Ao montar o portfólio, é comum que o investidor pense em como diminuir o risco de uma carteira de investimento. Afinal, isso trará mais segurança para o seu patrimônio e pode auxiliar na conquista de objetivos.

O mercado financeiro traz opções com diferentes níveis de riscos, oferecendo diversas possibilidades para que o investidor faça o seu manejo. Assim, é possível criar estratégias que ajudam a diminuir a exposição de sua carteira.

Quer aprender como fazer isso? Neste conteúdo, você saberá mais sobre os tipos de riscos existentes, a importância de avaliá-los e como diminuir isso na sua carteira de investimentos. Confira!

Quais são os principais riscos da carteira de investimento?

Os investimentos podem se expor a diferentes tipos de risco. Então, antes de tudo, o investidor precisa entendê-los.

Conheça os principais:

Risco de mercado

Ele trata dos riscos que decorrem das oscilações do mercado financeiro, que podem ser causadas por diversos motivos. Mudanças nas taxas de juros e variações no câmbio, por exemplo, podem afetar os investimentos. Esse risco está mais presente na renda variável.

Risco de liquidez

A liquidez é a facilidade em converter seus investimentos em dinheiro. Nesse cenário, o risco existente trata de problemas que podem surgir — como a ausência de compradores interessados nos seus ativos.

Na renda fixa, há títulos com liquidez diária. Outros precisam ser vendidos no mercado secundário, o que pode significar perda de rentabilidade. Na renda variável, a falta de liquidez pode causar prejuízos.

Risco de crédito

O risco de crédito é bastante conhecido, pois trata do risco de inadimplência. Ele é mais aplicado aos investimentos em renda fixa, que contam com emissores dos títulos que são adquiridos pelo investidor.

Contudo, existem opções que contam com garantias. Dois exemplos comuns são a cobertura pelo Tesouro Nacional, nos títulos públicos, ou do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), em alguns títulos privados.

Qual é a importância de avaliar os riscos ao investir?

A avaliação de riscos é uma etapa essencial do investimento porque permite decisões mais acertadas do investidor. Por meio dela, é possível entender quais fatores podem afetar o desempenho da carteira.

A partir disso, o investidor pode tomar decisões mais adequadas aos seus planos. Por exemplo, imagine que você procura uma opção para investir a sua reserva de emergência. A análise dos riscos é essencial para garantir que os valores estarão protegidos. Afinal, o objetivo é trazer segurança.

Quando o investidor não compreende os riscos de um investimento, isso pode resultar em decisões precipitadas e perdas. Além disso, sem entender quais são os possíveis problemas, também é mais difícil encontrar soluções e trabalhar na prevenção.

Como diminuir o risco de uma carteira de investimento?

Agora que você conhece os principais tipos de risco, pode saber como manejá-los na carteira. Todo investimento envolve riscos, mas seu portfólio pode ter diferentes níveis, a depender da sua estratégia.

Confira dicas!

Considere sempre seu perfil e objetivos

Essa é uma dica fundamental quando se trata de investimentos. O perfil de investidor trata da sua tolerância aos riscos, enquanto os objetivos demonstram o que você pretende alcançar. Eles devem ser a base das suas decisões e ajudarão a fazer as melhores escolhas.

Seguindo o seu perfil, você terá mais tranquilidade ao escolher investimentos adequados, conforme os níveis de riscos que está disposto a correr. Já os objetivos ajudarão a compor o portfólio de maneira adequada, considerando as suas prioridades.

Lembre-se de que diminuir riscos ao investir não significa que você deva contar apenas com as opções mais seguras. A prática trata de encontrar formas de manejar os riscos, reduzindo as perdas diante de cenários que não são os ideais.

Diversifique a sua carteira

Complementando a dica anterior, você precisa diversificar a carteira. Isso significa contar com diferentes investimentos, permitindo exposição a variados mercados, setores e índices. Assim, o risco da sua carteira não será o de um investimento apenas.

A ideia é que, diante de uma oscilação do mercado que prejudique um ativo, o impacto não chegue a todo o portfólio. Afinal, o restante da sua carteira pode compensar o movimento. Isso traz mais equilíbrio e protege o capital do investidor.

Um cuidado necessário é não cair na falsa diversificação, contando com diversos investimentos semelhantes. Por exemplo, ter aplicações em renda fixa atreladas à Selic não protegerá contra oscilações do mercado, como a queda na taxa de juros.

A estratégia pode ser válida para aproveitar determinadas oportunidades ou distribuir os valores em diferentes instituições. Porém, isso não é suficiente para garantir a diminuição de riscos na sua carteira.

Aqui, o ideal é considerar a correlação entre os ativos. Ou seja, buscar investimentos que se comportem de maneiras opostas. Além disso, ao buscar formas de proteger a carteira, pense nos diferentes tipos de riscos existentes e escolha opções com exposições variadas.

Considere o prazo dos investimentos

Os prazos também são fundamentais para o controle de riscos da carteira. Nesse caso, é importante ter opções em curto, médio e longo prazo, sempre adequando aos seus objetivos e visando proteção. Ainda, é preciso entender se a opção escolhida é adequada ao período planejado.

Confira um exemplo: o Tesouro IPCA+ oferece rentabilidade atrelada à inflação, mais um percentual fixo. Ele é atrativo para muitos investidores, já que mantém o poder de compra e traz um retorno adicional.

Contudo, essa é uma opção voltada ao longo prazo, com vencimentos a partir de 5 anos. Ainda que haja liquidez diária, a rentabilidade só é garantida na data combinada. Assim, o resgate antecipado pode trazer risco de perdas pela marcação a mercado.

Logo, a atenção aos prazos no momento de investir ajuda a evitar imprevistos e perdas geradas pela falta de planejamento. Se você tem investimentos de curto, médio e longo prazo, evita precisar se desfazer da parcela mais longa antes do tempo.

Tenha o suporte de uma assessoria de investimento

Uma dica essencial para saber como diminuir o risco de uma carteira de investimentos é contar com um banco de investimento que ofereça uma assessoria de qualidade. Os assessores são profissionais prontos para esclarecer dúvidas dos investidores e auxiliar nas estratégias de manejo de risco.

Com conhecimento e experiência no mercado financeiro, eles podem apresentar e explicar as diferentes alternativas. Assim, você terá mais segurança e autonomia para compor a sua carteira conforme seu perfil e objetivos.

Aplicando essas dicas sobre como diminuir o risco de uma carteira de investimentos, é possível montar um portfólio mais seguro. Para isso, analise as alternativas e os riscos existentes para tomar as melhores decisões.

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Então entre em contato conosco e converse com um de nossos assessores!