Busca de Artigos no blog

Investindo em ETFs: tudo o que você precisa saber!

: investindo em ETFs
: investindo em ETFs

É cada vez mais comum ver pessoas investindo em ETFs — no Brasil e no mundo. Com características interessantes em seu funcionamento, essa modalidade tem conquistado mais adeptos no mercado brasileiro. Antes disso, ela já era conhecida no exterior.

Um dos principais atrativos dos fundos de índice, como são chamados, está na possibilidade de diversificar investimentos. Contudo, nem todos os investidores conhecem essas alternativas ou entendem as oportunidades que elas podem trazer para suas carteiras.

É esse o seu caso? Então acompanhe a leitura para entender o que são ETFs e o que você deve considerar antes de investir!

O que é ETF?

Os exchange traded funds (ETFs) —ou fundos de índice — são tipos de fundos de investimento de gestão passiva. Ou seja, ele não tem como objetivo ter um desempenho superior a um benchmark — apenas busca replicá-lo.

Para que você possa entender, uma das notícias mais comuns no mercado financeiro brasileiro tem relação com a alta ou queda do Ibovespa — você já ouviu falar sobre ele? Esse é um dos principais índices da bolsa de valores brasileira, a B3.

O Ibovespa reúne as empresas mais negociadas na bolsa. Por isso, representa um termômetro do mercado de ações. Isso significa que, se ele subiu 5%, boa parte das ações que compõem sua carteira teórica encerraram o dia em alta — influenciando a bolsa como um todo.

Desse modo, ao investir em um ETF que replica esse índice, o investidor terá um resultado igual ou similar. Assim, os fundos de índice visam realizar os investimentos conforme a carteira teórica do indicador que seguem. Logo, podem apresentar praticidade e potencial de diversificação.

Como funcionam os fundos de índice?

Como você viu, os ETFs contam com uma gestão passiva. Assim, seus resultados não serão superiores ao de seu índice, já que o objetivo é acompanhá-lo. Esse é um ponto que os diferencia de grande parte dos outros fundos de investimentos — que têm gestão ativa.

Também existem diversos tipos de ETFs disponíveis. Embora os de ações possam ser os mais comuns, há fundos de índices em outras modalidades e classes. É possível, por exemplo, investir em ETFs de renda fixa ou que acompanham fundos imobiliários (FIIs).

Para acompanhar os índices, o mais habitual é que o gestor busque adicionar ao portfólio do ETF os mesmo ativos, derivativos ou produtos que compõem a carteira teórica dos indicadores. É dessa forma que eles obtêm resultados similares.

As cotas dos ETFs são negociadas na bolsa de valores — tal qual as ações. No entanto, é preciso saber que os fundos de índice não repassam proventos aos cotistas. Esse valor é reinvestido no próprio fundo — ajudando a aumentar o patrimônio e valorizar as cotas.

Quais as vantagens de investir em ETFs?

Agora que você entendeu as principais características dos ETFs, vamos às vantagens? Esse tipo de investimento tem potencial de trazer uma série de pontos positivos para a sua carteira — como maior rentabilidade.

Saiba mais!

Diversificação da carteira

A diversificação é uma marca da maioria dos ETFs. Afinal, os índices costumam reunir ativos variados de um mercado ou setor. Desse modo, com o aporte em um único fundo, os investidores têm acesso a uma carteira variada de investimentos.

Por isso, os ETFs têm sido vistos como uma alternativa mais segura que o stock picking por muitos investidores. Essa estratégia consiste em selecionar de forma autônoma ações — o que pode trazer mais riscos.

Baixo custo para investir

Outro ponto que atrai muitos investidores para os ETFs é o baixo custo para investir. Na B3, por exemplo, um dos principais indicadores é o Índice Brasil 50 — que representa o desempenho das 50 ações mais negociadas.

Contudo, comprar todos esses papéis individualmente envolveria bastante dinheiro. Por isso, investir no PIBB11 — um ETF que acompanha esse índice — é uma forma de se expor aos resultados dessas empresas com menor custo e mais praticidade.

Transparência nos resultados

Além dos pontos acima, outra vantagem dos ETFs é a transparência nos resultados. Ao investir nessa modalidade, o investidor já deve saber os ativos que compõem a carteira e os critérios do índice que é usado como referência.

Contudo, é importante ter em mente que transparência não significa previsibilidade. Como o assunto é renda variável, não há garantia de retornos positivos. Assim, quando o indicador está em baixa, o fundo de índice que o acompanha também estará.

Quais os riscos envolvidos?

Você já deve saber que não há um investimento perfeito, não é? Até mesmo na renda fixa, com a previsibilidade de retorno, existem algumas desvantagens. Por isso, com os ETFs essa situação não é diferente.

O principal elemento que os investidores devem considerar é que os exchange traded funds, como você viu, são de renda variável. Mesmo aqueles que focam na renda fixa têm suas cotas negociadas na bolsa. Portanto, não contam com garantias de retorno e estão sujeitos à volatilidade do mercado.

Além disso, para quem busca tornar seus investimentos em uma fonte de renda passiva, os ETFs podem não ser a melhor alternativa. Como o repasse de dividendos não faz parte da estratégia desses fundos, os investidores devem vender as cotas valorizadas para obter lucros.

O que levar em conta ao escolher um ETF?

Antes de fazer seus aportes em ETFs, é fundamental levar alguns pontos em consideração. O primeiro deles está relacionado ao seu perfil de investidor — isto é, a sua tolerância aos riscos durante os investimentos.

Em geral, a renda variável é recomendada para investidores arrojados e moderados. Contudo, as características dos ETFs podem torná-lo uma adição a ser considerada para a carteira de investidores iniciantes ou conservadores que gostariam de experimentar a renda variável.

Além desse ponto, também é imprescindível traçar objetivos para investir. Os ETFs normalmente se adaptam melhor a carteiras que tenham foco no longo prazo e pessoas que busquem ganhos com a valorização das cotas.

Por fim, é preciso entender qual é o índice que o fundo toma como referência. Como você viu, há diversos indicadores que o ETF pode buscar refletir. Assim, você deve conhecer as opções antes de iniciar seus aportes.

Como investir em ETFs?

Você já sabe que o fundo de índice é uma modalidade disponível na bolsa de valores. Logo, para investir em ETFs é preciso ter conta em um banco de investimentos e acessar o home broker. Depois, basta buscar pelo ticker dos fundos de sua preferência e emitir a ordem de compra.

É cada vez mais comum ver investidores aprendendo e investindo em ETFs. De fato, as características desses fundos podem ser interessantes para compor diversas carteiras — das iniciantes às mais experientes. Para avaliar essa opção, não deixe de considerar sua estratégia!

Quer investir em ETFs? Então conheça todas as alternativas disponíveis na bolsa de valores!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.