Você sabe como montar uma carteira de investimentos
Você sabe como montar uma carteira de investimentos

Você sabe como montar uma carteira de investimentos?

Ao entrar no mercado financeiro, você ficará diante de diversas oportunidades para fazer seu dinheiro render. Porém, saiba que nem todas serão adequadas para os seus planos ou o seu perfil. Portanto, para não errar, é importante saber como montar uma carteira de investimentos.

A tarefa não exige que você seja um especialista no mercado de capitais, mas requer planejamento e tomada de decisão. Logo, o ideal é conhecer antecipadamente as etapas para saber como colocá-las em prática.

Neste artigo, você entenderá quais são os principais passos para compor a sua carteira de investimentos. Confira!

O que é uma carteira de investimentos?

Para compreender como criar a sua carteira é preciso, antes, entender o que ela representa. Na prática, uma carteira de investimentos é um conjunto de produtos e ativos financeiros que são selecionados por um investidor que deseja alcançar objetivos específicos.

Portanto, ela reúne diversas soluções do mercado financeiro que, juntas, buscam atingir um resultado desejado em termos de retorno, segurança e liquidez.

Por que se preocupar com a montagem da sua carteira?

Depois de descobrir o que essa carteira representa é fundamental saber por que ela é importante. Para começar, a montagem de uma carteira de investimentos ajuda a organizar seus aportes financeiros, formando um conjunto coeso e que atua rumo a objetivos específicos.

Além disso, é uma maneira de ter mais visibilidade. Você consegue enxergar onde já investe, quais são os resultados obtidos e o que pode ser otimizado. Ao fazer investimentos avulsos, sem uma estratégia definida, essa análise se torna bem mais difícil.

Logo, acertar na composição do portfólio permite que você aproveite melhor os seus recursos em busca da consolidação de resultados.

Como montar uma carteira de investimentos sólida?

Como visto, fazer investimentos de modo aleatório não é o caminho para montar uma carteira sólida. Em vez disso, é preciso se planejar, considerar critérios importantes e tomar decisões embasadas.

Então confira as dicas essenciais para criar seu portfólio!

Identifique seu perfil de investidor

Entender o seu perfil de investidor é o primeiro passo para a composição de carteira. Afinal, é necessário que as decisões estejam alinhadas ao nível de risco que você está confortável em assumir rumo ao rendimento esperado.

Entre as classificações, há três perfis possíveis: conservador, moderado ou arrojado. Enquanto o conservador prioriza a segurança, o moderado equilibra os riscos para melhorar o retorno. Já o arrojado ou agressivo assume mais riscos, de modo calculado, para buscar maximizar os resultados.

Você poderá identificar o seu perfil de investidor por meio do chamado teste de suitability. Inclusive, as instituições financeiras devem fornecer esse serviço aos investidores.

Defina seus objetivos financeiros

Após entender qual tipo de investidor você é, é necessário definir quais são os seus objetivos financeiros em diferentes momentos. Ou seja, você deve estabelecer o que pretende conquistar em curto, médio e longo prazo.

Isso é essencial para escolher o prazo dos investimentos de maneira alinhada. Se a sua preocupação for com a aposentadoria, por exemplo, a carteira deve apresentar alternativas de investimento de longo prazo. Se a intenção for alocar a reserva de emergência, o curto prazo é mais indicado.

Trace uma estratégia de investimento

Conhecendo quais são as suas características mais importantes, é a hora de traçar uma estratégia para alocar seus recursos. É nesse ponto em que você define o valor disponível para fazer investimentos nessa fase inicial e o quanto aportará ao longo do tempo.

Para acelerar a construção de patrimônio — e, portanto, o aumento do retorno —, trace uma estratégia que contemple investimentos frequentes. Com a consistência, é possível aumentar a base sobre a qual incidirão os rendimentos, potencializando os ganhos.

Também é necessário definir se a estratégia será ativa ou passiva. Uma carteira ativa busca superar a média do mercado, enquanto um portfólio passivo busca o desempenho médio. Como o primeiro caso envolve mais riscos, vale considerar o seu perfil.

Escolha os produtos financeiros com critério

Para que a estratégia se concretize, é necessário escolher investimentos condizentes. Nesse cenário, você poderá selecionar produtos e ativos financeiros de diferentes classes.

O investimento em renda fixa, por exemplo, tem condições conhecidas de remuneração e traz menos riscos. Já o investimento em renda variável envolve mais riscos, pois não há garantias ou previsibilidade quanto ao rendimento.

Nessas duas classes de investimento existem diversas opções disponíveis. Na renda fixa, por exemplo, é possível investir em títulos públicos e privados, incluindo certificados, letras de crédito e debêntures.

Já a renda variável conta com alternativas como as ações, que permitem focar em empresas com diversas características e capacidades de retorno. Também há fundos de investimento de diferentes tipos e a negociação de derivativos, entre outras opções.

Portanto, no momento de selecionar os ativos e produtos financeiros, é fundamental analisar o risco, o potencial de retorno, a relação com outros investimentos e os custos. As suas escolhas devem refletir suas preferências e estratégias, para que tudo esteja alinhado.

Diversifique o portfólio

Outra dica essencial para montar uma carteira de investimentos é saber como torná-la diversificada. Na prática, a diversificação é uma estratégia que consiste em selecionar investimentos que tenham características descorrelacionadas.

Com isso, eles se comportam de maneira diferente diante das movimentações do mercado. Essa é uma abordagem que evita a concentração de recursos em apenas uma condição ou em um ativo para fazer a diluição de riscos.

Afinal, como há uma distribuição entre várias possibilidades, algumas perdas podem ser compensadas por ganhos obtidos em outras partes. Porém, é importante distribuir os recursos entre investimentos com características distintas para garantir que a carteira esteja, de fato, diversificada.

Conte com ajuda de uma assessoria

O processo de montar uma carteira de investimentos pode gerar dúvidas sobre como alocar seus recursos para obter os resultados desejados. Ao mesmo tempo, é preciso encontrar informações específicas para as suas necessidades.

Nesse caso, é interessante buscar uma assessoria de investimentos. Afinal, o escritório é formado por profissionais certificados que são capazes de apresentar produtos e ativos financeiros, esclarecer dúvidas e ajudar a identificar oportunidades.

Dessa forma, eles oferecem um suporte importante para que você tenha mais segurança na composição do seu portfólio. Porém, saiba que eles não tomam a decisão por você: cabe ao investidor avaliar e escolher as alternativas.

Ao seguir essas orientações, você saberá como montar uma carteira de investimentos de modo personalizado e estratégico. Lembre-se de que considerar suas características pessoais é uma parte essencial do processo para buscar resultados que façam sentido para a sua realidade.

Para que todas as escolhas sejam verdadeiramente personalizadas, entre em contato conosco da Renova Invest e tenha o apoio de assessores certificados no mercado!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.