Ao investir em ações, é possível ter lucros com a sua venda em um preço mais elevado do que adquiriu ou também com o pagamento de proventos pelas empresas. Dentre eles, podemos destacar dividendos e JCP (juros sobre capital próprio), que são os mais frequentes.

Ambos têm características semelhantes, mas também distinções que precisam ser consideradas. Assim, é possível analisar as vantagens e as desvantagens de cada um para selecionar os ativos com melhor potencial para o seu planejamento e estratégia de investimentos.

Neste artigo, você entenderá o que são esses conceitos e como obter rentabilidade com o foco no recebimento de proventos. Vamos lá?

O que são proventos?

Os proventos são benefícios e formas de remuneração que as empresas de capital aberto podem oferecer aos seus investidores. Além das ações, os fundos imobiliários (FIIs) e o BDRs (brazilian depositary receipts) também podem distribuir alguns tipos de proventos.

Quando se fala em ações, eles podem ser oferecidos na forma de dinheiro ou em outras vantagens — por exemplo, com mais ações ou direito de comprar novos papéis. No caso de dividendos e JCP, as empresas fazem a distribuição de parte do seu lucro.

Algumas companhias que precisam desenvolver seus projetos podem optar por reinvestir o lucro em seu crescimento em vez de distribuir. As informações sobre o pagamento dos proventos podem ser consultadas no estatuto e no histórico da empresa para saber se existe uma tradição dessa oferta.

O que são dividendos?

Como você viu, os dividendos são um tipo de provento que pode ser pago pelas empresas ou fundos imobiliários aos investidores. Essa é a maneira mais comum de distribuição do lucro apurado — e também a mais conhecida.

Os dividendos são distribuídos depois que os emissores quitaram o Imposto de Renda (IR). Por essa razão, os investidores ficam isentos do tributo. A distribuição é feita de forma proporcional à quantidade de papéis ou cotas que cada investidor detém.

Cada empresa ou fundo pode determinar o percentual e a frequência de pagamento. Essas informações devem estar descritas no estatuto ou lâmina do investimento.

No caso de companhias com capital aberto, é realizada uma assembleia geral ordinária de acionistas. Nela, a empresa apresenta a demonstração de resultados do exercício (DRE) e a proposta de dividendos, que dependem de aprovação.

O que são juros sobre capital próprio?

Os JCP são semelhantes aos dividendos, porém, sem a isenção do IR. Nesse caso, as companhias declaram o provento como despesa. Isso permite repassar o custo do Imposto de Renda para os investidores.

A alíquota é de 15% e fica retida na fonte. Ou seja, você já recebe o valor com desconto do IR. Apesar de terem o ponto negativo da cobrança do imposto, eles podem trazer mais ganhos aos acionistas.

Isso porque proporcionam uma vantagem para as empresas — que podem decidir distribuir mais JCP para cadastrar como custo. Assim, a companhia pode distribuir uma parte do lucro em dividendos e uma maior como JCP, por exemplo.

Quais são as vantagens de investir pensando em dividendos e JCP?

O principal fator que leva investidores a selecionarem seus ativos com foco em dividendos e em JCP é a possibilidade de adquirir uma renda passiva. Para algumas pessoas, aposentar-se e viver de renda pode ser o objetivo de longo prazo.

Esse recebimento também permite reinvestir o dinheiro e aumentar o patrimônio ou ter uma quantia a mais para o seu uso pessoal. Além disso, pode estar ligado a uma carteira mais segura e menos vulnerável à volatilidade, pois costuma envolver empresas e fundos consolidados.

Ademais, o retorno acumulado com os dividendos se soma ao que pode ser obtido com a venda dos papéis em caso de valorização. Desse modo, investir com foco em dividendos tem a capacidade de se mostrar uma alternativa vantajosa para quem busca incrementar os ganhos na renda variável.

Como investir para viver de proventos?

Agora que você sabe o que são e como funcionam os dividendos e JCP, é preciso conhecer os caminhos para recebê-los. Confira a seguir dicas para investir com foco no recebimento de proventos!

Conheça seu perfil de investidor e objetivos

O primeiro aspecto a se considerar antes de fazer qualquer investimento é o seu perfil de investidor. Como as alternativas que pagam proventos fazem parte da classe da renda variável, é preciso ter a consciência de que elas oferecem riscos que devem ser alinhados à sua tolerância.

Apesar de as empresas consideradas boas pagadoras de proventos geralmente serem mais sólidas, elas não são isentas de risco. Ainda há uma exposição à volatilidade do mercado. Da mesma forma, é preciso considerar seus objetivos, ponderando que essa é uma estratégia de longo prazo.

Saiba quais são os investimentos possíveis

Se os investimentos nessas alternativas estiverem adequados ao seu perfil, o próximo passo é selecionar os ativos para compor a carteira. Para isso, é preciso analisar as informações de cada um deles para verificar as definições dos proventos.

Além das ações, você viu que fundos de investimentos imobiliários também têm o costume de distribuir dividendos. Inclusive, isso pode acontecer em uma maior frequência — até mesmo mensalmente.

Realize uma análise das empresas e fundos

A análise fundamentalista das empresas e fundos é muito importante para selecionar as melhores opções para a sua carteira. É possível utilizar diversos indicadores para compreender os fundamentos.

Além disso, você também pode contar com indicadores que ajudam a verificar o pagamento de proventos e a média de valor. Um dos principais é o dividend yield (DY), que mostra o retorno em dividendos em relação ao custo do aporte.

Diversifique os investimentos

A diversificação dos investimentos é uma estratégia sempre válida para obter benefícios no mercado financeiro. Se a sua meta é viver de renda ou contar com um retorno regular de proventos, a seleção de ativos diferentes pode contribuir de várias formas.

Com isso, há maiores chances de equilibrar os riscos e de aproveitar oportunidades diferentes. Uma carteira focada em obter proventos também traz a possibilidade de considerar a frequência de cada um deles para alcançar uma rentabilidade mais regular.

Assim, você pode, por exemplo, manejar os seus aportes de forma que o portfólio alcance o recebimento de proventos mensais.

Saber o que são proventos, bem como compreender o funcionamento dos dividendos e dos JPC ajuda a analisar a possibilidade de investir pensando em obter esse benefício. Portanto, avalie se essa proposta está alinhada ao seu perfil e se pode contribuir com seus objetivos!

Como vimos, os FIIs são uma opção para quem deseja receber proventos. Por isso, veja também como escolher bons fundos imobiliários!

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!