O agronegócio brasileiro é o terceiro maior produtor agrícola do mundo — e um dos principais pilares da nossa economia. Assim, muitos investidores se interessam pelo setor para diversificar a carteira e buscar bons resultados. Uma das formas de fazer isso é por meio do fiagro.

Essa é a sigla utilizada para representar os Fundos de Investimentos nas Cadeias Produtivas Agroindustriais. Eles começaram a ser negociados na B3 (a bolsa de valores brasileira) a partir de 2 de agosto de 2021 e estão chamando atenção.

Quer compreender o que são esses fundos de investimentos, como eles funcionam e quais possibilidades podem trazer aos investidores? Então acompanhe a leitura deste texto!

O que é fiagro?

Como você viu, fiagro é a sigla referente aos Fundos de Investimentos nas Cadeias Produtivas Agroindustriais. Esses fundos surgem com o objetivo de ampliar as opções para investimentos no agronegócio brasileiro, tanto de pessoas físicas como jurídicas — inclusive, estrangeiras.

É importante notar que a criação do fiagro tem sua regulamentação inspirada nos Fundos Imobiliários, mas com certas diferenças para adaptá-lo à realidade da produção rural.

Dessa forma, o intuito do novo produto do mercado é ampliar a captação de recursos financeiros para o setor agropecuário — o que, até então, ocorria principalmente por meio de investidores institucionais.

Como funcionam esses fundos de investimentos?

Agora que você sabe o que é o fiagro e de que forma ele surge como alternativa tanto para o investidor como para produtores do setor agropecuário, é importante entender como esses fundos funcionam.

Confira as informações a seguir!

Características

É possível afirmar que os recursos captados pelo fiagro apresentam uma dinâmica semelhante à dos fundos imobiliários. Ou seja, um gestor ou instituição financeira gestora será responsável pela decisão de como lidar com os recursos captados dos investidores.

Contudo, vale lembrar que as decisões tomadas pela gestão devem estar de acordo com as especificidades presentes no regulamento do fundo. No caso do fiagro, os investimentos devem ser direcionados em ativos do agronegócio, tais como:

  • aquisição de imóveis rurais (fazendas, por exemplo);
  • participação em sociedades que exploram atividades integrantes da cadeia produtiva;
  • direitos creditórios do agronegócio – certificados de recebíveis do agronegócio (CRA) e cotas de fundos de investimentos em direitos creditórios;
  • direitos creditórios imobiliários referentes a imóveis rurais;
  • ativos financeiros, como títulos de crédito ou valores mobiliários, emitidos por pessoas físicas ou jurídicas dentro da cadeia produtiva do agronegócio;
  • cotas de fundos de investimentos que apliquem a maior parte do patrimônio em ativos do setor agroindustrial.

Os investidores que têm interesse na oportunidade podem participar do fundo adquirindo cotas. Assim, eles podem aproveitar os resultados conquistados pelo gestor. O intuito é que os investimentos se convertam em crescimento e tragam retorno positivo para os cotistas.

Rentabilidade

É importante compreender que a rentabilidade do fiagro varia de acordo com o tipo de fundo, pois os recursos captados podem ser aplicados de diferentes formas. Ou seja, os resultados serão diferentes dependendo do ativo em que os recursos são investidos.


INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

Aprenda a como investir no exterior de forma prática


Apenas a título de exemplo, o fiagro-FIDC (fundos de investimento em direitos creditórios) pode apresentar uma rentabilidade menos volátil. Isso porque ele é pautado em direitos creditórios, cujo rendimento geralmente é predefinido.

Por outro lado, em fiagro FII e FIP (respectivamente fundo de investimento imobiliário e fundo de investimento em participações) podem apresentar maior volatilidade nos rendimentos. Afinal, nesses casos as negociações giram em torno de terras arrendadas ou empresas do setor.



Como os ganhos ocorrem somente em momentos de safra, é comum que as receitas acabem sendo concentradas nesses períodos. Contudo, é possível que ocorra distribuição mensal de rendimentos, caso o fundo tenha uma estrutura financeira capaz de fazer compensações.

Quais as vantagens e riscos do fiagro?

Depois de compreender melhor as características e funcionamentos do fiagro, é importante analisar as vantagens e os riscos que esses tipos de fundos apresentam.

Saiba mais!

Vantagens

Um ponto positivo dos fiagros é que eles estão atrelados a um dos setores de maior relevância no Brasil. Muitas empresas do setor têm ações negociadas em bolsa e os produtos apresentam seus preços indexados ao dólar. Nesse sentido, pode existir possibilidades de valorização.

Outra vantagem é que, por meio de um fundo de investimento, o investidor não precisa se expor diretamente a um ativo específico. Assim, a participação se torna mais simples e menos burocrática, além de contar com a gestão de profissionais.

Riscos

Com relação aos riscos desse fundo de investimento, em grande parte eles estão relacionados à sazonalidade do setor. Diferente de outras áreas, a agricultura tem períodos mais espaçados de resultados, o que dificulta receitas constantes e pode gerar maior volatilidade de rendimentos.

Além disso, também é necessário levar em consideração que o setor agroindustrial pode ser duramente afetado por questões climáticas, pela variação nos preços das commodities e do dólar. Tudo isso faz com que investimentos nesse setor estejam sujeitos a maior imprevisibilidade.

Como investir em fiagro?

Agora foi possível compreender as principais informações a respeito do fiagro, desde seu significado até suas vantagens e riscos. Então é importante saber como investir nesses fundos, se for do seu interesse.

O investimento em fiagro pode ser realizado de maneira semelhante aos fundos imobiliários. Ou seja, é necessário que o investidor tenha uma conta em um banco de investimentos e compre cotas do fundo desejado a partir da ferramenta de home broker da plataforma.

Contudo, antes de fazer o investimento, é importante levar em consideração seu perfil investidor e objetivos financeiros. Como vimos, embora o setor do agronegócio tenha vantagens, ele também apresenta riscos.

Portanto, avalie se esse tipo de investimento está de acordo com sua gestão de risco e estratégia de investimento. Lembre-se de analisar as possibilidades do mercado, a gestão histórica do fundo desejado e se organizar para fazer aportes.

Além disso, considere que o suporte de uma assessoria de investimentos pode ajudar de diversas formas em seus investimentos, auxiliando na identificação de oportunidades e na tomada de decisão mais sólida e adequada à sua estratégia.

Como você acompanhou ao longo do texto, investir no agronegócio a partir do fiagro pode ser uma maneira de diversificar a carteira e se expor a um dos maiores setores do mercado brasileiro. Entretanto, é importante avaliar as condições desse investimento com atenção.

Quer saber mais sobre diferentes oportunidades do mercado financeiro? Siga nossos perfis nas redes sociais. Estamos no Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube!