem exploradas, cabendo ao investidor pesquisar qual delas se enquadra melhor no seu perfil e objetivos no mercado. Lembre-se de que o mercado internacional é repleto de alternativas, então vale verificar se existe um BDR correspondente aqui no Brasil.

Possibilidade de recebimento de renda passiva

Você aprendeu que a empresa emissora dos BDRs faz a distribuição dos dividendos recebidos em decorrência dos investimentos que lhe dão lastro. Portanto, esses certificados podem fazer sentido para o investidor que deseja receber renda passiva no mercado financeiro.

Desse modo, quanto mais BDRs você tiver em carteira, maior tende a ser a quantia recebida a título de dividendos. Assim, se você visa alcançar objetivos de longo prazo, poderá se interessar por BDRs lastreados em companhias com bom histórico de pagamento de dividendos.

Quais são os riscos de investir em BDRs?

Como qualquer outro tipo de investimento, os BDRs também possuem riscos a serem considerados antes de realizar o investimento. Aliás, começar a investir sem avaliar os riscos envolvidos pode resultar em frustrações ou insucesso no mercado.

Considerando que os BDRs integram a classe da renda variável, é impossível antever, com precisão, os resultados do investimento. Inclusive, há riscos de perder dinheiro com o aporte. Afinal, após adquirir o ativo, o seu preço pode aumentar ou diminuir.

Tenha em mente que, na bolsa de valores, os preços são formados pela lei da oferta e da demanda. Dessa forma, quando há um aumento generalizado da procura pelo ativo, os preços tendem a subir. Porém, se a oferta aumentar sem que a demanda a acompanhe, a tendência é uma queda nas cotações.

Ademais, o fato de os BDRs estarem atrelados a investimentos estrangeiros os expõem às notícias e eventos ocorridos no exterior. Então os resultados podem depender de um cenário internacional favorável.

Também conta como risco a baixa liquidez desses ativos. Em termos financeiros, a liquidez representa a velocidade em que um ativo é convertido para dinheiro. Na bolsa, ela está relacionada à quantidade de interessados em negociar um ativo ou derivativo financeiro.

Tendo em vista que os BDRs são instrumentos relativamente novos no mercado — liberados para o investimento em geral no final de 2020 — eles ainda são desconhecidos para muitos.

Isso significa que nem todos estão habituados a negociá-los e você pode encontrar dificuldades para se desfazer de um certificado, caso precise resgatar a quantia aplicada.

Como investir em BDRs?

Chegando até aqui, você já reúne bastante conhecimento sobre os BDRs e poderá tomar uma decisão mais acertada sobre incluí-los em carteira ou não. Mas, se for de seu interesse investir na alternativa, ainda é preciso aprender como isso é feito.

O investimento em BDRs pode ser realizado por meio de um home broker — a plataforma digital que conecta o investidor ao ambiente de negociação da bolsa. Para ter acesso a essa ferramenta, abra uma conta em um banco de investimentos de sua confiança.

Ao acessá-la, você terá que digitar o código de negociação (ticker) do ativo. Normalmente, ele é composto por 4 letras, seguidas de dois números — como 34, 35 ou 39. Ao abrir o livro de ofertas, será possível visualizar todas as intenções de compra e de venda do BDR em questão.

Por fim, basta lançar uma ordem de compra no valor e quantidade desejados e aguardar sua execução. Caso ela seja executada, em poucos dias os BDRs serão adicionados em sua carteira. Fácil, não é mesmo?

Agora que você já sabe o que é o BDR e como ele funciona, pode considerar essa alternativa ao fazer novos aportes. No entanto, não deixe de pautar as escolhas no seu perfil de investidor e objetivos no mercado, de modo a aumentar as suas chances de sucesso.

As informações que viu aqui foram relevantes? Compartilhe o artigo com os seus amigos e veja qual deles já conhece ou investe em BDRs!

 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.