Você sabia que existem meios acessíveis para investir em diversas empresas brasileiras do setor de tecnologia? Por meio do fundo de índice TECB11, por exemplo, é possível se expor a esse segmento e diversificar a carteira.

Esse veículo de investimento permite que os investidores brasileiros exponham parte dos seus capitais a um setor específico da economia. Então vale a pena conhecer mais sobre essa alternativa para entender se ela faz sentido para a sua estratégia.

Ficou interessado nessa possibilidade? A seguir, descubra as principais características do ETF TECB11 e avalie se vale a pena investir nesse fundo de índice.

Vamos lá?

O que são ETFs?

Primeiramente, é importante entender o que são ETFs. A sigla significa exchange traded funds, também conhecidos como fundos de índice. Logo, eles funcionam de forma similar aos demais fundos de investimento.

Na prática, há um gestor profissional responsável pela realização dos investimentos, de acordo com a estratégia do fundo. No caso dos ETFs, a gestão é passiva, pois o objetivo é replicar o desempenho de um índice de referência.

Para tanto, o gestor aporta os recursos de acordo com a carteira teórica do indicador escolhido. Dessa forma, ele não precisa realizar operações em busca de obter uma performance que supere o mercado.

Além disso, para participar do fundo de índice, o investidor deve adquirir cotas. Elas são negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3.

Vale destacar que há incidência de Imposto de Renda sobre o lucro obtido na venda das cotas. Porém, a alíquota varia conforme o tipo de operação e o foco do ETF. Para aqueles focados em renda variável, como o TECB11, a porcentagem é de 15% para operações comuns e 20% para day trade.

O que é o TECB11?

Agora você sabe o que são ETFs e pode entender melhor o que é o TECB11. Trata-se de um fundo de índice que replica a carteira de um índice formado por empresas que atuam no setor de tecnologia e tem sede ou parte relevante de suas operações no Brasil.

Esse ETF foi lançado na B3 em outubro de 2021 e espelha o Índice de Ações Tech Brasil, calculado pela Teva Índices. Esse indicador possui exposição a três segmentos do setor de tecnologia:

  • intermediação financeira: companhias que desenvolvem sistemas de intermediação financeira e serviços digitais;
  • e-commerce: empresas com vendas digitais que correspondam a, pelo menos, metade da receita ou que estejam integradas na cadeia de valor de e-commerce;
  • software, hardware e dados: companhias que desenvolvem, produzem e comercializam equipamentos de tecnologia ou que oferecem serviços tecnológicos.

Como funciona o TECB11?

Para entender o funcionamento do ETF TECB11, é preciso conferir como são os aportes. Ele investe a maior parte do seu patrimônio em ações do índice de referência, em qualquer proporção ou em posições compradas no mercado futuro do indicador. Para isso, são observados os limites e requisitos previstos no regulamento.

DESCUBRA COMO INVESTIR COMO UM PROFISSIONAL Investir como um profissional

DESCUBRA COMO INVESTIR COMO UM PROFISSIONAL Investir como um profissional

Saiba tudo sobre ETFS - a forma de sostificar os seus investimentos

O restante da carteira pode ser composto por ações e outros ativos não incluídos no benchmark, desde que eles constituam investimentos permitidos. Todo dividendo ou bonificação pagos pelos emissores dos papéis que compõem o portfólio do ETF são incorporados ao seu patrimônio.

Também é interessante saber que a gestora do fundo é a Magnetis e o administrador é o banco BTG Pactual. Como todo ETF, o investimento em TECB11 envolve taxas. Entre elas, está a taxa de administração, que remunera o trabalho do gestor. Em novembro de 2021, ela era de 0,6% ao ano.

Já em relação ao público-alvo, esse ETF é destinado a investidores em gerais. Portanto, pode ser acessado por qualquer interessado na aquisição das cotas.

Quais são as vantagens e desvantagens dos ETFs?

Se você tem dúvidas sobre o aporte, é interessante conhecer as vantagens e desvantagens dos ETFs. Em relação aos benefícios, um dos principais é a possibilidade de diversificação da carteira. Ao adquirir cotas do TECB11 na bolsa de valores, por exemplo, seu capital estará exposto a diversas empresas brasileiras de tecnologia.

A facilidade de investimento também é um benefício importante. Muitos investidores não têm conhecimento ou tempo suficiente para analisar diversos ativos e definir a composição de seus portfólios. Nesse sentido, contar com gestão profissional da carteira é um diferencial.

Como os ETFs são constituídos na forma de condomínio e administrados por um gestor, a carteira é gerida por profissionais.  Assim, o investidor tem mais tranquilidade ao investir.

Por fim, os fundos de índice também são bastante acessíveis, principalmente em comparação com a compra individual dos papéis na bolsa de valores.

Já a principal desvantagem para muitos investidores, quando se trata de fundos de índice, é a ausência de garantias de resultados positivos. Afinal, por se tratar de uma modalidade de renda variável, os ETFs estão sujeitos às oscilações do mercado. Assim, não é possível projetar resultados — positivos ou negativos — com a venda das cotas no futuro.

Quando investir em TECB11?

Depois de conhecer o funcionamento dos ETFs, você pode se interessar pela alternativa. Para avaliar se ela faz sentido para a sua carteira de investimentos, é fundamental considerar o seu perfil de investidor.

Como você viu, os ETFs são alternativas de renda variável e envolvem maiores riscos. Portanto, é necessário avaliar a sua tolerância ao risco antes de investir. Outro ponto importante é considerar os seus objetivos financeiros.

Em geral, os ETFs costumam ser mais adequados para objetivos de longo prazo. Isso ajuda a diluir os riscos ao longo do tempo e a ter resultados mais sólidos. Ademais, o investimento em fundos de índice demanda planejamento.

Ter uma reserva de emergência já formada, por exemplo, evita que você precise vender as cotas em um momento inapropriado e ter prejuízos. Além disso, se o seu objetivo é construir patrimônio, é essencial se organizar para fazer aportes frequentes.

Como investir em ETF?

Ficou interessado em investir no ETF de tecnologia da B3? Então saiba que é bastante simples fazer seus aportes. O primeiro passo é abrir conta em um banco de investimentos. Dessa forma, você pode acessar o ambiente da bolsa de valores para começar suas negociações.

Com a conta aberta, o próximo passo é transferir o montante financeiro que você deseja investir. Para isso, considere o seu planejamento pessoal. Em seguida, acesse o home broker e busque o código TECB11.

Selecione quantas cotas você deseja adquirir, indique o preço e emita a ordem de compra. O processo é finalizado quando a bolsa encontrar uma ordem de venda com preço igual ou menor àquela que você emitiu. Após o prazo de liquidação, as cotas estarão disponíveis no seu portfólio de investimentos.

Com essas informações, você conheceu o ETF de tecnologia TECB11. Esse fundo de índice pode ser uma oportunidade para investir em empresas de destaque no mercado. Contudo, antes de tomar uma decisão de investimento, considere as suas expectativas e necessidades.

Quer avaliar outras possibilidades antes de investir? Então conheça o USTK11 — o ETF de tecnologia que replica o Índice MSCI US!