O mercado imobiliário costuma atrair investidores que buscam mais diversificação para a carteira. Para tanto, uma das formas de investir no setor é pela aquisição de cotas de fundos imobiliários (FIIs). Agora, quem também deseja ter exposição internacional pode se interessar pelo ALUG11.

Trata-se de um ETF de REIT, ou seja, um fundo de índice que segue um indicador relacionado ao setor imobiliário internacional. No entanto, antes de investir nessa alternativa, é fundamental estudar os seus detalhes e características.

Quer saber mais? Continue lendo e aprenda tudo o que você precisa saber sobre o ALUG11 e como investir nesse ETF.

Não perca!

O que é ETF?

Sabendo que o ALUG11 é um ETF, vale entender o seu conceito e como funciona esse veículo financeiro. ETF é a sigla para exchange traded fund ou fundo de índice, como é conhecido no Brasil. Esse é um tipo de fundo de investimento que visa espelhar a performance de um benchmark.

Assim, para participar de seus resultados é preciso adquirir cotas na bolsa de valores. Já o capital do ETF é administrado por um gestor profissional, que fica encarregado de fazer as escolhas dos investimentos que serão realizados pelo fundo.

Como forma de remunerar o serviço prestado pelo gestor, o fundo cobra uma taxa de administração de todos os seus cotistas. Outro ponto importante é a composição do ETF, que conta com os mesmos ativos que integram a carteira teórica do índice escolhido.

Por exemplo, um ETF referenciado no Ibovespa, terá em carteira as ações das companhias de maior representatividade no Brasil — assim como o índice.

Já o lucro do investimento normalmente acontece com a valorização das cotas. Nesse caso, incide o Imposto de Renda sobre o ganho obtido com a venda.

Nos ETFs de renda variável, a alíquota varia de acordo com o tipo de operação realizada — sendo 20% para day trade (feitas no mesmo dia) e 15% para swing trade (feitas em dias diferentes).

O que são os REITs?

Por sua vez, REIT é a sigla para “real estate investment trust” — um investimento que se assemelha aos FIIs brasileiros. Na prática, são empresas constituídas para administrar e investir em imóveis — que obtêm e distribuem lucros com aluguéis, hipotecas, vendas etc.

A principal diferença entre REIT e FII é que o primeiro é uma companhia que atua no mercado imobiliário estadunidense e não é, necessariamente, um fundo de investimento. De toda a forma, a aquisição de ambos se assemelha à compra de uma ação.

Entretanto, por ser uma alternativa estrangeira, o investimento direto em REITs é feito por meio de uma corretora estrangeira. Isso faz com que o nível de burocracia envolvida e custos com a conversão de capital sejam maiores — podendo tornar a negociação desinteressante.

Mas, felizmente, existem formas alternativas de expor seu capital aos REITs, sem precisar sair do país. Uma delas acontece com o investimento em ETFs referenciado em índices compostos por REITs — como o ALUG11.

O que é o ALUG11?

Após conferir o conceito de ETF e REIT, fica mais fácil compreender o que é o ALUG11 e decidir se é uma opção interessante para a sua carteira.

Como você já aprendeu, o ALUG11 é um ETF de REIT que pode ser encontrado na B3 (a bolsa de valores brasileira). Assim, as letras ALUG seguidas do número 11 compõem o código de negociação (ticker) do ETF Investo MSCI US Real Estate.

Esse fundo fica sob gestão da Investo, uma gestora focada em ETFs, e começou a ser negociado na B3 em 29 de outubro de 2021. Seu objetivo é replicar a performance do ETF norte-americano VQN (Vanguard Real Estate), listado na NYSE — uma das bolsas dos Estados Unidos.

No mercado norte-americano, o VNQ possuía cerca de US$ 45 bilhões sob gestão em 2021. Já o índice de referência espelhado é o MSCI US IMI Real Estate 25/50 Index, um benchmark composto por mais de 150 empresas do setor imobiliário dos EUA.

Entre as principais companhias presentes na carteira do ALUG11 estão:

  • American Tower (T1OW34);
  • Alexandria Real Estate (A1RE34);
  • Medical Properties Trust (M2PW34);
  • Duke Realty (D1RE34);
  • Equity Residential (E1QR34);
  • entre outras.

A taxa de administração do ALUG11, em novembro de 2021, era de 0,48% ao ano, somada à taxa de administração do ETF VNQ (de 0,12% ao ano). No entanto, os valores podem mudar com o tempo.

Já em relação aos dividendos recebidos pelos REITs do ALUG11, eles são automaticamente reinvestidos pela Investo, aumentando o potencial de retorno do ETF.

Quais as vantagens e riscos de investir em ALUG11?

Uma das principais vantagens de investir em ETFs de REITs é a possibilidade de obter exposição internacional sem precisar retirar o capital do Brasil. Assim, você evita gastos com a abertura de contas no exterior, diferenças cambiais, Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), entre outros.

Outra vantagem é o nível de diversificação trazida ao seu portfólio. Como você viu, a carteira do ALUG11 é composta por diversas companhias norte-americanas. Nesse sentido, seus investimentos não estarão limitados ao mercado brasileiro.

Também vale destacar como benefício a dolarização de sua carteira. Considerando que os REITs do ALUG11 são negociados em dólar no mercado americano, você poderá aproveitar eventuais valorizações dessa moeda. Desse modo, você estará protegido contra variações cambiais.

Em relação aos riscos, embora os ETFs de REITs geralmente tenham maior previsibilidade e menor oscilações que ações, por exemplo, eles correm riscos semelhantes. Isso porque ambos pertencem à classe da renda variável. Portanto, crises econômicas ou setoriais podem afetar seu desempenho.

Como realizar esse investimento?

Chegando até aqui você provavelmente está curioso acerca da forma de investir em ETFs de REITs. Caso entenda que é um investimento que se enquadra no seu perfil e objetivos, o processo de aquisição é simples.

O primeiro passo será abrir conta em um banco de investimentos de sua preferência. Ele lhe fornecerá acesso ao home broker — a plataforma que insere o investidor no ambiente de negociações da bolsa.

No home broker, será preciso digitar o ticker ALUG11, a quantidade de cotas desejada e o preço a pagar. Depois basta lançar a ordem de compra. Quando houver um vendedor interessado na sua oferta, a B3 executará e processará sua ordem.

Assim, em poucos dias os ETFs serão incluídos na sua carteira. Por fim, basta acompanhar o seu desempenho, seguindo as suas estratégias.

Como você conferiu, o ALUG11 é um ETF que investe em empresas vinculadas ao mercado imobiliário americano. Logo, pode ser uma opção para diversificar internacionalmente a sua carteira, aumentando o nível de proteção dos seus investimentos.

Ficou com alguma dúvida acerca dos ETF de REITs? Entre em contato com um de nossos assessores e veja como podemos ajudar!

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!