Horário das 8:30-19:00
atendimento@renovainvest.com.br
11-3192-3882

Single Blog Title

This is a single blog caption
cuidados ao investir em fundos

8 Coisas que você deve considerar antes de investir em fundos

//
Posted By
/
Comentário0
/
Categories

Antes de investir o seu dinheiro em fundos, reserve 3 minutos para ler esse conteúdo que preparamos com as 8 coisas que você deve considerar antes de investir em fundos. São dicas fundamentais para não colocar o seu dinheiro em risco e evitar frustrações futuras. O numero 5 é o mais importante. 

Fundos de investimento podem oferecer oportunidades interessantes para investidores. A diversidade é uma das vantagens desta modalidade de investimento, já que existem fundos com características bem diferentes entre si para sua escolha.

Mas você sabe o que avaliar antes de investir em fundos? Responder a essa pergunta é essencial para tomar decisões eficientes em relação à sua carteira de investimentos. Afinal, é necessário saber como encontrar as melhores alternativas para seus objetivos.

Queremos ajudá-lo nessa missão! Por isso, preparamos um artigo especial com 8 aspectos que devem ser levados em consideração antes de escolher fundos de investimento para investir. Confira!

 

1. Perfil de investidor

Não podíamos começar esta lista com um fator diferente a observar. O seu perfil de investidor deve ser considerado não apenas quando se fala em fundos, mas em qualquer investimento.

As alternativas do mercado financeiro envolvem diferentes graus de exposição ao risco. E cada investidor também tem seus próprios níveis de abertura ou fechamento a estes riscos dos investimentos. Logo, é importante se avaliar.

Como os fundos de investimentos são muito diversos, existem opções para todos os perfis de investidor. Assim, mesmo pessoas mais conservadoras podem gostar dos produtos disponíveis no mercado.

Sabendo seu perfil, portanto, você consegue identificar os fundos que melhor se adéquam a ele e fazer escolhas de investimento mais acertadas.

 

2. Objetivos

Outro ponto que merece atenção antes de investir em fundos são os seus objetivos para a quantia investida. Por exemplo, quem deseja segurança provavelmente escolherá fundos de investimentos diferentes do que aqueles que buscam maior rentabilidade.

Além disso, outros objetivos específicos podem ser analisados. Fundos que investem em câmbio costumam atrair o interesse de quem tem o intuito de viajar ou realizar compras em moeda estrangeira no futuro.

Outros fundos, como os fundos imobiliários, podem ser atrativos para quem busca renda passiva. Enfim, é interessante considerar seus objetivos — inclusive, pensando em quanto você tem disponível para investir e qual o período em que pretende deixar o dinheiro reservado.

 

3. Tipo de fundo

Entender os tipos de fundos de investimentos disponíveis é mais um elemento necessário para quem deseja investir com eficiência. Existem alguns tipos principais de fundos: de renda fixa, cambiais, imobiliários, de ações, multimercados, etc.

As diferenças entre cada um deles dizem respeito aos ativos que fazem parte do portfólio do fundo. Em geral, o nome indica onde está investido o maior percentual da carteira. Então, fundos de renda fixa são aqueles que privilegiam os títulos públicos e a renda fixa privada.

Em contraponto, fundos cambiais têm preferência por ativos ligados ao câmbio e fundos imobiliários investem no mercado de imóveis. Os fundos de ações, claro, têm maior percentual investido em papéis da bolsa de valores, enquanto os multimercados adotam estratégias variadas.

 

4. Vantagens

Fundos de investimento apresentam vantagens gerais e também benefícios específicos dependendo do seu tipo. Em regra, podemos citar o trabalho de gestores como uma das principais vantagens dos fundos de investimento.

Afinal, ao se tornar cotista de um fundo, você participa dos resultados de um portfólio montado por um investidor profissional.

Outra vantagem dos fundos é a diversificação. Fazer parte de um fundo é, normalmente, ter uma estratégia mais diversificada do que comprar os ativos individualmente, por exemplo. Isso porque com apenas uma cota é possível compartilhar dos lucros de ativos diversos que compõem o portfólio do fundo.

Os demais benefícios dependem de cada tipo de fundo de investimento. No caso dos fundos de renda fixa, a segurança é uma vantagem. Já os fundos de ações ou multimercado, como costumam ser mais arrojados, podem apresentar o benefício de maior potencial de rentabilidade.

 

5. Riscos

Antes de investir em fundos — e nas demais alternativas do mercado financeiro — você precisa saber que qualquer investimento envolve riscos. Logo, eles são mais um dos fatores para serem analisados.

Assim como as vantagens, os riscos também estão relacionados aos tipos de fundos. Nos de renda fixa o perigo será menor, pois o foco está em aplicações mais estáveis e com mais fatores de segurança.

Outros tipos podem ser mais adequados para investidores moderados ou arrojados. Cada fundo terá determinado perfil de risco.  Assim, não é indicado investidores conservadores, por exemplo, adquiram cotas de fundos mais arrojados.

 

6. Gestão

Não deixe de conferir detalhes sobre a gestão antes de investir em fundos. É possível avaliar a qualidade dos gestores ao checar as informações do fundo.

Uma das informações relevantes é saber se a gestão é ativa ou passiva. A ativa representa maior atuação do gestor, porque ele aproveita variações do mercado para negociar investimentos. Já uma gestão passiva não apresenta uma movimentação tão frequente por parte desse gestor.

Ainda sobre a gestão, é aconselhável que você avalie o histórico de rentabilidade do fundo. Saber o quanto ele lucrou no passado não é garantia em relação ao lucro futuro, mas pode apontar alguns indicadores da qualidade do gestor.

7. Taxas

Fundos de investimentos apresentam algumas taxas específicas ao funcionamento deles. A principal é a taxa de administração, que remunera o trabalho do gestor. A maior parte dos fundos cobram dos cotistas um determinado valor – de acordo com a quantidade de cotas que o investidor possui.

A taxa de administração pode variar bastante entre os fundos. Logo, é importante conhecê-la antes de investir. A taxa de performance é outra cobrança que pode acontecer. Ela se refere a um pagamento extra feito quando o gestor conquista resultados acima do esperado.

Além dessas, fique atento a possíveis taxas de corretagem cobradas pelas corretoras ou bancos de investimentos em cima das negociações de cotas de fundos. E não se esqueça dos impostos — que também podem ser diferentes, a depender do tipo de fundo.

8. Liquidez

Por fim, antes de se tornar cotista em um fundo de investimentos considere a liquidez oferecida por ele. Existem fundos que têm liquidez diária, ou seja, o investidor pode resgatar seu dinheiro e recebê-lo no mesmo dia ou no próximo dia útil.

Alguns fundos têm um prazo maior para o saque — que podem ser de dias ou semanas. Outros não permitem a saída do fundo a qualquer momento. Nesses, os investidores só podem se desfazer de suas cotas e resgatar o dinheiro na data de vencimento determinada.

Há, ainda, aqueles cujas cotas são negociadas em bolsa – como é o caso dos fundos imobiliários. Quem investe neles pode vender suas cotas durante o pregão. Entretanto, apesar de oferecerem, muitas vezes, alta liquidez, é preciso ficar atento ao risco de mercado – que pode fazer o investidor perder dinheiro caso as cotas estejam valendo menos do que quando você comprou.

Avaliar os 8 pontos que citamos neste artigo antes de investir em fundos permitirá um maior controle dos riscos e dos benefícios na sua carteira de investimentos. Os fundos podem ser ótimas opções para investir, desde que sejam avaliados com cuidado e estejam alinhados ao seu perfil e objetivos.

E então, este post trouxe informações úteis? Você ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe um comentário ou entre em contato conosco!

Leave a Reply

[name=SIGNUP_SUBMIT_BUTTON]
[name=SIGNUP_SUBMIT_BUTTON]
[name="SIGNUP_FORM_LABEL"]
[name="SIGNUP_FORM_LABEL"]
[name='SIGNUP_BODY']
[name='SIGNUP_BODY']