Luis Stuhlberger

Conheça Luis Stuhlberger: o gestor do fundo verde

Luis Stuhlberger é considerado um dos mais bem sucedidos gestores de fundos do país. À frente do Fundo Verde há mais de 20 anos, ele obteve retornos positivos de expressão, acumulando uma ótima rentabilidade.

Conhecer sua história com a gestão de fundos e os ensinamentos que tem a compartilhar é fundamental para o investidor. Assim, é possível adquirir mais conhecimento e aplicar essas estratégias com os seus aportes.

A seguir você conhecerá a história de Luis Stuhlberger e quais são os fundos que ele gerencia. Não perca!

Qual é a história de Luis Stuhlberger?

Stuhlberger nasceu em 1955 em São Paulo e estudou na Escola Bandeirantes, onde foi um dos melhores alunos. Depois, ingressou na faculdade de engenharia civil na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Novamente, Stuhlberger se destacou como um dos melhores estudantes, formando-se em 1977. Depois, fez uma pós-graduação em administração pela Fundação Getúlio Vargas.

Em uma entrevista que concedeu à revista Piauí, em 2008, o gestor fala sobre essa época. Ele afirmou que, até 1979, era uma pessoa sem muitas perspectivas, e só poderia oferecer o seu bom histórico escolar.

Nessa mesma época, Stuhlberger começou a trabalhar no banco do grupo em que seu pai também atuava. Lá, passou a fazer parte da equipe de commodities, área recém-criada que operava no mercado futuro.

No início dos anos 1980, Stuhlberger era operador da corretora Griffo, que era parceira do banco de seu pai. Ele negociava, principalmente, as commodities de café e boi.

Com a crise da dívida externa brasileira, por volta de 1982, começou a ganhar destaque no mercado. Ele focou, principalmente, no investimento em ouro, um dos únicos ativos que se mantinha forte.

Seu desempenho exemplar chamou a atenção do Banco Central, que o convidou para ser seu representante com os operadores de ouro. Assim, a Griffo se tornou notória nas negociações do metal no Brasil.

Em 1985 Stuhlberger já era diretor da corretora e, em 1992, lançou uma área de gestão de fundos na empresa. Foi assim que nasceu a Hedging-Griffo Asset Management.

Como começou sua carreira como gestor de fundos?

Foi com a gestão de fundos que Luis Stuhlberger ganhou notoriedade nacional. Em 1997 ele lançou o fundo HG Verde, que traz rendimentos expressivos até hoje. Vale destacar que, em 24 anos de existência, o fundo teve uma rentabilidade positiva de mais de 18.000%.

O Fundo Verde é um fundo multimercado que começou com R$ 1 milhão em patrimônio, negociando moedas, ações estrangeiras, contratos futuros e juros.

Confira a seguir uma linha do tempo de decisões importantes do gestor nesse fundo:

Crise da Ásia

Em 1997 houve uma crise econômica na Ásia e o mercado apostava na estabilidade do Brasil. Contudo, o Fundo Verde acreditou na alta de juros, o que realmente ocorreu. Assim, o portfólio teve uma valorização de 29% naquele ano.

Alta do dólar

No ano de 1999 veio outro grande acerto do gestor. Analisando a situação econômica, o fundo realizou um investimento em dólar. Stuhlberger acreditava que a paridade do real com a moeda estrangeira era insustentável.

Suas previsões se tornaram realidade e o dólar sofreu uma grande valorização naquele ano. Além disso, o fundo também comprou ações de empresas exportadoras. Essas decisões fizeram a carteira valorizar cerca de 135% em 1999.

Eleições de 2002

As eleições de 2002 no Brasil também foram uma ótima oportunidade para Stuhlberger. Acreditava-se que José Serra seria eleito, sucedendo o então presidente Fernando Henrique Cardoso, trazendo estabilidade.

No entanto, o fundo protegeu seu patrimônio, investindo em juros de câmbio, caso houvesse oscilações. Assim, em junho do mesmo ano, Lula se tornou favorito nas eleições, o que trouxe bastante instabilidade financeira.

Essa precaução e o aumento do dólar contribuíram para que o fundo rendesse 48% em 2002. Além disso, Stuhlberger também acreditou em resultados positivos para o mercado no Governo Lula, enquanto muitos especialistas previam baixa da bolsa.

Com as compras realizadas na baixa, o fundo teve diversos ganhos no período, pois a bolsa brasileira subiu 100%.

Crise de 2008

A crise de 2008 começou nos Estados Unidos, devido à bolha imobiliária do país. Os grandes bancos forneciam empréstimos de alto risco e com poucas garantias. Quando a insolvência se tornou muito grande, diversas instituições entraram em falência e a crise se instaurou.

Nessa época, Stuhlberger decidiu apostar no dólar, que realmente teve uma alta no período. Contudo, ao comprar ações visando a liquidez injetada pelos bancos centrais, os ganhos demoraram a acontecer.

Assim, 2008 foi o primeiro ano em que o fundo se desvalorizou — e o único até a data atual, em março de 2021. A queda naquele ano foi de 6,4%. No entanto, no ano seguinte essa perda foi compensada, tendo em vista a valorização de 50,37%.

Fundação da Verde Asset Management

Em 2012 a Credit Suisse adquiriu 100% das ações da Hedging-Griffo. Depois, em 2015, Stuhlberger fundou a Verde Asset Management, mantendo o seu principal fundo. No mesmo ano, foi lançado o primeiro fundo multimercado de previdência da gestora.

Em 2021, a Verde Asset Management é gestora de 15 fundos, divididos em multimercado Brasil, Previdência, ações Brasil e multimercado e ações globais. Contudo, nem todos ficam abertos para captação.

Qual a principal estratégia de investimento de Luis Stuhlberger?

Com sua história de sucesso, Luis Stuhlberger tem alguns ensinamentos para compartilhar com os investidores. Assim, conhecer suas estratégias e saber como ele manteve uma rentabilidade atrativa por tanto tempo é importante.

Stuhlberger já disse, em uma entrevista para a Folha de São Paulo em 1999, que ganha apostando contra consensos.

Ele verifica quais são as previsões do mercado a respeito do cenário econômico. Depois, analisa, segundo sua experiência e estudos, se esse consenso realmente está na direção certa.

Se verificar se há inconsistências, tenta lucrar com essa situação. Segundo ele, essa é uma forma de alcançar altas possibilidades de retorno com baixo risco.

Stuhlberger também disse que o desafio é conseguir identificar essas oportunidades, mas que é preciso ter paciência. Quando há uma crise e os papéis caem, tanto os bons, médios e ruins têm quedas.

No entanto, as ações de boas empresas não deveriam ser tão afetadas. É nessa hora que ele aproveita a desvalorização para lucrar. Conforme o gestor, surgem oportunidades de qualidade com preços baixos.

Após conhecer a história de Luis Stuhlberger, você pode se inspirar em suas decisões. Lembre-se de que é possível encontrar boas oportunidades para o seu perfil no mercado, mantendo sua estratégia de investimentos!

Quer saber como funciona um fundo de investimento em dólar? Então não perca o nosso conteúdo sobre o assunto!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta




Postagens Relacionadas

Mais Lidos

Categorias

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.