A obtenção de uma fonte de renda passiva estável e recorrente é o objetivo de muitos investidores — especialmente aqueles com foco no longo prazo. Para tornar isso possível, contar com pagamentos de dividendos pode ser uma estratégia interessante.

Nesse tipo de planejamento, o investidor compõe sua carteira com ativos com probabilidade de fazerem repasses frequentes de dinheiro. Contudo, muitas pessoas têm dúvidas sobre como colocar a estratégia em prática e analisar as alternativas.

Neste artigo você entenderá mais sobre o tema e descobrirá o que considerar para ter uma renda passiva a partir do pagamento de dividendos. Acompanhe a leitura!

O que é renda passiva?

Embora a renda passiva seja um conceito comum de se ouvir entre investidores, não é raro encontrar aqueles que tenham dúvidas sobre o seu significado. Por isso, é importante que exista uma explicação sobre ele para gerar uma maior clareza.

Assim, a renda passiva consiste em toda forma de obtenção de capital que existe sem que você precise, necessariamente, dedicar horas de trabalho por ela. Para compreender melhor, suponha que você adquiriu um apartamento na cidade em que mora.

No entanto, seus planos não são de usá-lo como residência própria. Na realidade, essa aquisição será utilizada para alugar. Logo, você receberá inquilinos que pagarão uma quantia regular de aluguel em troca do uso do espaço.

Com isso, o imóvel se tornou uma fonte de renda passiva, certo? Isto é, ele está gerando retornos sem que você precise, obrigatoriamente, fazer um trabalho ativo todos os dias ou meses por eles.

Uma estratégia ainda mais simples para conseguir essa renda passiva é fazer aportes no mercado de investimentos. Para isso, o investidor adquire ações de empresas ou cotas de fundos imobiliários (FIIs), por exemplo, e poderá ser incluído em eventuais repasses de proventos, como os dividendos.

Quais as vantagens de investir com essa estratégia?

Como você viu, a renda passiva pode trazer benefícios interessantes ao investidor. Mas, afinal, quais as vantagens de investir com essa estratégia, especialmente para o longo prazo?

Saiba mais sobre os seus principais pontos positivos!

Ampliar seu capital

Criar uma fonte de renda passiva é uma das principais formas de ampliar seu capital. Embora se dedicar ao trabalho continue sendo indispensável, é preciso pensar que, em determinado momento, você poderá encontrar limitações em sua produtividade.

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!




Por isso, fazer com que seu dinheiro trabalhe por você é uma estratégia importante pensando no futuro. Assim, enquanto você se dedica ao seu emprego ou função, o seu capital investido está gerando resultados e se ampliando —sem que haja mais trabalho envolvido.

Aproximá-lo de seus objetivos

Outro ponto interessante da renda passiva por meio de dividendos está em aproximá-lo de sonhos e objetivos que poderiam parecer distantes. Ao encontrar novas fontes de renda, torna-se mais simples otimizar o planejamento para a realização de desejos.

Melhorar seu padrão de vida

Investir com foco em dividendos também pode atuar para melhorar sua qualidade de vida. Isso se dá porque, ao conseguir criar uma nova fonte de renda, você passa a dispor de mais capital nas mãos. Esse, por sua vez, poderá ser utilizado para trazer mais conforto para você e sua família.

Iniciar com menos capital

Como você viu, um exemplo de fonte de renda passiva é um apartamento alugado. Contudo, adquirir imóveis pode ser um investimento que demande um alto capital por parte do investidor.

Já na bolsa de valores, é possível iniciar com pouco e se expor a diferentes mercados. Com investimentos frequentes, é possível acompanhar o acúmulo de capital no longo prazo.

Como ter renda passiva a partir dos pagamentos de dividendos?

Agora que você conheceu as vantagens da renda passiva a partir de dividendos, pode estar se perguntando como obtê-la, não é mesmo? Para isso, é interessante avaliar alguns aspectos.

Confira!

Analise as alternativas do mercado

O primeiro ponto consiste em avaliar os ativos nos quais pretende investir. Em linhas gerais, os principais pagadores de dividendos são as empresas e os fundos imobiliários. No entanto, também é possível adicionar os brazilian depositary receipts (BDRs) a essa estratégia — que consistem em certificados de ativos internacionais disponíveis na bolsa brasileira, a B3.

Para fazer boas escolhas, é preciso se dedicar a conhecer os principais indicadores desses ativos. Esse estudo pode ser feito por meio da análise fundamentalista, que permite o entendimento e a realização de projeções sobre os números da companhia ou fundo.

Em relação a fundos de investimentos, as principais informações estão na lâmina do veículo. Esse documento apresenta os dados sobre o seu funcionamento e, assim, possibilita uma compreensão mais clara da modalidade e sua respectiva estratégia antes de investir.

Também é interessante conhecer o histórico de repasse de dividendos, pois eles podem funcionar como um norte para a sua avaliação. Mas lembre-se de que, em investimentos de renda variável, os resultados do passado não são garantia do futuro.

Entenda o funcionamento dos repasses

A legislação brasileira determina que empresas de capital aberto façam um repasse de lucros líquidos aos seus cotistas. No texto, há a exigência de que cada empresa defina sua própria porcentagem. Caso não o faça, existe um percentual mínimo de distribuição.

Já para os fundos imobiliários, 95% dos lucros devem ser repassados em forma de dividendos semestralmente. Considerando esses dados, você pode entender melhor como funciona o repasse de cada empresa ou FII antes de adicionar o investimento ao seu portfólio.

Diversifique a carteira

Um aspecto positivo para a segurança da sua carteira e o equilíbrio no recebimento de dividendos é a diversificação do portfólio. Ou seja, não é indicado fazer todos os seus aportes em apenas uma alternativa do mercado.

Ao diversificar, você consegue diluir os riscos e ampliar o potencial de retorno. Além disso, a diversificação amplia as chances de criar uma fonte regular de renda passiva. Assim, é possível que você receba dividendos de diferentes fontes constantemente.

Reinvista os dividendos

Você já sabe que a renda passiva por meio de dividendos pode ser mais vantajosa para o longo prazo — graças à atuação dos juros compostos. Portanto, pode ser válido usar o seu lucro para a aquisição de novas ações ou cotas — incrementando o seu portfólio.

Essa estratégia pode ajudar a potencializar o seu acúmulo de capital. Então, mesmo começando com pouco, você poderá aumentar seus aportes gradativamente — o que pode se traduzir em maiores lucros no futuro.

Como vimos, os pagamentos de dividendos podem ser interessantes para aqueles que buscam criar fontes de renda passiva — especialmente no longo prazo. Para isso, é essencial entender o que levar em consideração na hora de investir considerando essa estratégia!

Quer saber mais sobre essa e outras estratégias de investimento? Converse com nossos assessores!