Renova Invest Facebook

Asset management: entenda como funciona esta gestão de ativos

Criar um portfólio de investimentos e escolher as alternativas do mercado para alocar recursos não são tarefas simples. É preciso considerar os objetivos do aporte e a relação entre risco e retorno, por exemplo. Para contar com auxílio profissional, uma possibilidade é a aplicação do asset management.

Essa é uma abordagem voltada para ativos e pode ajudar diferentes investidores. Porém, para ter certeza que a escolha vale a pena, é essencial entender como é o funcionamento da estratégia. Assim, você pode tomar sua decisão com mais segurança.

Neste artigo, descubra o significado de asset management e veja se essa é a alternativa certa para o seu caso!

O que é asset management?

O asset management também é conhecido como gestão de ativos. Ele consiste em um conjunto de práticas e atividades profissionais focadas no gerenciamento e na rentabilização de uma carteira de ativos.

É importante não confundir o termo com asset, por exemplo. Nesse caso, trata-se de uma empresa que trabalha com asset management e é responsável por gerir os recursos de terceiros.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

Já os profissionais são chamados de asset managers — ou gestor de recursos. Eles podem atuar tanto de forma autônoma quanto vinculados a uma asset.

Para que serve?

O principal objetivo do asset management é gerenciar os bens que fazem parte de um patrimônio ou portfólio. Isso significa não apenas fazer a manutenção dos ativos, mas também considerar a compra e a venda deles, em busca da rentabilização da carteira.

Ainda, essa abordagem é útil para fazer uma alocação de recursos que contemple características como a tolerância ao risco e os objetivos em relação aos resultados do aporte.

Como funciona o processo de asset management?

Para alcançar os objetivos, o asset management reúne um conjunto de boas práticas. É necessário entender qual deve ser a relação entre risco e retorno e, a partir disso, delimitar uma estratégia para orientar a tomada de decisão.

Também é preciso fazer um acompanhamento dos resultados, do mercado e das oportunidades. Assim, os profissionais podem definir se é o momento de vender ou comprar ativos. Isso se aplica em uma abordagem de gestão ativa, que busca superar o desempenho de referência do mercado.


Ademais, o funcionamento do asset management pode se dividir dependendo da forma de utilização. Veja quais são as possibilidades!

Fundos de investimento

Os fundos de investimento são modalidades coletivas, em que os investidores adquirem cotas para participar dos resultados. Os recursos são administrados por um gestor profissional, que utiliza seus conhecimentos para fazer análises e tomar decisões de investimento.

Nos fundos, o asset management é aplicado por uma gestora, responsável pela composição do portfólio. Para isso, há uma seleção de ativos de acordo com a estratégia de investimento delimitada, considerando riscos e possibilidades de retorno.

A gestora também cuida da comercialização dos fundos. Assim, ela é responsável não apenas pela gestão do patrimônio e escolha de ativos, mas também garante uma atuação adequada dentro do mercado financeiro.

Wealth management

A gestão de fortuna ou wealth management é uma estratégia completa que cuida de toda a riqueza de uma pessoa. Portanto, o processo não é o mesmo que asset management, que foca no gerenciamento de ativos financeiros.

O serviço vai além do planejamento financeiro e envolve diversas áreas e profissionais. Logo, não se trata de uma prática isolada. Na verdade, a gestão de fortunas envolve uma atuação focada no pagamento de impostos, na sucessão patrimonial e em bens que não se limitam ao mercado financeiro, como imóveis.

Contudo, o asset management é um dos serviços utilizados no processo. Afinal, é por meio dele que há o cuidado com o portfólio de investimento. Portanto, embora os conceitos não sejam iguais, eles estão relacionados.

Family office

Assim como acontece com o wealth management, o family office não tem o mesmo significado de asset management. Na prática, esse é um serviço especializado com foco em grandes fortunas.

Trata-se de uma forma de gerenciar o patrimônio de uma família (single family office) ou de mais famílias (multi family office). Para isso, são utilizadas diversas soluções do mercado — como a criação de holdings familiares.

O processo envolve aspectos jurídicos, fiscais e contábeis, além dos investimentos. O objetivo é proteger, ampliar e favorecer a continuidade do patrimônio entre as gerações da família. Logo, é comum recorrer ao asset management, especialmente em relação ao mercado financeiro.

Gestão individual

Além das outras possibilidades, a gestão de ativos pode estar focada em um único investidor. Afinal, ele pode não se enquadrar na gestão de fortunas ou não querer um serviço tão amplo, por exemplo.

Nessa situação, um gestor é designado para desenvolver uma estratégia específica e personalizada para a gestão de ativos. É comum que a tomada de decisão fique a cargo do profissional, que define quando devem ocorrer a compra e a venda de investimentos, conforme as oportunidades.

Todo processo é realizado considerando características individuais do cliente. Por exemplo, perfil de investidor (e a tolerância ao risco), objetivos financeiros, disponibilidade financeira etc.

Quais são as vantagens desse serviço?

Contar com a gestão de recursos e com o controle de ativos oferecido pelo asset management pode ser vantajoso. Uma das principais vantagens envolve a possibilidade de rentabilizar a carteira e alcançar resultados melhores.

Isso acontece porque o gestor responsável por aplicar essa abordagem deve ser certificado no mercado financeiro. Como consequência, ele detém os conhecimentos e a experiência que podem favorecer a tomada de decisão.


Dessa forma, o gestor pode estabelecer planos estratégicos, colocá-los em prática e gerenciá-los ao longo do tempo. Ademais, como as escolhas são feitas por um profissional, há chances de melhorar a geração de resultados ao investir.

No entanto, isso não significa que o profissional consegue prometer ou garantir desempenhos positivos — principalmente quando se trata de investimentos em renda variável.

O asset management também pode oferecer praticidade e conveniência para o investidor. Afinal, independentemente do modelo selecionado, não é preciso tomar todas as decisões ou realizar as operações por conta própria.

Essa praticidade pode ser um ponto de destaque para quem não tem tanto tempo para dedicar à tarefa. O serviço também é uma forma de contar com um atendimento personalizado e exclusivo. Dessa maneira, é possível considerar as suas condições específicas para a tomada de decisão.

Vale a pena contar com asset management?

Apesar das vantagens, é preciso avaliar se realmente vale a pena contar com o serviço de asset management. Para tomar a decisão, o ideal é analisar as suas características. Comece identificando o seu perfil de investidor e os seus objetivos.

Além disso, pense no seu planejamento financeiro e no quanto você dispõe de recursos para alocar. Normalmente, contratar um gestor de ativos tem custos mais elevados, devido à transferência de responsabilidade e da tomada de decisão para o profissional. Então verifique se a escolha é financeiramente viável.

Porém, ainda que o asset management não seja adequado para você, saiba que não é preciso ficar sem apoio profissional. Uma possibilidade é recorrer a uma assessoria de investimentos. Saiba mais sobre essa possibilidade a seguir.

O que é uma assessoria de investimentos?

A assessoria de investimentos é uma empresa formada por profissionais certificados e que detêm amplo conhecimento sobre o mercado financeiro. Para atuar na área, os assessores precisam ser registrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Assim, eles podem ajudá-lo a entender o seu perfil de investidor e a identificar uma estratégia de investimentos para alcançar seus objetivos financeiros. Além disso, o assessor pode fornecer o suporte necessário para que você conheça melhor as oportunidades do mercado financeiro.

Como funciona?

O serviço de assessoria de investimentos é gratuito e oferecido por escritórios vinculados a uma instituição financeira. Como você viu, eles são formados por profissionais que estão prontos para solucionar dúvidas sobre os principais investimentos do mercado.

As informações podem ser úteis para identificar oportunidades ou fazer um planejamento mais adequado às suas necessidades. Por isso, eles fornecem dados relevantes para a sua tomada de decisão nos investimentos.

Vale ressaltar que os assessores — também chamados de agentes autônomos de investimentos (AAI) — não podem recomendar ou indicar investimentos, nem fazer análises das alternativas disponíveis.

Eles possuem autorização apenas para apresentar as características e trazer informações confiáveis sobre os investimentos. Logo, o investidor continua responsável por tomar as decisões de alocação e realizar as operações.

Portanto, você terá autonomia para montar a carteira de acordo com suas expectativas e necessidades. A vantagem é que, com a ajuda do profissional, você terá mais embasamento para fazer as escolhas.

Além disso, mediante autorização expressa, o assessor pode repassar as ordens de investimento que o cliente solicitar à mesa de operações do banco de investimentos ao qual  o escritório está vinculado.

Como o assessor de investimentos pode ajudá-lo a investir melhor?

Agora você sabe que o assessor de investimentos pode fornecer informações confiáveis para auxiliar na sua tomada de decisão. Isso aumenta o seu conhecimento sobre o mercado e permite solucionar dúvidas de forma didática e fácil.

Confira de que outras formas o AAI pode ajudá-lo a investir melhor:

Oferece atendimento exclusivo

O atendimento prestado pelos assessores de investimento é personalizado e individual. Dessa forma, o seu perfil de investidor e os seus objetivos são considerados para a identificação de oportunidades, apresentação de investimentos e esclarecimento de dúvidas.

Ajuda a definir estratégias de investimento

As decisões de investimento devem acontecer de forma direcionada, com foco na conquista dos resultados adequados às suas expectativas. Nesse sentido, traçar uma estratégia é fundamental para facilitar as escolhas.

Assim, o trabalho do agente autônomo é interessante porque fornece informações para você montar o seu plano de maneira mais efetiva. Ele também serve como apoio para fazer o rebalanceamento da carteira, de acordo com suas mudanças pessoais.

Apoio para diversificar o portfólio

Diversificar a carteira de investimentos é importante para diluir riscos e aumentar o potencial de rentabilidade. Contudo, é preciso ter cuidado para evitar a falsa diversificação e não pulverizar o seu patrimônio.

Com o apoio de um assessor de investimentos, você entenderá mais sobre o comportamento dos investimentos. Isso permitirá equilibrar ganhos e perdas na carteira de modo estratégico.

Como escolher a melhor assessoria para as suas necessidades?

Depois de conhecer algumas vantagens da assessoria, você se interessou em contratar o serviço? Então entenda como escolher o melhor escritório para as suas necessidades:

Veja a opinião de outros clientes

Considerar a experiência de quem já contou com os serviços da assessoria é interessante para conhecer a qualidade do negócio. Se há um índice elevado de pessoas satisfeitas, por exemplo, a tendência é que o trabalho dos agentes autônomos atenda às suas expectativas.

Portanto, pesquise o que clientes atuais e passados dizem sobre a empresa. Para isso, você pode analisar as interações nas redes sociais, por exemplo. Dessa forma, é possível entender como o escritório trabalha, quais são seus pontos fortes e fracos, entre outras questões relevantes.

Cabe destacar que ser assessorado não garante que você terá resultados positivos. Contudo, ela pode ajudar a alinhar expectativas para que você faça escolhas mais acertadas para a sua carteira.

Conheça a qualificação dos assessores

O critério básico para que a assessoria seja adequada é que ela conte com assessores que tenham o devido registro na CVM. Outros pontos importantes são as certificações, o conhecimento e a experiência no mercado.

Esses fatores favorecem a apresentação de informações confiáveis. Além disso, agregam mais valor ao trabalho do escritório e dos profissionais.

Verifique qual é a instituição parceira

Como você viu, o trabalho do agente autônomo de investimento é gratuito para o investidor. Na prática, quem remunera o profissional é a instituição financeira a qual ele está vinculado.

Portanto, é necessário que os negócios sejam igualmente sólidos e de qualidade. A Renova Invest, por exemplo, é parceira do BTG Pactual — o maior banco de investimentos da América Latina. Assim, é possível ter mais segurança no momento de investir.

Confira a qualidade do atendimento

A qualidade do atendimento é outro fator importante no momento de escolher a assessoria. Afinal, o ideal é contar com um suporte capaz de considerar suas condições específicas e atender às suas necessidades, certo?

Dessa forma, as informações apresentadas serão relevantes e ajudarão a rotina do investidor. Também é interessante conhecer os diferentes meios de contato e verificar se a resposta é ágil e eficiente.

Tudo isso faz diferença no momento da escolha e permite ter um bom nível de suporte para que você consiga gerenciar ou investir seu patrimônio.

Conforme você viu, o asset management envolve um conjunto de práticas ligadas à gestão de ativos. Agora você pode avaliar se vale a pena contar com um gestor para tomar as decisões em relação ao mercado financeiro!

E se o asset management não for a solução ideal para você, não se preocupe! Entre em contato conosco da Renova Invest e conheça a nossa assessoria!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.