Um dos objetivos de diversos investidores é montar uma carteira de investimentos que equilibre risco e rentabilidade. Nesse sentido, a Teoria de Markowitz pode ajudar a criar um portfólio sólido e que atenda às suas expectativas.

Também conhecida como Teoria Moderna de Portfólios, a estratégia desenvolvida por Markowitz é utilizada por diversos investidores ao redor do mundo. Então, se você investe, provavelmente já teve contato com ela. Porém, mesmo nesse caso, vale a pena se aprofundar sobre o tema.

Neste artigo, você conhecerá a Teoria de Markowitz e entenderá como ela funciona e como pode ser utilizada no momento de estruturar uma carteira de investimentos.

Vamos lá?

Quem foi Markowitz?

Harry Max Markowitz é um dos principais economistas dos Estados Unidos. Nesse sentido, uma de suas principais contribuições foi a criação da Teoria Moderna de Portfólio, que também ficou conhecida como Teoria de Markowitz.

Além disso, ele foi um dos primeiros profissionais da área de Economia a estudar e aplicar a estatística em investimentos. Por meio de cálculos e gráficos, Markowitz mostrou como é importante diversificar e rebalancear o portfólio.

Suas pesquisas também comprovaram a importância da diversificação para diminuir os riscos e aumentar os resultados obtidos com os investimentos. Ademais, ele propôs um modelo estatístico para calcular o tamanho ideal de uma carteira.

Esse modelo tem como objetivo definir quantos ativos representam a diversificação mais adequada para ter os resultados desejados. Vale destacar que as ideias de Markowitz ainda influenciam a forma como os investidores montam suas carteiras.

O que é a Teoria de Markowitz?

Como visto, a Teoria de Markowitz foi criada pelo economista Harry Markowitz e publicada pela primeira vez em 1952. Na prática, ela visa estabelecer um nível de retorno para a carteira considerando certo grau de risco. Para tanto, a teoria é baseada na diversificação.

Nesse sentido, é fundamental ter atenção à falsa diversificação. Isso acontece, por exemplo, quando existem diversos ativos e produtos financeiros na carteira, mas todos com características semelhantes. Nesse caso, não é possível dizer que o portfólio está diversificado.

Assim, imagine que você tem diversas ações de empresas do setor de tecnologia na carteira. Se uma decisão política, por exemplo, interferir no segmento, todos os seus investimentos podem ser impactados.

Dessa maneira, o ideal é analisar a correlação entre os investimentos que você tem na carteira. Se ela for positiva, a tendência é que o comportamento de um ativo tende a se repetir nos demais. Caso seja negativa, os efeitos neles tendem a ser opostos.

Isso vale também para a diversificação em classes de investimentos distintas. Se a taxa Selic cair, por exemplo, a tendência é que a bolsa de valores apresente alta. Portanto, variar as escolhas ajuda a ter uma carteira mais equilibrada.

Mas afinal, qual a relação desse conceito com a Teoria de Markowitz? Essa hipótese utiliza cálculos complexos que visam ponderar o risco, o retorno esperado em cada ativo e a correlação entre eles. Assim, a análise desses fatores permite fazer melhores escolhas ao montar seu portfólio.

Como funciona a teoria?

Para entender o funcionamento da teoria, saiba que ela considera o risco como fator relevante e tem como ponto central a fronteira eficiente. Portanto, é apresentada como uma curva em um gráfico, indicando as combinações entre risco e retorno dos investimentos.

Com a aplicação da teoria, a carteira de investimentos é analisada de forma global. Isso significa que a avaliação não é feita em cada ativo separadamente, pois o objetivo é construir um conjunto de investimentos que tenha retornos e riscos específicos.

Também é importante saber fazer o cálculo dos riscos. Como a ideia é otimizar os retornos por meio de um manejo de riscos eficiente, a diversificação não deve ser feita sem uma boa base de informações.

Por esse motivo, Markowitz propôs modelos matemáticos que trazem dados relevantes. Na prática, eles mostram, até mesmo, a partir de qual ponto a diversificação não traz resultados significativos — momento em que os riscos sistêmicos não são reduzidos com a inclusão de novos ativos.

Como essa teoria impacta os investimentos?

Como você viu, a Teoria de Markowitz influencia nas decisões de investimento. Afinal, ela ajuda a montar uma carteira mais sólida e diversificada, até mesmo em períodos de crises econômicas. Além disso, o portfólio fica com riscos equilibrados e maior potencial de retorno.

Por esse motivo, muitos investidores utilizam os ensinamentos de Markowitz no momento de investir. No entanto, também é necessário destacar que a carteira de investimentos não deve ter uma composição fixa.

Com o tempo, algumas mudanças podem ser necessárias para que a porcentagem de investimentos continue respeitando o seu perfil de investidor. Ademais, a conquista de objetivos também pode fazer você querer modificar o portfólio.

Como utilizar na hora de montar uma carteira de investimentos?

Achou a Teoria de Markowitz interessante? Então você precisa entender como montar uma carteira de investimentos diversificada. O primeiro passo para fazer escolhas mais alinhadas às suas necessidades é conhecer o seu perfil de investidor.

Ele indica sua tolerância ao risco e, com isso, permite entender quais são os investimentos mais adequados para a sua carteira. Um investidor conservador, por exemplo, tende a preferir alternativas de baixo risco, mesmo que isso signifique menor rentabilidade.

Já o moderado consegue abrir mão de parte da segurança para ter melhores retornos. O investidor arrojado, por sua vez, tem maior apetite por rentabilidade e consegue tolerar mais riscos no momento de investir.

Também é necessário considerar seus objetivos no momento de montar uma carteira de investimentos. Nesse sentido, vale buscar alternativas que estejam alinhadas aos prazos das suas metas, por exemplo. Logo, é possível notar que cada carteira de investimento é única.

Após fazer a análise das suas características e dos ativos e produtos financeiros disponíveis no mercado, é necessário estudá-las. Nesse momento, é preciso definir qual a melhor combinação para obter boa possibilidade de retorno com o menor risco.

Para ajudar, pode fazer sentido procurar opções com correlação negativa entre si. Tenha essa regra sempre em mente para se proteger da falsa diversificação. Ou seja, evite pulverizar seu patrimônio em alternativas diversas, mas com características semelhantes.

Gostou de conhecer a Teoria de Markowitz? Como você viu, o objetivo é fazer boas escolhas para otimizar a relação entre risco e retorno na sua carteira. Para isso, não deixe de considerar também o seu perfil de investidor e os seus objetivos financeiros ao aplicá-la.

Já pensou em diversificar a carteira investindo no exterior? Então conheça 5 formas de investir no mercado internacional!

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!