Quem pesquisa o mercado financeiro certamente já se deparou com o nome de Warren Buffett e sua empresa: a Berkshire Hathaway. Ele é conhecido como oráculo de Omaha e já ocupou a posição de pessoa mais rica do mundo.

Você conhece a trajetória dele e de sua empresa? Saber mais sobre o assunto pode melhorar suas referências e trazer ótimos conhecimentos acerca de investimentos. Assim, que tal se inspirar com a história do grande investidor e descobrir seus fundamentos?

A seguir você aprenderá quem é Warren Buffett e como surgiu a Berkshire Hathaway. Acompanhe!

Quem é Warren Buffett?

Warren Buffett nasceu em Omaha, nos Estados Unidos, no ano de 1930, época da Grande Depressão. Ele é filho de um corretor de Ações e uma editora de jornais. Seu pai perdeu o emprego na época de sua infância e fundou uma empresa de investimentos.

Desde cedo Buffett gostou de estudar sobre investimentos, principalmente por meio da biblioteca do seu pai. Quando tinha 11 anos comprou suas primeiras Ações na bolsa: três papéis da Citgo, dona de refinarias e distribuidoras de combustível.

Além de investir, ele também começou a trabalhar cedo. Para complementar a mesada que recebia, passou a entregar jornais e vender mercadorias de porta em porta. O menino fazia as entregas às seis horas da manhã.

Nos anos seguintes continuou investindo, mas seu pai o pressionou para entrar em uma faculdade.  Ele se formou aos 19 anos em Administração. Depois se inscreveu em um mestrado com o economista David Dodd, na Universidade de Columbia.

O investidor fundou a Buffett Partnership em 1956, uma companhia com foco em gerenciar investimentos. Ele não cobrava taxa de administração, o que era um diferencial à época. Contudo, havia uma taxa de performance: 25% de todos os ganhos acumulados que ultrapassassem 6%.

Como surgiu a Berkshire Hathaway?

A Berkshire Hathaway surgiu em 1955, após a fusão da Berkshire Fine Spinning Associates com a Hathaway Manufacturing Company. Ela era uma empresa do ramo têxtil, mas também fazia comércio com a China e lucrava com a caça de baleias.

Nessa época ela possuía mais de dez mil funcionários e US$ 120 milhões de receita. Contudo, o negócio começou a decair e anos depois já tinha vendido diversas plantas industriais e demitido a maioria dos empregados.

Em 1962 Warren Buffett começou a comprar Ações da empresa. Ele notou um padrão que se repetia sempre que ela fechava uma fábrica, e passou a lucrar com essas operações. Em 1964, o presidente da Berkshire fez uma oferta a Buffett para comprar todos os seus papéis, mas ele rejeitou.

Depois disso, Buffett comprou ainda mais ativos da companhia, até que assumiu totalmente o controle e demitiu o antigo presidente. No começo, ele manteve o foco no ramo têxtil, mas no final da década de 1960 investiu e adquiriu participações em outras áreas.


Hoje a Berkshire Hathaway é uma holding com propriedade total da Duracell, GEICO, Halzberg Diamonds e Dairy Queen.

Em quais empresas a Berkshire investe?

A holding controlada por Warren Buffett tem uma carteira de investimentos com diversas Ações. Em 2019, ela investia em, pelo menos 47 empresas. Porém, 5 delas compunham quase 70% do valor investido.

Uma delas é a American Express. Warren Buffett começou a investir nessa empresa em 1963. Hoje, a Berkshire Hathaway tem uma posição de quase US$ 19 bilhões na companhia de cartões de crédito.

A holding também possui papéis da Coca-Cola Company, com uma posição de mais de US$ 20 bilhões. Outra empresa importante é a Wells Fargo, uma instituição financeira — nela, os ativos são também na casa dos US$ 20 bilhões.

As duas empresas que a Berkshire mais possui ativos em valor de mercado são o Bank of America e a Apple. A holding comprou US$ 5 bilhões em Ações do banco em 2011, logo após uma crise financeira. Hoje a participação vale cerca de US$ 27 bilhões.

Já na companhia de tecnologia, que é responsável por produtos famosos no mundo inteiro, como o iPhone, a participação é de US$ 50 bilhões.


Os 6 fundamentos de Warren Buffett

Em 2020 Warren Buffett completou 90 anos. Em comemoração, o site CNBC compilou os 6 fundamentos e conselhos que o investidor mais repete. Confira a seguir:

1. Pense a longo prazo

O primeiro conselho de Buffett é sempre pensar em longo prazo. Ele não vê a bolsa como possibilidade de curto prazo, mas de maturação para o futuro. Assim, o investidor decide se um investimento vale a pena e se ele acredita que terá resultados consistentes e duráveis.

2. Mantenha os planos

Warren Buffett já disse que os mercados são racionais, mas às vezes fazem coisas malucas. Por isso, um dos seus fundamentos é manter os planos. Seu conselho aqui é não entrar em pânico e vender os ativos por conta de notícias pontuais, por exemplo.

3. Case com a pessoa certa

Buffett já disse que a maior decisão da sua vida é escolher a pessoa com quem casará. Para ele, é preciso se associar com pessoas com a personalidade que gostaria de ter. O investidor foi casado com Susan Buffett por quase 30 anos, ela faleceu em 2004.

Atualmente, sua esposa é Astrid Menks, com quem se casou em 2006.

4. Compre Fundos de Índice

Apesar de investir diretamente em Ações, Buffett já disse diversas vezes que investir em Fundos de Índice é uma forma inteligente de controlar riscos. Ele os utiliza como uma forma de fazer hedge da carteira para aumentar a segurança dos investimentos pela diversificação.

5. Invista em você mesmo

Em 2019 Buffett disse que o melhor investimento que se pode fazer é em si mesmo. Ele enfatizou a necessidade de se comunicar melhor, tanto pessoalmente como por escrito. Além disso, ressaltou que é fundamental cuidar do corpo e da mente, principalmente quando ainda se é jovem.

6. Lembre-se que dinheiro não é tudo

Apesar de ser uma das pessoas mais ricas do mundo, Buffett não usa o patrimônio como uma medida de sucesso. Segundo ele, tudo se resume às pessoas que são próximas e que você ama. Por isso, é fundamental não deixar o dinheiro ditar os seus relacionamentos.

Agora você já conhece a história de Warren Buffett e da Berkshire Hathaway, sua holding. Vale a pena ter em mente os fundamentos do investidor na hora de operar no mercado financeiro e de viver melhor. Assim conseguirá gerenciar os riscos e planejar os seus investimentos!

Gostou deste conteúdo? Que tal aprender de uma vez por todas o que são e como funcionam as Ações?