A bolsa de valores traz diversas oportunidades de investimentos, como os fundos imobiliários (FIIs). Eles permitem que o investidor exponha seu capital ao setor imobiliário, sem que seja necessário adquirir um imóvel.

Além disso, os FIIs realizam o pagamento de dividendos, que pode acontecer em diferentes frequências, inclusive mensal. Logo, são alternativas que podem atender quem está buscando uma forma de receber renda passiva, desde que alinhados ao perfil de investidor e objetivos financeiros.

Se você está à procura de investimentos nesse segmento, confira neste artigo 6 dos melhores fundos imobiliários que podem ser interessantes para a sua carteira. Não perca!

O que são FIIs?

Os FIIs, ou fundos de investimento imobiliário, são veículos de investimento coletivo. Assim, são formados por investidores que tem o objetivo de investir no setor de imóveis. Nesse caso, o patrimônio reunido é dividido em cotas de participação que são negociadas na bolsa.

Ao comprar uma cota, você se torna cotista e passa a compartilhar os resultados e riscos do veículo. Já o patrimônio fundo fica sob a gestão de um profissional do mercado — também chamado de gestor. Ele é o responsável por montar a carteira do fundo conforme a estratégia definida.

Ademais, os fundos podem ser divididos em 3 tipos principais:

  • fundos de papel: o foco é investir em títulos atrelados ao setor imobiliário — como LCI (letra de crédito imobiliário) e CRI (certificado de recebíveis imobiliários);
  • fundos de tijolo: são focados na aquisição de imóveis físicos para venda ou locação — como prédios comerciais, galpões logísticos, lajes corporativas, e outros;
  • fundos de fundos: o objetivo é investir em cotas de outros fundos imobiliários.

Quais as vantagens e riscos?

Depois de conferir o conceito e os tipos de FIIs existentes, é interessante saber as vantagens de riscos dessa modalidade de investimento.

Uma das principais vantagens de investir em FIIs é a acessibilidade. O preço de uma cota costuma ser consideravelmente inferior ao que seria necessário para comprar um imóvel, por exemplo. Logo, tende a ser um investimento acessível mesmo para quem não tem muito capital.

Outro benefício é a capacidade de diversificação trazida pelos FIIs. Ainda que existam fundos com menos ativos na carteira, muitos deles contam com múltiplos títulos ou propriedades no portfólio. Assim, com apenas uma cota seu capital estará exposto a diversas alternativas.

Em relação aos riscos, é preciso lembrar que os FIIs integram a classe da renda variável. Isso significa que não é possível determinar com antecedência os resultados do investimento, existindo riscos de ter perdas financeiras.

6 Dos melhores fundos imobiliários para investir

Conhecendo as vantagens e riscos do investimento, chegou o momento de conferir 6 dos melhores fundos imobiliários, segundo a carteira de FIIs do banco BTG Pactual de outubro de 2021.

Acompanhe!

1. KNCR11

KNCR11 é o ticker de negociação do FII Kinea Rendimentos Imobiliários, um fundo imobiliário de papel. Sua estratégia consiste em adquirir títulos e certificados de empresas sólidas no mercado. Assim, grande parte do seu portfólio está referendado em títulos de escritórios corporativos.

No total, em 2021 a carteira era composta por 48 títulos, com prazo médio de vencimento de 5,5 anos. Na época, a remuneração média dos CRIs era o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) + 2,84% a.a. ou o IPCA (índice de preços ao consumidor amplo) + 5,30% a.a.

2. BTCR11

BTCR11 é o código do FII BTG Pactual Crédito Imobiliário, outro fundo de papel. Seu objetivo é investir em ativos de renda fixa lastreados no setor imobiliário, de preferência CRIs. Ademais, ele busca preservar o capital investindo em títulos de longo prazo.

Em outubro de 2021 a sua carteira era composta por 24 CRIs, sendo que mais da metade tinha vencimento superior a 4 anos e apenas 6% de seus títulos possuíam prazo inferior a 2 anos.

3. RBRR11

O FII RBR Rendimento High Grade, identificado pelo ticker RBRR11, também está no segmento de fundo de papel. No total, ele contava 42 títulos na carteira em outubro de 2021.

Na prática, a maior parte estava aplicada em investimentos estruturados pela própria gestora (a RBR Gestão de Recursos). Ainda, 10% do portfólio estava alocado em investimentos táticos de curto prazo, com mais 7% dos recursos disponíveis em caixa para aproveitar oportunidades.

4. HSLG11

O HSI Logística FII (HSLG11) é um fundo imobiliário de tijolo, que objetiva adquirir galpões logísticos. Suas operações normalmente envolvem a compra e venda, além de operações sale-leaseback e built-to-suit.

Em outubro de 2021, o FII possuía 5 imóveis nas regiões sul e sudeste — a maior parte de alto padrão. Entre os locatários estão empresas como Grupo Pão de Açúcar, Renner, Viia (antiga Via Varejo) e Pirelli. A maior parte dos contratos previam a locação com vencimento após 2025.

5. RCRB11

O FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) também é um fundo de tijolo. Porém, sua estratégia envolve a aquisição de lajes corporativas. Sua carteira era composta por 10 imóveis distribuídos entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, considerando dados de outubro de 2021.

O fundo possui como locatários grandes empresas como Ambev, Heineken, Banco Daycoval e WeWork. Grande parte de suas locações tinham previsão para encerrar após 2025.

6. RBRP11

O RBRP11 ou FII RBR Properties é classificado como fundo de fundo. Entre as suas estratégias estão a aquisição de cotas de outros FIIs, bem como ativos de tijolo, em construção e caixa. Com base nisso, apresenta uma grande diversificação para se adaptar aos diferentes ciclos do mercado.

Vale destacar que os FIIs citados faziam parte da carteira recomendada por analistas da instituição no mês de outubro de 2021 — juntamente com outros fundos. Contudo, a decisão de tê-los ou não no portfólio depende de uma análise individual de cada investidor.

Para acompanhar a carteira completa, basta clicar aqui ou contatar o time da Renova Invest.

Como investir em FIIs?

Se você se interessou pelo investimento em FIIs, saiba que o aporte é feito de forma semelhante ao aporte em ações. As negociações ocorrem na bolsa de valores, então é preciso ter conta em um banco de investimento para ter acesso ao home broker.

Nessa plataforma, basta digitar o ticker do FII desejado, a quantidade de cotas, preço e emitir a ordem de compra. Caso haja um interessado na venda das cotas pelas condições ofertadas, o negócio será executado e em poucos dias as cotas serão incluídas em sua carteira.

Conhecendo agora os 6 melhores fundos imobiliários de acordo com a carteira do Banco BTG Pactual, não deixe de avaliar outros aspectos antes de investir neles. Para tanto, considere o seu perfil de investidor, objetivos financeiros e estratégias previamente traçadas.

Gostou de conferir alguns dos ativos presentes na carteira de FIIs do Banco BTG Pactual em outubro de 2021? Entre em contato com a Renova Invest para conhecer as carteiras mensais atualizadas!

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!