Conheça 3 dos principais tipos de fundos imobiliários

Conheça 3 dos principais tipos de fundos imobiliários

Quem já realiza investimentos na renda variável ou pretende entrar nesse universo — aproveitando o cenário de queda de juros no Brasil — deve conhecer os fundos de investimento imobiliário (FII). Trata-se de opções interessantes, principalmente para quem está à procura de uma renda passiva.

Sobre esse assunto, um conhecimento essencial é o de que existem diversos tipos de fundos imobiliários. Assim, você precisa entender sobre essas variedades para decidir quais escolhas são mais atrativas para sua carteira.

Nós queremos ajudá-lo nesta tarefa! Neste post você conhecerá 3 dos principais tipos de FIIs e descobrirá suas mais importantes características.

Confira!

Fundos imobiliários

Antes de abordarmos três dos principais tipos de FIIs vale a pena retomarmos rapidamente o conceito de fundos imobiliários.

Os FIIs são fundos de investimentos que focam no mercado imobiliário. Dessa forma, eles buscam obter retornos com ativos deste setor.

O funcionamento de um fundo de investimentos é simples: são oferecidas cotas do fundo e os investidores interessados podem adquirir estas cotas. O dinheiro deste grupo de investidores é administrado por um gestor, que monta uma carteira de ativos e faz o gerenciamento da mesma.

Fundos imobiliários são alternativas interessantes para muitos investidores, especialmente quando comparados ao investimento direto em imóveis. Afinal, eles apresentam custo mais baixo e menor burocracia, além de oferecer boa perspectiva de rentabilidade.

Outro diferencial dos fundos imobiliários é a liquidez. As cotas são negociadas na bolsa de valores. Por isso, em geral, é muito mais rápido retomar o dinheiro investido do que conseguir vender um imóvel físico que você tenha comprado, por exemplo.

Vale destacar que os ativos que compõem o portfólio dos FIIs podem ser imóveis ou investimentos relacionados a esse setor, dependendo do tipo de fundo imobiliário. Falaremos mais sobre isso a seguir.

3 tipos de fundos imobiliários

Provavelmente, os tipos de FIIs mais conhecidos são aqueles que investem em imóveis físicos e ganham dinheiro com a venda ou aluguel de um empreendimento. São os chamados fundos de tijolos. Entretanto, existem diversas outras formas de organizar esse investimento.

Os fundos imobiliários podem investir nesse mercado de maneira variada, encontrando mais de uma opção para explorar empreendimentos imobiliários. Por isso, é necessário entender esse aspecto para tomar decisões mais eficientes para sua carteira e seus objetivos.

Então, conheça a seguir 3 dos principais tipos de FIIs e aumente seus conhecimentos sobre o assunto!

1. Fundos de recebíveis imobiliários

tipos de fundos imobiliários de recebíveis

Esse tipo de fundo imobiliário também é conhecido como fundos de crédito ou fundos de papéis. Isso porque ele funciona por uma lógica um pouco diferente: não há investimento direto em imóveis físicos.

Na verdade, o portfólio dos fundos de recebíveis imobiliários é formado por títulos da renda fixa relacionados ao mercado de imóveis. Os CRIs — Certificados de Recebíveis Imobiliários — são títulos de crédito lastreados no setor imobiliário

Além de CRIs, é possível encontrar fundos de crédito que investem em outros ativos da renda fixa, como Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), debêntures ou Letras Hipotecárias (LHs).

Os fundos imobiliários desse tipo continuam sendo investimentos da renda variável, mas têm uma carteira um pouco mais estável — já que focam em aplicações da renda fixa. Por esse motivo, alguns investidores optam por eles para entrar na bolsa de valores – usufruindo, portanto, de uma menor volatilidade.

De fato, investir em fundos de papel tem essa vantagem. Entretanto, não é válido dizer que não existem riscos, pois todo investimento envolve esse fator.

Neste caso, o principal risco é o de crédito. Isto é, de a instituição responsável pelo ativo de renda fixa não honrar com os pagamentos.

Uma desvantagem relacionada aos fundos de recebíveis imobiliários é a rentabilidade. Como estamos falando de aplicações da renda fixa, os ganhos são considerados limitados em relação às possibilidades trazidas por outras opções na renda variável.

2. Fundos de fundos

tipos de fundos imobiliários Fundos de fundos

Esse é mais um dos principais tipos de fundos imobiliários. O portfólio dos fundos desse grupo é formado, principalmente, por cotas de outros fundos imobiliários.

Isso mesmo! O gestor do investimento monta uma carteira investindo em ativos da mesma classe. Bastante interessante, não é?

Os fundos de fundos são, juntamente com a alternativa que citamos antes, uma das portas de entrada para o investidor na renda variável. Porque, assim como os fundos de papel, eles podem apresentar uma volatilidade menor.

Portanto, os riscos tendem a ser mais baixos – agradando até mesmo alguns investidores com perfil mais conservador, que podem aplicar uma pequena parcela do seu capital nesta modalidade de investimento.

Uma vantagem desse tipo de FII é a diversificação. O gestor do fundo tem a responsabilidade de analisar os resultados de diversos outros fundos e montar um portfólio rentável. Dessa forma, o investidor não tem tanto trabalho em realizar as análises por conta própria.

Há mais um benefício nesse aspecto: um investidor consegue diversificar sua carteira em diversos fundos de investimentos com um custo mais baixo – já que não é preciso adquirir cotas de todos eles. Comprando cotas de um único FII, portanto, você tem acesso a vários fundos imobiliários.

Entretanto, a desvantagem relacionada à rentabilidade também pode estar presente nos fundos de fundos. É preciso ficar atento ao trabalho dos gestores para verificar os resultados obtidos por eles. De forma geral, os ganhos costumam ser bem variados.

Outro ponto que merece atenção é a cobrança de taxas de administração. Dependendo do nível de conhecimento do investidor, é mais vantajoso montar a própria carteira de fundos sem precisar pagar uma taxa de administração para um gestor realizar esta tarefa.

3. Fundos de Tijolos 

tipos de fundos imobiliários fundos renda

O terceiro tipo entre os principais FIIs são os fundos de renda – ou fundos de tijolo. Esse grupo investe, de fato, em imóveis físicos — seja para negociações de compra e venda ou aluguel. Por esse motivo, eles costumam ser os mais lembrados quando se fala de fundos imobiliários.

A rentabilidade desses fundos pode vir da valorização dos imóveis vendidos ou da renda constante de aluguéis. Além disso, o investidor também pode lucrar com a venda das cotas do fundo em um momento de alta no preço.

Dentro do grupo de fundos de renda, a estratégia mais comum é manter imóveis para aluguel. Isso tende a gerar rendimentos constantes para os investidores, pois o fundo precisa distribuir frequentemente o seu lucro entre os cotistas.

Em geral, os empreendimentos de fundos de tijolo são de alto padrão. Alguns exemplos são: shoppings, galerias comerciais, galpões, hospitais, faculdades, etc. Existem, ainda, fundos que investem em imóveis residenciais.

Os fundos imobiliários de renda costumam ter um portfólio composto por diversos imóveis, inclusive em regiões diferentes do país. Logo, uma de suas vantagens é a diversificação. Outro grande benefício é a possibilidade de receber rendimentos mensalmente.

A principal desvantagem desse investimento é a volatilidade. Entre as opções que apresentamos, esse é o que está mais exposto às variações do mercado imobiliário. Afinal, há o risco de vacância. Se a economia estiver ruim, os imóveis podem ficar bastante tempo sem locatários – diminuindo o rendimento do fundo.

Conclusão

Agora você já conhece 3 dos principais tipos de fundos imobiliários. E está mais preparado para fazer suas escolhas de investimento com maior solidez.

Como você pode perceber, os FIIs podem ser uma modalidade de investimento interessante para fazer parte da sua estratégia de investimento. Mas, como visto neste post, é importante conhecer o assunto para tomar decisões eficientes.

Quer saber mais sobre o assunto? Então acesse nosso guia de FIIs do mercado brasileiro.

Entretanto, se você ainda tem dúvidas sobre os melhores fundos imobiliários para você, então entre em contato conosco! Podemos ajudá-lo a fazer as escolhas de investimento mais adequadas ao seu perfil e aos seus objetivos.

Deixe uma resposta