Ao escolher quais investimentos devem fazer parte da sua carteira, você não precisa se limitar ao mercado nacional. Também existe a chance de investir no exterior e se expor a mercados distintos. É o que acontece ao investir nos EUA.

Com essa decisão, você poderá aproveitar as oportunidades que o ambiente norte-americano tem a oferecer e alinhá-las à sua estratégia. Porém, também é preciso saber quais investimentos podem ajudá-lo nessa tarefa.

Na sequência, descubra como investir nos Estados Unidos por meio do mercado brasileiro!

Como funciona o mercado americano?

Mesmo que a ideia seja acessar os investimentos americanos pela bolsa brasileira, entender como funciona o mercado dos EUA faz a diferença. Aqui, um dos pontos mais importantes é que os Estados Unidos possuem mais de uma bolsa de valores, diferentemente do Brasil que tem apenas uma.

Existe, por exemplo, a New York Stock Exchange, conhecida como NYSE. Ela é uma das mais tradicionais do mundo e deu origem ao índice NYSE Composite. Esse indicador é formado pelas principais e mais negociadas companhias desse mercado organizado.

Outra bolsa americana importante, e mais recente, é a National Association of Securities Dealers Automated Quotations (Nasdaq). Ela tem uma grande presença de empresas de tecnologia, mas não se limita a elas. Quanto aos índices, o NASDAQ Composite e o NASDAQ-100 são os mais relevantes.

Além desses três índices citados, o mercado americano tem outros indicadores de destaque. Um dos mais importantes é o S&P 500, desenvolvido pela agência de avaliação de risco Standard & Poor’s.

A carteira teórica do indicador é composta pelas 500 ações mais relevantes e negociadas de todo o mercado americano.

Por que investir nos EUA?

Com base nas características de funcionamento do mercado, já é possível notar que o investimento nos Estados Unidos pode ser interessante. Um dos motivos é o fato de esse ser o maior mercado de capitais do mundo.

Logo, ele oferece um grande volume de oportunidades, contemplando diferentes investidores. Além disso, o mercado norte-americanoi é muito sólido, o que ajuda a tornar os investimentos mais atraentes.

Outro ponto envolve a força da economia dos Estados Unidos. Como o país tem a maior economia do mundo, o investimento nos EUA traz a oportunidade de aproveitar esses resultados e o crescimento.

Qual é a importância da diversificação internacional?

Entendendo mais sobre o mercado dos EUA, é hora de entender mais sobre a importância de fazer a diversificação da carteira no exterior. Primeiro, vale destacar que, com a estratégia, seus recursos não ficam expostos apenas às condições do mercado brasileiro.


Isso pode ajudar a diminuir os riscos e a melhorar o resultado. Afinal, ao recorrer a uma oportunidade de investimento no exterior, seu patrimônio não é completamente afetado pelos movimentos internos.

Por exemplo, uma queda no mercado brasileiro não afetará, necessariamente, os investimentos nos Estados Unidos. Além disso, é uma maneira de dolarizar parte da sua carteira.

Com a exposição à moeda internacional, você protege parte do seu dinheiro da variação cambial e pode até aproveitá-la, pela conversão. Logo, investir fora do Brasil pode ser uma forma de diminuir os riscos e de aumentar a possibilidade dos ganhos por meio da diversificação de investimentos.

Como investir nos EUA?

Agora que você entende o potencial de investir nos Estados Unidos, vale a pena conhecer as oportunidades para colocar a estratégia em prática. Além de avaliar os aspectos de cada investimento, você deve considerar seu perfil de investidor e seus objetivos.

Assim, é possível fazer uma escolha alinhada com a sua estratégia e que atenda às suas características principais como investidor. Considerando esse aspecto, veja quais são as oportunidades para quem deseja investir nos EUA!

ETFs

Os exchange traded funds (ETFs) também são chamados de fundos de índice. Eles são fundos de investimento, então preveem a aquisição de cotas para participação nos resultados.

Os recursos são movimentados por um gestor profissional, que define como deve ocorrer a alocação e realiza as operações. No caso dos ETFs, especificamente, o fundo busca replicar a carteira teórica de um indicador de mercado.

Logo, o investimento em um ETF que replica o S&P 500, por exemplo, permite que você aproveite os resultados das ações americanas. Isso pode ser feito, por exemplo, pelo ETF IVVB11, que é ligado a esse indicador americano.

Também existem outras oportunidades — como o NASD11, que segue o Nasdaq-100, ou o USTK11 replica o portfólio de um indicador de empresas norte-americanas de tecnologia.

Fundos internacionais

Os fundos internacionais se caracterizam pela alocação da maior parte dos recursos a ativos ligados ao mercado internacional. Eles são encontrados nas plataformas dos bancos de investimentos e apresentam estratégias distintas.

Portanto, você pode escolher essa alternativa para aproveitar oportunidades relacionadas ao mercado dos Estados Unidos. Contudo, é preciso avaliar com cuidado a carteira e a estratégia para ter a certeza de que a escolha é adequada para a sua realidade.

Outro ponto de atenção é que os fundos internacionais estão disponíveis apenas aos investidores qualificados. Ou seja, aqueles com mais de R$ 1 milhão investidos ou que possuem certificações do mercado financeiro.

BDRs

O investimento em BDR é mais uma possibilidade para aproveitar o mercado dos Estados Unidos. Sigla para brazilian depositary receipt ou certificado de depósito de valores mobiliários, esse é um investimento com lastro em ativos internacionais.

Na prática, os BDRs são negociados diretamente na B3 e podem ser de ações, ETFs ou títulos internacionais de dívidas. Com isso, há muitas possibilidades para se expor ao mercado dos EUA.

Por exemplo, existem BDRs de ações da Apple (APPL34), Google (GOOGL34) e Netflix (NFLX34). Também é possível encontrar BDRs de ETFs. É o caso do BIVB39, que faz referência ao ETF IVV e que replica o S&P 500.

Em todos os casos, uma das principais vantagens de escolher os investimentos disponíveis no mercado brasileiro é a praticidade. Afinal, você não precisará abrir uma conta em outro país e nem terá que observar regras diferentes, por exemplo.

Ainda, não terá que fazer transferências internacionais e converter o câmbio, o que favorece sua capacidade de aporte.

Com base nessas informações, foi possível perceber que investir nos EUA traz muitas opções e pode ajudá-lo a diversificar a carteira internacionalmente. Assim, considerando o seu perfil e objetivos, é possível selecionar a alternativa ideal para compor a sua carteira.

Se precisar de ajuda para conhecer melhor as possibilidades, aproveite a assessoria de investimentos da Renova Invest. Entre em contato e fale com um de nossos assessores!