O ETF ESGB11 do banco BTG Pactual é uma das alternativas para os investidores que desejam investir pensando na sustentabilidade. Por isso, ele tem foco no conceito ESG — você já conhece esse termo?

Nos últimos anos, companhias que se comprometem em preservar o meio-ambiente e adotar medidas que reduzam danos socioambientais ganharam a atenção dos investidores. Assim, os investimentos sustentáveis se tornaram tendência também no mercado financeiro.

Atendendo às exigências em relação a essa tendência, o ETF ESG do BTG surgiu no mercado. Acompanhe a leitura e entenda mais sobre ele!

O que são ETFs?

Os exchange traded funds (ETF) também são conhecidos como fundo de índice. Trata-se de um tipo de fundo de investimento com o objetivo de replicar um indicador de mercado. Para isso, investem de acordo com a carteira teórica do índice de referência.

Em outras palavras, um ETF é composto por produtos financeiros ou ativos — como as ações — relacionados ao seu benchmark, visando obter uma rentabilidade igual ou próxima a ele. Eles são negociados na bolsa de valores e o preço das cotas oscila com as variações do mercado.

Os ETFs são identificados na bolsa por meio de um código alfanumérico. São 4 letras seguidas pelo código 11, que representam o nome do fundo, como é o caso do ESGB11. Por suas características, os fundos de índice conseguem apresentar benefícios aos investidores.

Confira as principais vantagens dessa modalidade de investimento:

  • ajudam a diversificar a carteira e reduzir risco de concentração de investimento;
  • permitem maior acesso a diferentes mercados e classes de ativos;
  • tendem a ter maior liquidez por serem negociados em bolsa;
  • costumam ter taxas de administração mais baixas do que os fundos de gestão ativa.

O que são investimentos ESG?

Para entender o ESGB11 também é importante conhecer o conceito de investimentos ESG. Essa sigla se refere a environmental, social e governance. Ou seja, ela elenca boas práticas em relação ao meio ambiente, sociedade e governança corporativa.

A parte ambiental trata das operações empresariais que visam minimizar os impactos do negócio no meio ambiente. Por exemplo, o descarte de lixo, as emissões de gás carbônico, a utilização de recursos naturais etc. Também são consideradas as práticas voltadas à preservação ambiental.

Com relação ao fator social, a companhia deve promover segurança, bem-estar e conforto aos colaboradores no ambiente de trabalho. Incentivar a diversidade no quadro de funcionários, nos conselhos e diretorias também faz parte das práticas sociais que podem ser adotadas.

Já na área de governança corporativa, a empresa pode adotar ações de combate a fraudes e corrupção, priorizar o código de ética, entre outras práticas.


Os critérios são bastante amplos e devem ser estudados de forma aprofundada para compreender como se aplicam às organizações. Com essas informações, é possível identificar empresas e investimentos ESG.

Sendo assim, fazem parte dessa classificação os investimentos pautados nos critérios apontados acima. Logo, os ativos devem se alinhar a questões relacionadas à defesa do meio ambiente e compromisso com o meio no qual está inserido, por exemplo.

O que é ESG para o BTG Pactual?

Após conhecer o conceito, vale entender o que ele significa para o BTG Pactual. Esse é o maior banco de investimentos da América Latina e atua com o compromisso de adotar critérios ESG na gestão de riscos, tomadas de decisão e oferta de produtos aos investidores.

A política de sustentabilidade da empresa reflete o anseio de longo prazo e o comprometimento com o desenvolvimento responsável e sustentável. Inclusive, o banco é signatário do Pacto Global da ONU (UNGC, em inglês) e reconhece a importância dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Além disso, a BTG Pactual Asset acredita que companhias que consideram os fatores ESG são impactadas positivamente por diversos fatores no longo prazo. Nesse sentido, o banco aderiu aos Princípios do Investidor Responsável e se comprometeu publicamente em desenvolver e integrar esses aspectos na seleção dos ativos.

O que é o ETF ESG do BTG Pactual?

Agora que você sabe o que é ETF e o que é ESG, pode conhecer mais sobre o fundo de índice focado em sustentabilidade do BTG Pactual. Ele foi criado em 2020 e é negociado na B3 pelo ticker ESGB11. Esse veículo de investimentos replica o índice S&P/B3 Brasil ESG.


O objetivo é investir em empresas que demonstram estar comprometidas com os requisitos ESG. Segundo Andrea Cardia, gestora do ESGB11, o ETF não incluiu grandes empresas como Vale, JBS, Petrobras e frigoríficos. Isso acontece justamente por não estarem em harmonia com os princípios estabelecidos pelo índice.

Sobre o índice S&P B3 Brasil ESG

O índice S&P/B3 Brasil ESG foi lançado em setembro de 2020. Ele é composto por 96 empresas e utiliza as pontuações ESG estabelecidas pela S&P Dow Jones, o mesmo critério utilizado pelo Dow Jones Sustainability Index.

Assim, existe um processo aprofundado de análise para selecionar as empresas que farão parte do índice. O indicador ainda exclui companhias que não são cobertas pela S&PDJI, que não aderiram ao Pacto Global da ONU ou que são de setores específicos.

Os ativos elegíveis são identificados pela pontuação ESG da S&PDJI, feita com base na Avaliação de Sustentabilidade Corporativa.

Um dos critérios de ponderação usados pelo índice são as notas ESG de cada empresa de acordo com a S&P Global Ratings. Para isso, ele respeita o limite de peso máximo de 10% por emissor e limite de liquidez dos papéis.

Diferenciais do índice S&P B3 Brasil ESG

Existem dois principais diferenciais do índice S&P B3 Brasil ESG que merecem destaque. Primeiro, ele premia as empresas com melhores notas ESG.  Dessa forma, elas recebem pesos maiores, sem excluir as ações que tenham notas ESG mais baixas.

Isso permite criar um incentivo para que as companhias adotem melhores políticas e práticas de sustentabilidade. Afinal, a prática aumenta o seu peso índice ao longo do tempo. Outro ponto positivo é a abrangência do indicador, que o torna bastante representativo no mercado.

Como a carteira inicial é composta por 96 empreendimentos, há oportunidades para empresas de médio porte se tornarem relevantes no índice. Para tanto, basta que elas respeitem os critérios de liquidez.

Conforme foi possível aprender, investir em empresas comprometidas com a sustentabilidade é uma tendência que pode ser bastante positiva. Por isso, o ETF ESGB11 do BTG Pactual pode ser uma forma de diversificar a carteira e se manter alinhado a essa direção.

Se interessou pelo ETF ESG do BTG Pactual? Se você quer investir em companhias que seguem esses princípios, entre em contato conosco para saber mais sobre esse fundo!