O investimento em imóveis desperta interesse em muitos investidores. Afinal, o mercado imobiliário é um dos mais relevantes da economia brasileira e pode ser útil em uma estratégia de renda passiva. Nesse sentido, fundos de investimento como o HUCG11 podem atrativos.

Esse é um exemplo de fundo imobiliário que conta com empreendimentos físicos em seu portfólio. Se você buscar se expor a esses ativos, é válido saber quais são as principais características do fundo para entender se vale a pena comprar as suas cotas.

Acompanhe a leitura deste artigo para conhecer mais sobre o HUCG11, saber como esse fundo imobiliário funciona e quais são as vantagens que ele pode trazer para a carteira de investimentos!

O que são e como funcionam os fundos imobiliários?

Antes de conhecer o HUCG11, é interessante recapitular o que são os fundos de investimento imobiliário (FIIs). Como o próprio nome sugere, eles são um tipo de veículo coletivo disponível no mercado de imóveis do Brasil.

Esse tipo de fundo de investimento é negociado na bolsa de valores do país, a B3, e se divide em três tipos:

  • de tijolo;
  • de papel;
  • fundos de fundos (FoFs).

Os fundos imobiliários de tijolo são aqueles que investem majoritariamente em empreendimentos físicos, como lajes corporativas e galpões logísticos. Eles lucram a partir do pagamento de aluguéis ou com a venda desses espaços.

Já os fundos de papel priorizam o investimento em títulos de renda fixa com lastro no mercado imobiliário. Entre eles estão o certificado de recebíveis imobiliários (CRI) e a letra de crédito imobiliário (LCI). Embora esses títulos sejam de renda fixa, o FII está presente na renda variável.

Por fim, os FoFs investem em cotas de outros fundos imobiliários — tanto de papel quanto de tijolo. Dessa maneira, todos os três podem servir como uma alternativa mais prática e acessível para investir no mercado de imóveis.

Junto com a praticidade de contar com um gestor profissional, o repasse de dividendos está entre as principais vantagens dos FIIs. Segundo a regulação do mercado brasileiro, esses fundos precisam dividir, pelo menos, 95% do seu lucro líquido entre os cotistas semestralmente — caso haja resultados a serem distribuídos.

Como o HUCG11 funciona?

Agora que você sabe mais sobre os fundos imobiliários, é interessante conhecer o HUCG11. Confira suas principais características!

Estreia na bolsa

O FII Hospital Unimed Campina Grande, também identificado como FII Unimed C no pregão da bolsa, estreou na B3 em maio de 2022. Desde o início da sua operação, o fundo está disponível para o público geral da bolsa de valores brasileira.

Tipo de FII

O HUCG11 tem em seu portfólio o imóvel da Unimed da cidade de Campina Grande — a segunda maior da Paraíba. Dessa maneira, como ele investe em empreendimentos físicos como hospitais, a sua classificação é como FII de tijolo.

DESCUBRA COMO INVESTIR COMO UM PROFISSIONAL Investir como um profissional

DESCUBRA COMO INVESTIR COMO UM PROFISSIONAL Investir como um profissional

Saiba tudo sobre ETFS - a forma de sostificar os seus investimentos

Gestão

O FII Unimed C conta com administração da Coinvalores e gestão da InvestCoop Asset Management. A estratégia desse fundo imobiliário é gerar ganhos aos cotistas por meio do hospital da Unimed de Campina Grande.

Custos

Entre os custos envolvidos, os investidores precisam ter atenção à cobrança da taxa de administração. Ela é calculada de acordo com o patrimônio do veículo e serve como instrumento para remunerar os responsáveis pelo funcionamento do fundo — como o gestor.

Além disso, há a incidência do Imposto de Renda (IR). Embora os dividendos sejam isentos para pessoas físicas, os investidores que tiveram ganho de capital vendendo suas cotas no mercado secundário devem arcar com uma alíquota de 20% para negociações de qualquer valor.

Quais são as oportunidades e os riscos do HUCG11?

Você conheceu as principais características de funcionamento do HUCG11. Para complementar seu entendimento sobre esse fundo imobiliário, vale saber quais são as oportunidades e os riscos do veículo, concorda?

Acompanhe!

Oportunidades

Como vimos, os FIIs se destacam pela exposição ao mercado imobiliário do Brasil. Assim, eles trazem a praticidade e a acessibilidade como benefícios para os investidores interessados nesse setor. Afinal, adquirir cotas é mais barato e menos burocrático do que comprar imóveis.

O recebimento de dividendos é outra vantagem que esse investimento pode trazer. Como a normatização do mercado nacional determina que os FIIs devem repassar a maior parte do seu lucro líquido, os fundos como o HUCG11 podem funcionar em uma estratégia com foco em renda passiva.

Além disso, ele é um fundo imobiliário que conta com um hospital em seu portfólio. Geralmente, contratos de aluguel como esse são mais longos e podem fazer com que o fundo fique menos suscetível à volatilidade do mercado relacionada à vacância.

Riscos

Vale reforçar que os fundos imobiliários são um investimento de renda variável. Logo, mesmo que eles sejam capazes de trazer resultados positivos para os investidores, não existem garantias de valorização ou de recebimento de dividendos ao longo do tempo.

Ademais, é importante lembrar que há os riscos à integridade do empreendimento. O desgaste no prédio ou mesmo o não pagamento do aluguel pelo hospital pode impactar os retornos dos investidores. A concentração em um imóvel apenas também aumenta os riscos.

Por isso, é preciso ter atenção a esses e outros aspectos relacionados ao HUCG11, a fim de avaliar com maior precisão os principais prós e contas do investimento.

Vale a pena investir nesse FII?

Para saber se o investimento no HUCG11 vale a pena, você deve levar em consideração o seu perfil de investidor. Como esse fundo faz parte da renda variável, o alinhamento costuma ser maior com investidores de perfil moderado e arrojado.

Outro ponto importante são os seus objetivos financeiros. De forma mais comum, fundos imobiliários como o HUCG11 são mais adequados para estratégias de longo prazo. Isso acontece porque o tempo ajuda a diluir riscos e amadurecer os possíveis resultados do aporte.

Para decidir se a compra de cotas vale a pena, você também deve analisar os fundamentos do FII. Ou seja, é fundamental conhecer o histórico dele, a estratégia dos seus gestores e o funcionamento dos contratos referentes aos empreendimentos presentes no portfólio.

Como investir no HUCG11?

Se você entender que vale a pena investir no FII Unimed C, é relevante saber os seus passos para realizar esse aporte. Para isso, você precisa ter conta em um banco de investimento com acesso à bolsa de valores.

Então é necessário fazer a busca pelo ticker HUCG11 no home broker. Ao encontrar o fundo, você pode avaliar os detalhes acerca da alternativa e emitir uma ordem de compra com a quantidade de cotas desejadas. Depois disso, basta esperar a liquidação da compra.

Como vimos, o HUCG11 pode ser uma alternativa para investir no mercado imobiliário brasileiro. Para decidir se ele está adequado à sua estratégia, no entanto, é importante que você analise seu funcionamento, características e fundamentos desse FII.

Quer conhecer mais alternativas para investir no mercado de imóveis? Saiba mais sobre o XFIX11, o ETF de fundos imobiliários!

 

Você conhecia esse mecanismo de segurança da bolsa de valores? Para conhecer mais sobre o mercado financeiro, acompanhe nossos conteúdos no YouTube, Instagram e LinkedIn!