Renova Invest Facebook

HGLG11: Conheça esse fundo imobiliário

HGLG11
HGLG11

Viver de renda é um sonho compartilhado por muitas pessoas. Uma das formas de alcançá-lo inclui investir em alternativas que possibilitem o recebimento de renda passiva. Entre as opções disponíveis estão os fundos imobiliários (FIIs), como é o caso do HGLG11.

Ele está entre os fundos mais negociados da bolsa de valores e pode interessar quem deseja aproveitar os resultados do setor imobiliário sem ter que comprar um imóvel. Porém, não invista nele sem antes conhecer seu funcionamento e suas principais características.

Neste artigo, você poderá conferir detalhes sobre o fundo imobiliário HGLG11, além de eventuais vantagens e riscos do investimento. Não perca!

O que é e como funciona um fundo imobiliário?

O passo inicial para entender o HGLG11 é explorar o conceito e funcionamento dos fundos imobiliários. Também chamados de FIIs, esses fundos são modalidades de investimento coletivo de renda variável.

Estruturalmente, eles são semelhantes a um condomínio, já que de um lado estão os cotistas e do outro está o gestor dos recursos. Para participar desse investimento, é preciso adquirir cotas do respectivo fundo na B3, que é a bolsa de valores brasileira.

O patrimônio do fundo é administrado por um gestor profissional, o qual é responsável por escolher os investimentos e realizar as operações. Aos cotistas, recai a obrigação de pagar a taxa de administração e de performance (se houver), que se destinam à remuneração do gestor.

Os ganhos nesse investimento podem ser obtidos de diversas formas, como pela valorização do preço de venda das cotas em relação ao preço de compra. Além disso, é possível lucrar com o recebimento de dividendos, já que os FIIs devem distribuir, no mínimo, 95% de seus lucros a cada semestre.

Já sobre a tributação, os ganhos com dividendos dos FIIs são isentos de Imposto de Renda (IR) para pessoa física. Porém, essa isenção não abrange os lucros obtidos com a venda das cotas. Nesse caso, o investidor terá que recolher 20% de IR em operações diárias (day trade) ou normais (com prazo maior que um dia).

O recolhimento do IR deve ser feito por meio do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) até o último dia útil do mês seguinte ao da operação. Também não se aplica aos FIIs a isenção de IR que recai sobre as ações quando o volume de venda mensal é inferior a R$ 20 mil.

Quais os tipos de fundo existentes?

Agora que você viu o que são e como funcionam os FIIs, é necessário destacar que eles podem ser classificados de modos diferentes — a depender de suas estratégias de investimento. Confira os três principais tipos:

Renda fixa
Seta Tripla

Descubra agora a
NOVA RENDA FIXA
que pode turbinar seus ganhos. 


Fundos de tijolo

Os fundos de tijolo são FIIs que adotam a estratégia de comprar imóveis físicos para, posteriormente, vendê-los ou alugá-los. Isso envolve a aquisição de prédios comerciais, galpões logísticos, shopping centers, hospitais, agências bancárias, lajes corporativas e mais.

Fundos de papel

São conhecidos como fundos de papel os FIIs que priorizam o investimento em títulos de renda fixa ligados ao setor imobiliário. Entre os exemplos, estão letra de crédito imobiliário (LCI), certificado de recebíveis imobiliários (CRI), letra imobiliária garantida (LIG), entre outros.

Fundos de fundos

Também nomeados de FOFs (funds of funds), os fundos de fundos são FIIs que priorizam a aquisição de cotas de outros fundos de investimento. Nesse caso, o objetivo é aproveitar os resultados de diferentes carteiras, estratégias e gestões.

O que é o HGLG11?

Se você já acompanhou a bolsa de valores, provavelmente, deve ter reparado que cada ativo conta com um ticker ou código de negociação. É comum que esse código seja composto por uma sequência de número e letras.

Nesse sentido, HGLG11 é o ticker para a negociação das cotas do CSHG Logística — FII, que é um fundo de tijolo de logística. Seu objetivo é comprar ou construir imóveis para alugar e gerar uma renda mensal — especialmente, com galpões logísticos e industriais.

Confira abaixo as suas principais características!

Quando esse fundo foi constituído?

O CSHG Logística — FII foi constituído em maio de 2010, ingressando na B3, a bolsa brasileira, por meio de oferta pública inicial (IPO) em junho daquele ano. Ele é organizado sob a forma de condomínio fechado e possui prazo de duração indeterminado.

Quem faz a gestão do HGLG11?

A gestão do HGLG11 é feita pela Credit Suisse Hedging-Griffo. Em junho de 2022, a taxa de administração cobrada pelo fundo estava em 0,6% ao ano sobre o seu valor de mercado de negociação em bolsa. No mesmo período, não havia taxa de performance.

Qual é a quantidade de cotas e cotistas do fundo?

Segundo o relatório mensal do fundo de maio de 2022, ele contava com 23.456.675 cotas emitidas nesse período. Até a ocasião, o HGLG11 tinha 8 emissões de cotas concluídas — o IPO e as demais ofertas subsequentes (follow on). O relatório ainda apontou a participação de 311.356 cotistas.

Qual é a composição da carteira dele?

Em maio de 2022, a maior parte da carteira do HGLG11 era composta de imóveis físicos. O portfólio tinha 19 imóveis localizados nos em São Paulo (11), Minas Gerais (3), Rio de Janeiro (2), Pernambuco (2) e Santa Catarina (1). Ademais, o fundo tinha receitas de outros FIIs, CRIs e renda fixa.


O HGLG11 paga dividendos?

O CSHG Logística — FII é um fundo que se programa para distribuir dividendos mensalmente, contando com amplo histórico de pagamentos. Os rendimentos auferidos no semestre poderão ser distribuídos até o 10º dia útil do mês subsequente ao do recebimento dos recursos.

Quais as vantagens de investir no HGLG11?

Depois de conhecer as principais características do HGLG11, muitas pessoas têm interesse em saber quais os possíveis benefícios de investir nele. É o seu caso?

A primeira vantagem para destacar pode ser o potencial de diversificação proporcionado pelo fundo. Como você viu, em maio de 2022, o HGLG11 contava com cerca de 19 imóveis em seu portfólio. Desse modo, com apenas uma cota você poderia se expor aos resultados de todos esses bens.

Ainda, tenha em mente que, se um desses imóveis permanecer desocupado, o fundo poderá preservar a distribuição dos dividendos com os aluguéis recebidos dos demais. Assim, há menos chances de você ficar sem receber os dividendos almejados.

Porém, é importante destacar que os lucros anteriores não são garantias de que o fundo manterá a regularidade ou os valores pagos. Então, antes de investir nele, verifique a situação atual do FII e as perspectivas de distribuição para os próximos meses.

Outra vantagem diz respeito à acessibilidade. É comum o preço da cota de um FII ser muito inferior ao que você gastaria para comprar um ou todos os imóveis que estão incluídos em sua carteira. Assim, mesmo com pouco dinheiro, você poderá aproveitar os resultados do setor.

Quais os riscos de investir no HGLG11?

Como os fundos imobiliários integram a renda variável, o principal risco desse investimento está relacionado à possibilidade de você perder dinheiro. Isso ocorre pelo risco de mercado, que faz com que o preço das cotas acompanhe a lei da oferta e demanda.

Logo, a depender do ânimo dos investidores e das condições do mercado, os preços podem subir ou cair. Se você comprar cotas e elas desvalorizarem, você poderá ter prejuízos caso decida resgatar o investimento naquele momento.

Outro risco presente em fundos imobiliários é o risco de vacância (física ou financeira) — especialmente nos fundos de tijolo, como o HGLG11. Como você aprendeu, esses tipos de fundo dependem dos aluguéis ou da venda de imóveis para lucrar e distribuir dividendos.

Na hipótese de o imóvel ficar vago (vacância física) ou do inquilino não pagar o aluguel (vacância financeira), o fundo pode suspender o pagamento de dividendos. Isso pode atrapalhar não só o fundo, mas o investidor que, eventualmente, esteja contando com a renda daquele provento.

Como investir nesse FII?

Se após conferir as vantagens e riscos de investir em FIIs, como o HGLG11, você entender que vale a pena realizar a alocação, é preciso aprender como fazê-lo. O primeiro ponto a ser avaliado, nesse sentido, refere-se ao seu perfil de investidor e ao seu nível de abertura aos riscos.

Logo, será necessário avaliar se o risco presente nos FIIs se alinha ao que você espera como investidor e se está adequado aos seus objetivos. Além disso, não deixe de considerar questões como a estratégia do fundo, a composição do seu portfólio, taxa de administração e outros pontos.

Essas informações poderão ser conferidas no prospecto do fundo ou em sua lâmina. Ambos são documentos dotados dos dados mais importantes sobre o funcionamento do FII — a primeira é uma versão mais completa e a segunda é uma cartilha resumida.

Para prosseguir com o investimento, abra conta em um banco de investimentos. Essa instituição é uma intermediária necessária desse tipo de operação, e fornece acesso a um home broker.

Essa plataforma conecta você ao ambiente da bolsa, onde as cotas dos FIIs são negociadas. O passo a passo para realizar o aporte é o seguinte:

  • acesse o home broker;
  • digite o ticker de negociação do FII desejado (como HGLG11);
  • defina a quantidade de cotas e o valor que pretende pagar;
  • lance a ordem de compra e aguarde a liquidação da operação.

Conclusão

Viu como é fácil investir em fundos imobiliários, como o HGLG11? Eles podem ajudar a aproveitar os resultados do setor imobiliário sem a necessidade de comprar um imóvel. Então, se for investir, verifique quais são os FIIs que melhor atendem às suas necessidades.

Ficou interessado pelo HGLG11 ou pelos FIIs de modo geral? Entre em contato conosco da Renova Invest e conte com o nosso time para conhecer essa e outras oportunidades para o seu portfólio!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.