Crédito privado o que é e como funciona Descubra
Crédito privado o que é e como funciona Descubra

Crédito privado: o que é e como funciona? Descubra!

Quando uma empresa precisa de dinheiro, buscar um financiamento tradicional não é a única possibilidade. O negócio tem a chance captar novos investidores, o que pode ser feito com a ajuda o crédito privado e suas alternativas.

Nessa modalidade, o investidor se torna credor de empresas e, em troca, recebe o valor investido mais uma taxa de juros. Dependendo do seu perfil e da sua carteira, isso pode ajudar no alcance de objetivos.

Para ter as informações necessárias antes de investir, veja o que é e como funciona o crédito privado!

O que é o crédito privado?

O crédito privado é baseado na emissão de títulos de dívida por parte de instituições privadas — diferentemente do que acontece com títulos públicos, por exemplo. São eles que firmam um acordo entre a empresa e o credor, que, nesse caso, é o investidor.

Portanto, pessoas físicas que investem na compra de títulos privados se tornam credores do negócio que o emitiu. Com isso, tem direito a receber o valor aplicado mais uma rentabilidade estabelecida no título, pois essas alternativas são parte da renda fixa.

Como funciona o crédito privado?

Depois de descobrir o que é crédito privado, é o momento de entender quais são as suas características. Primeiramente, vale saber que as empresas costumam criar os títulos para que possam captar recursos.

A intenção é obter capital para investir no crescimento ou em projetos pontuais. Então a empresa faz a emissão do título, que consiste em um compromisso de pagar os investidores o valor aplicado mais uma taxa de juros acordada, na data especificada.

No caso da rentabilidade, ela pode ser definida previamente (títulos prefixados) ou acompanhar algum indicador (títulos pós-fixados). Assim, é possível notar que eles são semelhantes aos títulos do Tesouro Direto, por exemplo.

A diferença principal, como vimos, está na emissão privada (em vez de pública). Ao investir em títulos de crédito privado, também é importante saber que não há cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), como existe em algumas alternativas da renda fixa.

Logo, é necessário assumir um risco de crédito um pouco maior. Ainda assim, são escolhas menos arriscadas que a renda variável, por exemplo. Com uma análise completa da empresa emissora, é possível mitigar parte dos riscos.

Quais são os principais investimentos do crédito privado?

Para realmente entender como funciona o crédito privado, convém conhecer suas principais possibilidades de investimento. Assim, você pode ter uma ideia de como alocar os seus recursos e qual é o potencial oferecido para a sua carteira.

A seguir, veja quais são os principais investimentos do crédito privado:

CRI e CRA

Os Certificados de Recebíveis de Imóveis (CRI) e do Agronegócio (CRA) são alternativas para quem busca investir em títulos de crédito privado. Como os nomes indicam, eles representam títulos de dívidas no setor imobiliário e de agronegócio, respectivamente.

Na prática, os dois funcionam de maneira parecida. A única diferença é o direcionamento dos recursos e o investimento mínimo exigido, que pode ser um pouco maior no CRA. A emissão desses títulos é realizada por securitizadoras.

Como destaque, formam um tipo de investimento isento de Imposto de Renda. Além disso, há opções com pagamento de juros semestral ou anual, mas o resgate do valor completo ocorre apenas no vencimento.

Debêntures

As Debêntures são que um tipo de título de dívida, emitido por um negócio que seja listado na bolsa de valores. O ganho acontece com base nas condições acordadas em contrato. Então é definido o modelo de remuneração, como prefixado, pós-fixado ou híbrido.

Normalmente, Debêntures têm resultados tributáveis. No entanto, existem as chamadas Debêntures incentivadas. Normalmente elas estão atreladas a setores de infraestrutura e desenvolvimento e são isentas de IR.

FDIC

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) são uma modalidade coletiva. Nele, os investidores adquirem cotas e um gestor profissional aloca os recursos nos ativos.

No caso do FIDC, os ganhos são obtidos com base nos valores em aberto que o negócio tem direito a receber. O fundo de crédito privado pode ter rendimento pré ou pós-fixado, dependendo do modelo de contrato.

Já o Imposto de Renda é cobrado pela tabela regressiva do IR. Então passar mais tempo permite pagar menos imposto — com limite mínimo de 15%. Portanto, pode valer a pena se programar para manter o investimento por prazo mais longo e, assim, pagar um valor menor de imposto.

Quando vale a pena investir em crédito privado?

Antes de investir em crédito privado, é fundamental conhecer o seu perfil de investidor e os seus objetivos. Normalmente, esses investimentos não permitem o resgate antecipado dos valores. Além disso, a maioria consiste em alternativas de médio e longo prazo.

Isso faz sentido porque investir em títulos significa disponibilizar recursos para uma empresa privada. Como consequência, é preciso que se passe um tempo para que o negócio possa capitalizar e ser capaz de devolver o valor investido mais os juros.

Se o perfil e os objetivos estiverem alinhados, essa é uma alternativa que pode, sim, valer a pena. Mas é uma escolha para se expor a um pouco mais de riscos, mesmo sem sair da renda fixa.

Em períodos em que a taxa Selic está em baixa, os títulos públicos de curto e médio prazo podem ficar menos interessantes. Nesse sentido, o crédito privado também surge como uma possibilidade em um momento do tipo. Isso demonstra, ainda, a importância de avaliar as condições de mercado.

Considerando todos os aspectos, o investimento em crédito privado pode ajudar a diversificar o perfil de risco da carteira. A depender das suas escolhas, pode ser uma forma de aumentar o potencial de gerar resultados.

Depois de saber o que é e como funciona o crédito privado, você tem a chance de adicionar tais investimentos em sua carteira e diversificar com eles. Avalie cada título com cuidado, em busca de oportunidades reais!

Mostre essas alternativas de investimento para outras pessoas. Compartilhe o post em suas redes sociais e marque quem também se interesse pelo assunto!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.