Você acredita que o seu processo de tomada de decisão seja racional? Se a sua resposta tiver sido positiva, saiba que suas emoções o influenciam mesmo que você não perceba. Isso ocorre por causa da heurística, então conhecer o conceito é essencial para entender quais são os seus impactos.

Afinal, esse tipo de comportamento pode afetar diretamente a realização de investimentos e os resultados alcançados. Logo, é preciso saber como prevenir consequências negativas e, até mesmo, encontrar meios de fazer com que esse mecanismo seja útil.

Na sequência, descubra o que é a heurística e veja como impedir que ela cause efeitos negativos em sua carteira!

O que é heurística?

A heurística é considerada um mecanismo mental que serve como um tipo de atalho para a tomada de decisão. Ela representa um fenômeno no qual o cérebro faz associações de maneira automática, influenciando a tomada de decisão.

Considerando a história da humanidade, as heurísticas podem ser consideradas elementos evolutivos. Afinal, nos primórdios, a energia era limitada e precisava ser poupada. Com os atalhos mentais, era mais fácil e rápido se proteger, sem precisar pensar demais.

Apesar de o contexto atual ser diferente, a heurística permanece sendo um mecanismo comportamental presente na vida das pessoas. Logo, é provável que você sinta os efeitos dela, mesmo sem perceber.

No mercado financeiro, as heurísticas estão relacionadas aos atalhos ou gatilhos mentais que podem interferir na sua tomada de decisão de investimento. Por isso, o conceito integra as finanças comportamentais, uma para que busca entender a relação entre as pessoas e o dinheiro.

Quais são as principais heurísticas?

Apesar de o significado de heurística envolver um tipo de atalho mental, ela não funciona de apenas uma maneira. Dependendo dos gatilhos mentais acionados, esse fenômeno pode ser classificado de maneiras diferentes.

Para compreender melhor o tema, veja quais são os principais tipos de heurística!

Heurística da disponibilidade

A heurística da disponibilidade está relacionada à facilidade com a qual o cérebro consegue acessar uma informação. Em geral, quanto mais fácil for se lembrar de um fato ou de um dado, maior é o peso que ele tem na escolha a ser realizada.

Contudo, não é porque uma informação é mais frequente ou recente que ela é, necessariamente, mais relevante para o cenário analisado.

Para entender melhor, considere um exemplo clássico: o da queda de avião. Quando um acidente aéreo de grandes proporções acontece, é comum que ele seja amplamente divulgado. Por estarem tão expostas a esses dados, muitas pessoas passam a acreditar que viajar de avião é mais perigoso.

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO

Aprenda a como investir no exterior de forma prática

No entanto, o risco de sofrer um acidente de carro é maior. Como a informação não foi tão divulgada quanto o acidente aéreo, a tendência é que ela tenha menos importância na tomada de decisão.

Heurística da representatividade

Já a heurística de representatividade está relacionada aos estereótipos criados com base em experiências ou percepções próprias. Esse atalho mental funciona por meio da comparação, pensando nos riscos ou probabilidades de um evento.

O modelo usado como base pode ter relação com o que já foi vivenciado ou então nas informações que captadas em momentos anteriores. Porém, nem sempre as situações são comparáveis ou permitem generalizações.

Para entender essa heurística, pense em cachorros da raça pitbull. Devido a diversas notícias de ataques desses cães, ao se deparar com um deles, pode ser que você conclua que o cão é agressivo.

No entanto, trata-se de um estereótipo, já que você não tem informações sobre o animal específico para determinar qual é o comportamento dele.

Note que as heurísticas de disponibilidade e representatividade podem se relacionar. É possível criar modelos e padrões com base nas informações mais facilmente acessíveis do cérebro. Logo, há uma potencialização do efeito desse tipo de viés.

Heurística de ancoragem ou ajuste

O terceiro tipo é conhecido como ancoragem ou heurística de ajuste. Ela consiste na definição de um valor base, conhecido como âncora. A partir disso, você realiza comparações e ajustes, encaixando sua decisão com base nesses dados.

Contudo, a informação nem sempre é relevante para a escolha ou pode não trazer uma visão clara sobre o cenário. Logo, você pode se basear em parâmetros que, na verdade, não fazem sentido para as suas expectativas.

Existe um exemplo simples e que é comum no cotidiano: o menu dos restaurantes. Muitos estabelecimentos adicionam um ou dois pratos bem mais caros que os outros. Assim, na comparação, você pode achar os outros preços aceitáveis — embora alguns deles, na verdade, sejam mais caros do que gostaria.

Como as heurísticas podem afetar a decisão sobre onde investir?

Como você viu, a heurística é um mecanismo que pode ajudar o seu cérebro a tomar decisões mais rapidamente. No entanto, isso não significa que as escolhas sejam melhores — na verdade, sua capacidade de escolha pode ficar comprometida.

Dependendo do tipo de heurística e do efeito que ela causa em sua percepção, ela pode gerar um viés comportamental. No mercado financeiro, isso pode afetar diretamente as escolhas para a sua carteira.

Movido pela heurística, pode ser que você escolha investimentos desalinhados do seu perfil de investidor ou de seus objetivos financeiros. Também podem ocorrer decisões precipitadas ou incorretas, levando a perdas financeiras.

Para evitar os efeitos negativos da heurística no mercado de investimentos, é importante ter consciência sobre suas características como investidor, como tolerância ao risco e metas financeiras.

Também é essencial trabalhar a educação financeira e conhecer as diferentes alternativas e setores do mercado. Assim, em vez de escolher uma ação porque o segmento teve bom desempenho no passado, você saberá como fazer a análise fundamentalista, por exemplo.

Quanto maior for seu conhecimento sobre o mercado financeiro, mais embasada será sua decisão de como e onde investir. Com o preparo necessário, você pode evitar os efeitos negativos da heurística. Afinal, será mais fácil identificar e reverter esse tipo de comportamento.

Neste artigo, você descobriu o que é heurística e como ela pode interferir na tomada de decisão dos seus investimentos. Sabendo quais são suas características e conhecendo o mercado, é possível diminuir os riscos de tomar decisões incorretas.

Quer ajuda para aprender mais sobre investimentos e o mercado financeiro? Fale conosco da Renova Invest e aproveite nossa assessoria!