Queda da Selic como fazer meus investimentos blog

Queda da Selic: como fazer meus investimentos?

Nos últimos anos, tem sido comum se deparar com notícias sobre a queda da Selic. Ela é um índice financeiro essencial para a economia e também afeta os seus investimentos. Por isso, muitos investidores se perguntam o que fazer agora que ela está em um patamar tão baixo.

Mas, você sabe do que se trata a taxa Selic e como os juros mais baixos impactam nos investimentos? Neste conteúdo, você entenderá mais sobre o assunto e verá as principais dicas para tomar decisões em um cenário como este.

Confira!

O que é Selic e qual a sua importância?

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é definida pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central. As decisões quanto ao percentual do índice financeiro são tomadas a cada 45 dias, após a equipe avaliar a situação econômica e as tendências do país.

Devido a sua importância, ela é atrelada a diversas transações financeiras. Por exemplo, é utilizada de parâmetro para empréstimos, financiamentos e outras atividades bancárias. Além disso, muitos investimentos em renda fixa utilizam a Selic ou um índice próximo a ela como base para os juros.

Quais os impactos da queda da Selic?

Primeiramente, é importante entender que a taxa Selic tem relação direta com a inflação. Ela é utilizada como uma forma de tentar controlar o aumento de preços. Logo, em um cenário de alta da inflação, é comum vermos o Banco Central (COPOM) aumentando a taxa Selic — na queda da inflação, a tendência é que a Selic seja reduzida.

É claro que nem sempre as mudanças na taxa são suficientes para o controle da inflação, mas ela cumpre papel importante no contexto. De outro lado, a Selic em queda traz impactos relevantes para os investimentos.

Na renda fixa, muitas aplicações (como LCIs, LCAs, CDBs) têm rendimentos de acordo com a Selic ou com um índice de valor aproximado a ela — o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Em outros casos, apesar de não ter relação direta, o investimento pode ser afetado pela queda de forma indireta. Já na renda variável, geralmente se espera uma subida do mercado com o corte da Selic, pois ele ajuda a impulsionar a economia.

Como aconteceu a queda da Selic

Desde julho de 2019 a taxa Selic passou a sofrer quedas recorrentes a cada nova decisão divulgada pelo COPOM, após suas reuniões. De 6% ao ano, na época, ela chegou a 2% em agosto de 2020 — menor patamar histórico. Assim, investidores com perfil mais conservador sentiram um impacto significativo nos seus rendimentos.

Um exemplo é em relação à aplicação mais popular no Brasil: a poupança. Quem deixa seus recursos nela pode sofrer com a perda de valor para a inflação, pois a rentabilidade está menor do que o índice inflacionário.

Isso acontece porque ela tem duas regras:

  • se a taxa Selic estiver acima de 8,5%, a poupança rende 0,5% ao mês, acrescida da Taxa Referencial (TR);
  • se estiver igual ou abaixo, como a Selic em 2%, a poupança renderá 70% da taxa, acrescida da TR.

Como a TR está zerada nos últimos anos, o único fator que influencia a poupança, na prática, é a Selic. Como consequência, manter o dinheiro investido nela pode acarretar em um retorno inferior à inflação.

Quais as alternativas para investir com a queda da Selic?

Diante do cenário de queda da Selic, muitos investidores se perguntam onde investir hoje para obter um bom retorno. Algumas pessoas falam, inclusive, que a renda fixa não é mais atrativa. Contudo, também é importante considerar outros aspectos dos investimentos, como segurança e liquidez.

Aplicações de renda fixa, mesmo com rentabilidade menor, continuam apresentando elementos importantes para investidores. Por isso, é preciso considerar tudo na hora de avaliar as opções de investimentos.

Veja a seguir algumas alternativas!

Investir na renda fixa

Mesmo com a queda da Selic, é possível encontrar rentabilidades acima da média — se é isso que você procura — sem perder a estabilidade da renda fixa. Existem títulos públicos e privados que oferecem retornos maiores.

Em geral, são alternativas que trazem um pouco mais de risco. Por exemplo, com prazos mais longos (e liquidez baixa) ou de instituições emissoras menos seguras. Então, vale a pena ponderar e avaliar as características principais antes de decidir.

Lembre-se de que a Selic em baixa não significa que você deve resgatar os títulos que tenham relação com ela ou excluir totalmente a renda fixa da sua carteira. A modalidade continua apresentando vantagens para perfis conservadores e objetivos de curto prazo, por exemplo.

Investir em renda variável

Com a queda da Selic, investir em renda variável pode ser uma opção atrativa para investidores que estejam abertos a maiores riscos. Como você viu, a baixa na taxa de juros pode estimular o crescimento da economia — em consequência, incentivar a bolsa de valores.

Assim, investir em ações, por exemplo, pode ser interessante. Entretanto, é preciso ter atenção na escolha dos seus investimentos. Afinal, os riscos são significativos, pois a cotação dos papéis pode variar bastante ao longo do tempo.

Muitos fundos de investimento também são alternativas na renda variável. Administrado por gestores profissionais, eles podem ser uma forma de diversificar investimentos sem precisar analisar as opções por conta própria.

Como escolher onde investir com a Selic baixa?

Conforme você viu, o mercado de investimentos apresenta alternativas variadas para quem deseja investir, mesmo com o cenário de queda da Selic. Porém, é preciso ter atenção ao fazer suas escolhas.

Apesar de existirem opções mais rentáveis, lembre-se de que a rentabilidade não é o único elemento que importa em um investimento. Também é preciso ter atenção aos riscos, à liquidez e, claro, aos seus objetivos e perfil.

Então, procure adotar três cuidados para encontrar os investimentos mais adequados para o seu caso:

  • identificar qual é o seu perfil de investidor e sua tolerância aos riscos;
  • entender quais são os seus objetivos;
  • avaliar as características dos investimentos (como liquidez, prazo, segurança etc.).

Compor uma carteira diversificada em renda fixa e variável pode ser um caminho para se expor a alguns riscos sem abrir mão da segurança.  Você pode contar com nosso serviço de assessoria de investimentos para entender melhor as alternativas.

Agora, você já sabe quais são os impactos da queda da Selic e viu como investir nesse cenário. Considerando as informações que demos, fica mais fácil fazer escolhas conscientes para lidar com seus investimentos!

Caso ainda tenha dúvidas, entre em contato com a Renova Invest! Estamos preparados para ajudar você a conhecer as alternativas de investimento disponíveis no mercado!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta


Postagens Relacionadas

Mais Lidos

Categorias

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.