PGBL ou VGBL: diferenças, vantagens e desvantagens!

PGBL ou VGBL
PGBL ou VGBL

Ao pesquisar modalidades de investimentos adequadas para o longo prazo, você pode se interessar pela Previdência Privada. Porém, antes de investir, é importante definir o plano mais adequado para você: PGBL ou VGBL.

Em geral, a Previdência é usada pelos investidores que desejam complementar a aposentadoria, mas ela também pode se adequar a outras finalidades. Assim, para que a escolha esteja mais alinhada às suas necessidades, é fundamental conhecer as características de cada plano.

Com este conteúdo, você aprenderá as principais diferenças, vantagens e desvantagens do PGBL e VGBL. Continue a leitura e saiba mais!

O que é a Previdência Privada?

Primeiramente, é importante entender o que é a Previdência Privada. Trata-se de uma modalidade de investimento baseada em duas etapas: uma de aportes frequentes e outra de usufruto. Por esse motivo, é uma modalidade bastante utilizada para objetivos relacionados à aposentadoria.

Contudo, além de servir para o recebimento de uma renda passiva no futuro, a Previdência Privada pode ser adequada para outros objetivos de longo prazo. Ademais, o seu funcionamento permite que ela seja usada para facilitar a sucessão patrimonial.

Afinal, é possível indicar beneficiários para recebimento do montante acumulado em caso de falecimento do titular, sem a necessidade de inventário. Logo, a Previdência Privada pode ser uma alternativa para quem busca conforto financeiro no longo prazo para si e sua família.

O que é e como funciona o plano PGBL?

Conhecendo o funcionamento da Previdência Privada, é hora de entender os diferentes planos. No PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), os aportes feitos no fundo de Previdência podem ser deduzidos na renda do investidor.

Por esse motivo, ele é comumente escolhido por investidores que fazem a declaração anual do IR no modelo completo. Vale destacar que a dedução se limita a 12% da sua renda bruta tributável e o investidor precisa fazer recolhimentos para a Previdência Social.

Além disso, como existe esse benefício fiscal, o IR a ser pago no resgate é diferenciado. Nesse caso, a tributação é aplicada sobre todo o montante aportado, acrescido dos rendimentos.

Nesse caso, a alíquota do IR pode seguir a tabela progressiva ou regressiva. No primeiro caso, a cobrança ocorre conforme o montante resgatado. Já na tributação regressiva, a alíquota varia de acordo com o prazo do investimento.

O que é e como funciona o plano VGBL?

Já no plano VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), as contribuições realizadas durante o ano não garantem dedução fiscal. Por esse motivo, elas contam como gastos comuns para o contribuinte.

Assim, normalmente, ele é escolhido por quem faz a declaração anual do Imposto de Renda (IR) de forma simplificada. Quem investe mais do que 12% da renda anual na Previdência Privada também pode se interessar por esse plano.

Em relação à tributação, o VGBL também pode seguir a tabela progressiva ou regressiva, a depender do modelo contratado. Portanto, após escolher o tipo de plano, também é necessário optar pelo regime de tributação mais adequado para o seu caso.

Quais as principais diferenças entre os planos?

Como você viu, a principal diferença entre PGBL e VGBL é o tratamento fiscal. Portanto, a alternativa mais interessante dependerá das suas características como contribuinte.

Para entender melhor, você pode analisar a forma como declara o Imposto de Renda. Outro ponto importante é considerar seus rendimentos anuais e outras características que influenciam o recolhimento do IR.

Se você faz a declaração completa, contribui para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e/ou investe até 12% de sua renda bruta em Previdência Privada, o PGBL pode ser interessante. Por outro lado, o VGBL tende a ser mais adequado para quem é isento de IR.

Se você faz a declaração no modelo simplificado também pode aproveitar a modalidade. Vale ressaltar também que, no VGBL, o imposto é cobrado apenas sobre os rendimentos obtidos. Portanto, fazer uma análise aprofundada das alternativas é importante para uma decisão mais alinhada às suas necessidades.

Quais as vantagens e desvantagens de cada plano?

Depois de entender o que é e como funciona cada plano de Previdência Privada, vale conhecer as suas vantagens e desvantagens. Afinal, todo o conhecimento que você acumular acerca do assunto ajudará a tomar uma decisão de investimento mais acertada.

Independentemente do plano, as taxas cobradas podem ser uma desvantagem, pois afetam seus rendimentos. Logo, é essencial considerar o custo-benefício no momento de avaliar tanto o PGBL quanto o VGBL.

Em relação ao VGBL, a principal vantagem é que o Imposto de Renda é cobrado apenas em relação aos rendimentos obtidos com os aportes. A cobrança acontece no momento do resgate, que tende a ser no longo prazo.

Já o principal benefício do PGBL é a possibilidade de deduzir as contribuições ao longo do ano. Dessa forma, ele funciona como uma forma de adiantar o pagamento de impostos. Isso gera benefícios fiscais ao longo do ano para o investidor.

Porém, a desvantagem é que, no momento do resgate, a alíquota do imposto incidirá sobre todo o montante acumulado, incluindo os rendimentos.

Vale ressaltar que uma vantagem geral da Previdência Privada é que você pode fazer a portabilidade entre planos da mesma instituição ou entre instituições diferentes. Entretanto, não é possível migrar entre tipos de planos — portanto, não há como mudar de PGBL para VGBL ou vice-versa.

Como escolher entre PGBL ou VGBL?

Agora você sabe que escolher o melhor plano de Previdência Privada envolve considerar as características de cada alternativa, além de questões pessoais. Portanto, não deixe de definir seu perfil de investidor e estabelecer seus objetivos e prazos.

Outro ponto interessante é fazer simulações e cálculos em relação ao IR. Isso ajuda a escolher entre PGBL ou VGBL, perfil de risco do fundo, tabela progressiva ou regressiva do Imposto de Renda, entre outros fatores.

Investidores arrojados podem preferir planos focados em renda variável, por exemplo, enquanto os conservadores costumam optar por composições com foco em renda fixa. A forma como você receberá a renda também deve ser definida, considerando suas necessidades e preferências.

Percebeu como escolher entre PGBL ou VGBL depende das suas características? Lembre-se de que também é possível contar com as duas modalidades para aproveitar os benefícios de ambas. Além disso, existem outros investimentos que podem ajudar a compor seu portfólio de longo prazo.

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e conheça 6 investimentos financeiros de longo prazo que podem compor sua carteira!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.