Renova Invest Facebook

FEXC11: Conheça o FII BTG Pactual Fundo de CRI

FEXC11
FEXC11

Quem investe ou deseja investir em renda variável, provavelmente, já ouviu falar dos fundos imobiliários (FIIs) — como o FEXC11. Eles são uma modalidade de investimento coletivo que podem ser interessantes para quem se interessa pelo setor.

Contudo, os FIIs podem seguir diversas estratégias, e conhecê-las é importante para que você tome decisões de investimento mais acertadas. O FEXC11, por exemplo, foi o primeiro fundo de CRI (certificado de recebíveis imobiliários) do mercado, criado em 2009.

Quer saber mais? Neste artigo, você acompanhará as principais informações sobre o FEXC11 e poderá avaliar se ele faz sentido para a sua carteira. Vamos lá?

O que é um fundo imobiliário?

Antes de saber especificamente sobre o FEXC11, é importante entender o que são os fundos de investimento imobiliário. Trata-se de um veículo de investimento coletivo que reúne pessoas interessadas em aportar seus recursos no mercado de imóveis.

O patrimônio do fundo é administrado por um gestor profissional, que realiza a alocação dos recursos de acordo com estratégia definida. No caso dos fundos imobiliários, a carteira pode ser composta por imóveis ou títulos lastreados no mercado imobiliário.

Esse tipo de fundo de investimento é fechado, ou seja, tem número limitado de cotas e não permite a entrada e saída de cotistas livremente. Assim, os FIIs abrem para captação de recursos no momento em que são constituídos.

Depois, se o gestor optar por aumentar o patrimônio do fundo no futuro, será necessário fazer uma nova emissão de cotas. No entanto, se o cotista precisar vender suas cotas, é possível negociá-las no mercado secundário.

As negociações acontecem na bolsa de valores brasileira (B3), por meio de um home broker. Essa plataforma é fornecida pelos bancos de investimentos, permitindo ao investidor comprar e vender ativos, derivativos e fundos disponíveis em bolsa.

O que é o FEXC11?

Agora que você sabe o que são fundos imobiliários, fica mais fácil entender o que é FEXC11. Trata-se do ticker utilizado para a negociação do FII BTG Pactual Fundo de CRI na B3. Esse é um veículo que tem como público-alvo os investidores em geral.

Além disso, o FEXC11 é um fundo imobiliário do tipo papel. Isso significa que ele investe, principalmente, em títulos e valores mobiliários. Assim, sua carteira é composta, majoritariamente, por recebíveis imobiliários, que são investimentos de renda fixa ligados ao setor de imóveis.

O FEXC11 também é conhecido como FII de CRI porque a maior parte de sua carteira é composta por títulos que possuem garantias sólidas, com viés residencial e lastro pulverizado.

Vale saber que os certificados de recebíveis imobiliários são títulos emitidos por empresas securitizadoras. Eles visam financiar empreendimentos imobiliários e podem estar ligados a contratos de locação, créditos de contrato de compra e venda, entre outros.


INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA Invista em ações


Como funciona esse FII?

Outro ponto importante sobre o FEXC11 está no fato de que, além de investir em CRIs, ele investe em letras hipotecárias (LH) e letras de crédito imobiliário (LCI). O regulamento também permite que imóveis residenciais e comerciais façam parte da carteira.

Já os recursos financeiros que, temporariamente, não estiverem alocados nos ativos-alvo, são investidos em fundos de investimento ou títulos de renda fixa (públicos ou privados).

Vale destacar que o objetivo do FEXC11 é ser referência no mercado em relação ao investimento em certificados de recebíveis imobiliários. Para isso, ele conta com uma gestão ativa, que atua em busca das melhores oportunidades para oferecer bons resultados aos cotistas.

Em relação aos custos, há a cobrança de taxa de administração, utilizada para remunerar o trabalho do gestor. Em dezembro de 2021, ela era de 0,3% ao ano.

Esse fundo é administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. A instituição é credenciada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para oferecer serviços de administração de recursos de terceiros.

Quais são as vantagens e riscos dos FIIs?

Depois de saber mais sobre as características do FEXC11, vale conhecer as vantagens e os riscos de investir em fundos imobiliários. O primeiro benefício está no fato de que o preço das cotas é inferior ao que necessário para adquirir um imóvel. Portanto, é um investimento mais acessível.

Ademais, o investimento é relativamente simples e pode ser feito por qualquer investidor que tenha conta em um banco de investimentos, por exemplo.

Os fundos imobiliários também podem ser interessantes para diversificar o seu portfólio. Assim, é possível incluí-los na carteira para diluir riscos ou aumentar o potencial de rentabilidade.

Com relação aos riscos, é preciso considerar a volatilidade da bolsa de valores. Até mesmo fundos de papel, como o FEXC11, são de renda variável. Dessa forma, não é possível prever se haverá rentabilidade.

Outro ponto a se considerar é que os fundos imobiliários não contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Portanto, há riscos de ter perdas financeiras.

Além disso, como as cotas do FEXC11 são negociadas na B3, o risco de mercado é um dos principais. Ele está relacionado às variações nos preços dos FIIs, que podem ocorrer de acordo com as oscilações e percepções do mercado.

Vale ressaltar que com uma boa estratégia de diversificação, por exemplo, é possível mitigar os riscos.

Vale a pena investir no FEXC11?

Para entender se vale a pena investir em FEXC11, é fundamental considerar os seus objetivos financeiros e o seu perfil de investidor. Afinal, o investimento em renda variável exige uma tolerância maior aos riscos, certo?

Como você viu, o preço das cotas pode oscilar ao longo do tempo. Por esse motivo, é preciso considerar esse fator antes de fazer seus investimentos. Na prática, os fundos imobiliários podem ser mais adequados para o longo prazo, pois isso reduz os impactos das oscilações do mercado.

Também é importante avaliar as lâminas informativas e os relatórios gerenciais divulgados pela gestão do fundo. Portanto, essa é uma escolha individual, que deve estar alinhada às suas necessidades e expectativas.

Agora você sabe mais sobre as características do FII BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11) e pode analisar se vale a pena investir nele. Antes de alocar seus recursos, lembre-se de ler cuidadosamente o prospecto e o regulamento do fundo para entender se ele é adequado à sua estratégia.

Quer saber mais sobre o mercado de fundos de investimento imobiliário? Então conheça o IFIX, o índice de referência dos fundos imobiliários!

Veja também

botão de concordância

0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.