Renova Invest Facebook
Busca de Artigos no blog

Aluguel de ações: como funciona!

como funciona o aluguel de ações
como funciona o aluguel de ações

O universo dos investimentos é vasto e cheio de possibilidades. Entre elas, uma que vem ganhando espaço é o aluguel de ações. Essa operação financeira, ainda pouco conhecida por muitos investidores, pode ser uma forma eficiente de rentabilizar sua carteira de investimentos. Neste guia, você vai entender como funciona, quais são as vantagens, os riscos e como você pode começar a investir nessa modalidade.

O que é o Aluguel de Ações?

O aluguel de ações, também conhecido como empréstimo de ativos, é uma operação financeira em que um investidor disponibiliza suas ações para que outro investidor as utilize temporariamente, mediante o pagamento de uma taxa.

Nesse tipo de operação, temos basicamente duas figuras:

  • O doador, que é o investidor que possui as ações e decide alugá-las;
  • O tomador, que é o investidor que precisa das ações temporariamente.

O aluguel de ações pode ser uma estratégia interessante tanto para o doador quanto para o tomador. O doador consegue rentabilizar suas ações mesmo sem vendê-las, enquanto o tomador pode utilizar as ações alugadas para realizar operações específicas no mercado.

Como Funciona o Aluguel de Ações?

Na prática, o aluguel de ações funciona de forma bastante simples. O doador, ou seja, o investidor que possui as ações, decide disponibilizá-las para aluguel. Ele não vende suas ações, apenas permite que outro investidor as utilize por um período determinado, recebendo uma taxa por isso.

Por outro lado, o tomador das ações, que precisa delas para realizar alguma estratégia específica no mercado, paga essa taxa ao doador e utiliza as ações alugadas conforme suas necessidades. Ao final do contrato, o tomador deve devolver as ações ao doador, pagando a taxa acordada.

Quais Ativos podem ser Alugados?

Basicamente, qualquer ativo negociado em bolsa pode ser objeto de um contrato de aluguel de ações. Isso inclui:

  • Ações de companhias abertas e listadas na B3;
  • Units (ativos compostos por mais de um tipo ou classe de valores mobiliários);
  • Cotas de Fundos de Índices (ETFs);
  • BDRs Patrocinados;
  • BDRs Não Patrocinados Nível I;
  • Cotas de Fundos de Investimentos Imobiliários;
  • Cotas de Fundos de Investimentos em Participações.

Como Alugar Ações?

Para alugar suas ações, o investidor deve contratar o serviço em sua instituição financeira, seja corretora ou distribuidora. A instituição atua como intermediária entre o doador e os potenciais tomadores do empréstimo de ações.

É importante lembrar que, para alugar suas ações, você precisa possuir os papéis em sua carteira de investimentos. Ou seja, você precisa ser o proprietário das ações que pretende alugar.

Vantagens e Desvantagens do Aluguel de Ações

Como qualquer operação financeira, o aluguel de ações tem suas vantagens e desvantagens. É importante conhecê-las para tomar a melhor decisão para seus investimentos.

Vantagens

  • Rentabilidade adicional: o aluguel de ações permite que o investidor obtenha uma rentabilidade adicional com as ações que possui em carteira. Essa rentabilidade vem da taxa de aluguel paga pelo tomador.
  • Maior diversificação: ao alugar suas ações, o investidor consegue diversificar suas fontes de renda. Além dos ganhos com a valorização das ações e os dividendos, o investidor passa a contar também com a renda do aluguel.
  • Risco reduzido: o aluguel de ações permite ao investidor reduzir seu risco. Isso porque a operação é garantida pela B3, que exige do tomador a prestação de garantias para a realização do contrato.

Desvantagens

  • Indisponibilidade das ações: durante o período de aluguel, o investidor não pode vender suas ações. Isso pode ser uma desvantagem caso o investidor precise se desfazer das ações antes do término do contrato de aluguel.
  • Perda de direitos: ao alugar suas ações, o investidor perde alguns direitos, como o direito de voto nas assembleias da companhia.
  • Risco de inadimplência: apesar da B3 exigir garantias do tomador, ainda existe o risco de inadimplência. Caso o tomador não cumpra com suas obrigações, o investidor pode ter prejuízos.

Como o Aluguel de Ações é Taxado?

O aluguel de ações é taxado da seguinte maneira:

  • Imposto de Renda: a taxa de aluguel recebida pelo doador é tributada pelo Imposto de Renda. A alíquota varia de acordo com o prazo do contrato de aluguel, seguindo a tabela regressiva do IR.
  • Emolumentos: são cobrados emolumentos pela B3 sobre o valor do contrato de aluguel.
  • Taxa de corretagem: a instituição financeira que intermediar a operação pode cobrar uma taxa de corretagem.

Considerações Finais

O aluguel de ações é uma estratégia que pode ser bastante lucrativa para investidores que possuem ações em carteira e não têm a intenção de vendê-las no curto prazo.

Porém, como qualquer operação financeira, é essencial que o investidor esteja bem informado e ciente dos riscos envolvidos. Portanto, antes de alugar suas ações, faça uma análise cuidadosa e considere se essa é a melhor estratégia para seus investimentos.

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.