O mercado financeiro oferece algumas possibilidades que nem todo investidor conhece. Quem ainda não sabe o que é e como funciona um contrato futuro, por exemplo, pode se surpreender com as possibilidades de fazer investimentos ou especulação na renda variável.

No mercado futuro, não são negociados ativos propriamente ditos, mas contratos que os têm como referência. Eles são chamados de derivativos e existe a possibilidade de encontrar oportunidades de bons retornos financeiros nesse ambiente.

Neste artigo, você entenderá o que é um contrato futuro e quais são as suas características. Boa leitura!

O que é o mercado futuro?

O mercado futuro permite realizar operações visando uma data no futuro. Tal característica o diferencia do mercado à vista, no qual a compra e venda de ativos é feita no mesmo momento. É importante destacar também que os ativos não são negociados diretamente no mercado futuro.

Em vez disso, as transações são feitas com contratos que estão atrelados a um ativo. Ou seja, com derivativos, que visam uma data futura. Nesse mercado são negociados, principalmente, contratos de Dólar, de índice (como o Ibovespa) e de commodities (como milho, soja, café e boi gordo).

Inclusive, o ambiente surgiu na produção rural. As plantações exigem um investimento alto por parte dos produtores, que viviam a insegurança de não saber exatamente qual seria o preço do produto quando a colheita chegasse.

Assim, os negócios eram comumente fechados com um determinado valor futuro. Quando a data chegasse, os produtores teriam lucro se o preço combinado fosse maior do que o valor normal. Caso os preços fossem mais baixos, o prejuízo era compensado pela venda do restante da produção.

Apesar de ter passado por modificações, um dos objetivos do mercado futuro ainda é permitir a proteção (hedge) dos investidores. Ele também oferece oportunidades para aqueles que desejam especular na bolsa de valores.

Como funciona o mercado futuro?

Como você viu, o mercado futuro não funciona a partir da compra ou venda de ativos. As operações são focadas em derivativos e se dão a partir das oscilações dos preços. A realização dos lucros ou prejuízos é feita por meio de ajustes diários.

Na prática, enquanto a posição no contrato é mantida, os valores são creditados ou debitados da conta. Tudo acontece de acordo com as movimentações do mercado.

É possível esperar a data de vencimento para realizar lucros ou prejuízos, o que é muito escolhido por quem tem objetivos de proteção da carteira. Outra possibilidade é especular e passar os contratos adiante, realizando compras ou vendas que forem vantajosas, a partir das oscilações.

O que é um contrato futuro?

Agora que você já sabe o que é e como funciona o mercado futuro, precisa entender que os derivativos negociados nesse ambiente são chamados de contratos futuros. De forma geral, são acordos realizados entre duas partes quanto à compra e venda de um ativo em determinada data.

Existem dois contratos futuros principais. Saiba mais detalhes a seguir!

Tipos

Os contratos comuns (ou cheios) são as versões originais, que envolvem uma quantia maior de dinheiro. Isso acontece porque eles exigem a compra de um lote inteiro, demandando uma movimentação maior de recursos.

Já os minicontratos funcionam da mesma forma que os contratos cheios, mas são versões menores. Eles correspondem a um percentual dos contratos futuros e, com isso, exigem uma movimentação financeira menor.

Por serem mais acessíveis, os minicontratos permitem que mais investidores e especuladores operem no mercado futuro.

Como funciona

Os contratos futuros funcionam a partir da negociação de compra e venda entre duas pessoas. É feito um acordo com base no preço futuro de um ativo. A data correspondente ao vencimento do contrato é expressa no ticker do derivativo, referente ao ano e ao mês.

Suponha que você esteja negociando a cotação do Dólar futuro. Nesse caso, à medida que o valor do Dólar sobe é possível ganhar dinheiro com a valorização do contrato. Há possibilidade de manter a posição até a data combinada ou vender antes para aproveitar variações no preço.

Outro ponto importante sobre o funcionamento é que as operações no mercado futuro não exigem o desembolso do dinheiro no momento da compra dos contratos. Uma possibilidade é fazer alavancagem, assegurando apenas a margem de garantia exigida.

Quais são as principais características dos contratos futuros?

Entre as características do contrato futuro está que os resultados costumam se dar na diferença entre preços. A bolsa faz o cálculo em relação ao valor de fechamento do mercado e ao preço estipulado no contrato.

O saldo da operação é conhecido no fim do prazo acordado ou no momento da venda. Assim, você pode analisar a soma de todos os ajustes diários na sua conta.

Outra característica é a alavancagem, como você já sabe. Ela consiste em operar com um valor maior do que você tem em caixa. Os ganhos nas operações alavancadas, se ocorrerem, podem ser bem mais maiores — mas da mesma forma que os riscos também aumentam.

O valor pedido de margem de garantia varia com as regras da instituição financeira. Normalmente, há diferenças entre operações de day trade e de swing trade, por exemplo. O day trade consiste em abrir e fechar uma operação no mesmo dia, enquanto o swing se dá em dias diferentes.

Quando vale a pena negociar um contrato futuro?

Talvez você já tenha percebido que o mercado futuro é composto por uma dinâmica com características um pouco mais complexas. Para fazer as operações, é importante ter conhecimento e tempo para se dedicar à análise dos derivativos.

Isso permite que você possa tomar decisões mais acertadas e com maior potencial de alcançar suas metas. Além disso, a negociação de derivativos é parte da renda variável e tem riscos elevados. Portanto, é fundamental que o seu perfil de investidor permita que você faça esse tipo de operação.

Saber utilizar a análise gráfica em benefício das suas negociações também é muito importante para quem deseja começar a operar contratos futuros na bolsa de valores.

Por fim, lembre-se de que esse ambiente é voltado para estratégias de hedge ou especulação. Então, se o seu objetivo é investir visando o longo prazo, o contrato futuro pode não ser a melhor alternativa para você.

Gostou de saber mais sobre o contrato futuro e as possibilidades desse instrumento financeiro? Se você acredita que ele faz sentido para você, não deixe de estudar mais sobre o mercado futuro!

Ficou com alguma dúvida? Então entre em contato conosco!