É possível encontrar diversos tipos de aplicações, ativos e derivativos no mercado financeiro. Eles podem ser utilizados por investidores e especuladores em diferentes operações. Entre eles está o contrato a termo — que traz oportunidades, mas também gera dúvidas.

Você sabe como ele funciona? Utilizado no mercado a termo, o contrato tem características próprias que devem ser conhecidas no momento de tomar decisões. Por isso, é necessário entender como são formados os contratos, suas vantagens e os riscos.

Se você quer aprender mais sobre o assunto, continue lendo este conteúdo. Nele, conhecerá o contrato a termo e o seu funcionamento. Confira!

O que é o mercado a termo?

O mercado a termo funciona por meio de um acordo de compra e venda entre investidores com liquidação em um prazo pré-determinado. Para isso, é definida a quantidade de ativos, o preço e o prazo de liquidação.

Em casos gerais, há maior flexibilidade no contrato, que não sempre precisa seguir um padrão preestabelecido. Vale destacar que quando a negociação acontece na bolsa, no entanto, existem especificações preestabelecidas para a negociação.

Em todos os casos, ao negociar derivativos por esse mercado, o investidor consegue determinar o preço que pagará por um ativo em uma data futura, acrescido de juros simples. Assim, as suas principais características são:

  • movimentação apenas na liquidação: os pagamentos só acontecem no encerramento do contrato;
  • baixa liquidez: não existe um mercado secundário. Ou seja, para encerrar a posição é preciso encontrar um interessado em fazer a operação inversa pelo prazo restante;
  • risco de crédito: consiste no risco de que uma das partes não cumpra com os termos ou prazos pactuados.

Qual a diferença em relação ao mercado à vista?

Após entender o conceito de mercado a termo, é importante identificar como ele se diferencia do mercado à vista. Nesse último, as negociações são feitas baseadas na oferta e procura, sendo que a compra e o pagamento acontecem no mesmo momento.

Ou seja, a principal diferença entre os mercados é o momento da liquidação. Além disso, no mercado à vista os preços são formados nos pregões. No mercado a termo, como vimos, as cotações são definidas.

O que muda em relação ao mercado futuro?

Também é comum que os investidores confundam o mercado a termo com o futuro, tendo em vista que ambos trazem de negociações concretizadas após determinado prazo. No entanto, eles possuem algumas características diferentes que devem ser observadas.

No mercado futuro, as diferenças nos preços são ajustadas diariamente, enquanto o mercado a termo tem o ajuste apenas no vencimento. Na prática, as partes também não pagam ou recebem o valor integral dos contratos, mas somente os ajustes do preço.

O que é um contrato a termo?

Depois de conhecer os diferentes ambientes da bolsa, chegou a hora de entender o contrato a termo. Ele é a ferramenta que viabiliza as operações no mercado a termo. O contrato pode ser feito de maneira particular, com negociação no mercado de balcão, ou pela bolsa de valores.

No segundo caso, como você viu, os contratos devem ser padronizados. Dessa maneira, esse contrato é o documento que determina todas as características da negociação, representando o compromisso entre as partes.

Portanto, ele deve conter detalhes como:

  • descrição do objetivo negociado, como ações, moedas, commodities, entre outros;
  • quantidade de ativos negociados;
  • condição de liquidação, que pode permitir a antecipação;
  • preço dos ativos, que engloba o preço à vista acrescido da taxa de juros;
  • o prazo do contrato, que pode ser entre 16 e 999 dias corridos.

Confira mais informações!

Liquidação

A liquidação do contrato a termo pode acontecer de três formas principais. São elas:

  • quando ocorre a antecipação da venda do ativo — dando por liquidado o contrato;
  • na antecipação da liquidação do contrato. Nesse caso, não costuma haver desconto nos juros, sendo necessário quitar o valor exato do contrato;
  • quando a liquidação do contrato ocorre logo após o encerramento do prazo de negociação — no chamado decurso de prazo.

Como você viu, existem situações que permitem a antecipação dos contratos a termo — como a vontade do comprador, a vontade do vendedor e o acordo mútuo. Para tanto, a possibilidade deve estar prevista no contrato.

Margem de garantia

É comum que a negociação exija a apresentação de uma margem de garantia, que visa reduzir os riscos de liquidação. Ela pode ser apresentada em dinheiro ou com investimentos, como títulos públicos, certificados de depósito bancário (CDB), ações, fundos, entre outros.

Quais as suas vantagens e riscos?

Conhecendo o mercado a termo, o investidor pode encontrar mais oportunidades para as suas estratégias. Todavia, para tomar decisões seguras é preciso ter conhecimento sobre as vantagens e os riscos envolvidos.

Um dos principais benefícios é a possibilidade de fazer hedge, ou seja, proteger a sua carteira contra as oscilações de preços. Como o preço é determinado no momento de fechamento do contrato, o comprador não se expõe às oscilações do mercado.

Outra vantagem é que não é preciso desembolsar valores de maneira imediata, possibilitando a alavancagem. Como o pagamento acontece apenas na liquidação do contrato, o investidor consegue aproveitar oportunidades pontuais, mesmo que não tenha o capital disponível.

Os traders, que visam a especulação, também podem ser beneficiar com as oportunidades de lucrarem no curto prazo. Diante de uma expectativa de alta, por exemplo, é possível fazer a compra do ativo para zerar a posição na data acordada por um preço inferior ao de mercado.

Assim, é possível obter lucros pela diferença de preço gerada pela oscilação. Contudo, é necessário considerar que os movimentos do mercado podem não seguir a previsão. Isso aumenta os riscos da operação, então é essencial ter um perfil de investidor adequado ao nível de riscos da especulação.

Como você viu, o contrato a termo pode trazer mais oportunidade os investidores. No entanto, é fundamental entender o seu funcionamento e conhecer os riscos envolvidos para identificar se a estratégia é válida e quando vale a pena utilizá-la em seu portfólio.

Se você ainda tem dúvidas sobre esse tipo de contrato, entre em contato conosco e esclareça o assunto com os nossos assessores!