Você sabe o que é uma carteira recomendada? O termo pode ser desconhecido por muitos investidores, mas saber mais sobre ela e como funciona pode ser interessante para quem deseja fazer investimentos no mercado financeiro de maneira mais simples.

Afinal, a partir das carteiras recomendadas, é possível ter acesso a recomendações de analistas do mercado e tomar decisões de investimento baseadas em estudos consolidados. Então, que tal saber mais sobre essa alternativa?

Continue a leitura do artigo para saber o que é e como funciona uma carteira recomendada e descobrir se ela vale ou não a pena para você!

O que é uma carteira recomendada?

Uma carteira recomendada é um portfólio composto por bancos de investimentos e empresas de análises independente, a partir de análises relacionadas ao mercado e aos ativos, de maneira geral.  Assim, a ideia é compor uma carteira que possua ativos com maior potencial de valorização – e que possam gerar bons resultados aos investidores.

É possível encontrar carteiras recomendadas de diversos tipos. Nesse artigo, vamos nos concentrar nos portfólios relacionados à renda variável – que são os mais comuns do mercado.

Normalmente, as carteiras acompanham um relatório desenvolvido pelos analistas da instituição. Esse documento contém informações importantes, como os motivos pelos quais uma ação pode ser boa oportunidade de investimento, a performance projetada para o ativo em um determinado período, etc.

Assim, a partir das análises realizadas pelos analistas do mercado, a carteira é estabelecida e divulgada ao mercado. E os investidores podem utilizá-las para balizar suas escolhas de investimento ou até mesmo acatar as sugestões e fazer seus aportes.

Como uma carteira recomendada funciona?

Agora que você já sabe o que é uma carteira recomendada, é o momento de entender como ela funciona. Em geral, as carteiras recomendadas de ações costumam ter foco no longo prazo.

A troca dos ativos das carteiras não segue um padrão específico. Contudo, é bastante comum que a carteira seja reavaliada mensalmente – o que pode gerar ajustes frequentes. Afinal, tenha em mente que a renda variável é dinâmica, e que novas oportunidades podem surgir a qualquer momento.

Vale destacar, ainda, que as instituições financeiras costumam criar carteiras com diferentes propósitos. Por exemplo, podem montar portfólios focando em ativos negociados abaixo do seu valor intrínseco – consideradas as carteiras tradicionais, carteiras com foco em pagamento de dividendos e até mesmo carteiras small caps. Você conhecerá mais sobre essas alternativas a seguir.

Quais os tipos de carteira recomendada?

Como você viu, os investidores podem acompanhar as carteiras recomendadas com diferentes propósitos. Então, cada portfólio poderá ser mais ou menos alinhado às necessidades e objetivos individuais de cada um.

Por isso, para tomar uma decisão mais assertiva na hora de acompanhar uma carteira recomendada, é importante conhecer os tipos mais comuns do mercado. Confira três deles a seguir:


Carteira de ações tradicionais

Uma carteira recomendada de ações tradicional tem o intuito de encontrar as melhores alternativas do mercado em termos de potencial de valorização. O relatório é composto a partir de uma profunda análise de fundamentos das companhias listadas na bolsa.

Além disso, podem ser considerados outros aspectos macroeconômicos para a tomada de decisões. Por exemplo, questões governamentais, crises econômicas, relações internacionais, etc.

Os resultados da carteira são comparados a um determinado benchmark – como o Ibovespa. E, normalmente, o objetivo do portfólio é superar o seu índice de referência.

Carteira de dividendos

Aqueles que desejam investir com foco no recebimento de dividendos pode contar com uma carteira recomendada especificamente para esse objetivo. Pode ser uma alternativa interessante para aqueles que investem no longo prazo e almejam uma renda passiva.

Nesse caso, as equipes de analistas das instituições avaliam os fundamentos do negócio e a capacidade de pagamento de dividendos das companhias. O objetivo é encontrar oportunidades de recebimento recorrente de proventos.

Ao contrário da opção anterior, o foco não está, portanto, na valorização do ativo, mas sim na escolha de ativos de qualidade, com boa possibilidade de entrega de resultados e geração de caixa.


Carteira de ações small caps

Outra carteira recomendada bastante comum no mercado é o portfólio de ações small caps. Essa carteira costuma focar apenas em organizações small caps.

As companhias small caps costumam ser negócios menores e mais novos, com potencial de valorização acima da média. Assim, elas podem apresentar altos riscos, mas também costumam oferecer boas possibilidades de retorno no longo prazo.

O benchmark de carteiras desse tipo costuma ser o Índice Small Cap – SMLL.

Quais as vantagens de seguir uma carteira recomendada?

Está considerando acompanhar uma carteira recomendada para investir na renda variável? Então saiba que seguir esses portfólios e seus respectivos relatórios oferecem diversas vantagens ao investidor.

Confira alguns dos principais benefícios a seguir:

Análise profissional e praticidade

Basear-se nas análises de especialistas pode ser interessante na hora da investir – especialmente para aqueles que não dominam a análise de fundamentos ou não possuem tempo hábil para analisar companhias na bolsa.

Lembre-se que realizar uma análise técnica completa demanda tempo, além de bastante conhecimento. Por isso, pode ser muito mais prático acompanhar as recomendações dos analistas e tomar decisões de investimento fundamentadas em estudos sólidos.

Acompanhamento constante dos analistas

Os analistas acompanham com frequência os ativos da carteira recomendada, adicionando novas oportunidades e retirando do portfólio ativos que, eventualmente, não estejam performando bem.

Assim, as chances de manter boas rentabilidades ao longo do tempo ao seguir uma carteira como essa são maiores.

Redução de riscos

A carteira recomendada pode se tornar uma alternativa menos arriscada para investidores com perfil para alocar dinheiro na bolsa de valores, mas que não possuem conhecimento adequado para avaliar os papéis negociados na bolsa.

Ao contar com escolhas de analistas altamente gabaritados, você tem maiores chances de alcançar bons resultados na bolsa no longo prazo. E, claro, aproveitar eventuais oportunidades que possam surgir no mercado.

Vale a pena seguir uma carteira recomendada?

Depois de acompanhar este conteúdo, qual sua opinião acerca das carteiras recomendadas? Para você, vale a pena seguir este tipo de recomendação?

A resposta a essa dúvida é individual. Entretanto, quem visa investir na bolsa de valores com foco no longo prazo e deseja contar com recomendações de profissionais do mercado para balizar suas escolhas de investimento pode se beneficiar bastante dessa alternativa.

Seja qual for a sua escolha, no entanto, não se esqueça de considerar seu perfil de investidor e seguir o tipo de carteira que está mais alinhada com seus propósitos e objetivos financeiros.

Aqui no blog da Renova Invest você pode acompanhar mensalmente as carteiras recomendadas pela equipe de analistas do BTG Pactual – o maior banco de investimentos da América Latina. Caso queira saber mais sobre elas, basta entrar em contato conosco!