Fundo cambial: uma alternativa para investimento em dólar
Fundo cambial: uma alternativa para investimento em dólar

Fundo cambial: uma alternativa para investimento em dólar

  • Post author:
  • Post category:blog

O fundo cambial é mais um entre diversos fundos de investimento disponíveis no mercado para investidores. Esta modalidade, no entanto, tem um diferencial: trata-se de uma alternativa para investimento em dólar – permitindo a diversificação e a proteção contra a variação cambial.

Dessa forma, quem precisa trabalhar com moeda estrangeira por algum motivo ou faz negócios com empresas no exterior, por exemplo, pode utilizar essa modalidade para evitar que seus recursos sofram desvalorização frente ao dólar ou outra moeda internacional.

E, apesar das semelhanças com outros fundos de investimentos, o fundo cambial tem características próprias. E, por isso, precisa ser conhecido por aqueles que desejam se expor ao investimento em dólar ou a outros mercados.

Quer saber mais sobre o assunto? Então reserve alguns minutos para conferir algumas informações sobre o fundo cambial e os investimentos em dólar e descubra se essa modalidade é interessante para você!

O que é um fundo cambial?

O fundo cambial é uma modalidade de fundo de investimento aberto. Ou seja, ele permite que os aportes e o resgate do montante que foi investido sejam feitos a qualquer momento – respeitando, claro, os prazos estabelecidos.

Este tipo de fundo tem seu portfólio exposto, majoritariamente, às moedas estrangeiras – como dólar e euro. Nos fundos de investimento em dólar, especificamente, o objetivo é compor uma carteira com ativos relacionados à moeda norte-americana.

Importante entender que os fundos cambiais não investem diretamente em moeda estrangeira. Aqui, o foco é investir em títulos referenciados nessa moeda, enquanto também podem ser feitas operações com derivativos ou de Swap.

O objetivo de um fundo cambial, como você pode imaginar, é permitir que os cotistas acompanhem a variação das moedas estrangeiras – seja para gerenciar o risco do portfólio de investimentos ou manter o poder de compra diante das oscilações cambiais.

Como funcionam os fundos de investimento em dólar?

Esse tipo de fundo exige que a maior parte dos seus investimentos sejam feitos em aplicações ligados à moeda estrangeira. Já a outra pequena parcela da carteira pode ser alocada em outros tipos de investimentos.

Muitas vezes, inclusive, são escolhidos títulos mais conservadores para fazerem parte do portfólio dos fundos cambiais – como alguns títulos de renda fixa, a fim de buscar um pouco mais de estabilidade.

Seu funcionamento é parecido com o de outros fundos disponíveis no mercado. Ou seja, operam como uma espécie de condomínio, no qual são captados recursos de diversos investidores.

Cada participante do fundo é considerado um cotista. O dinheiro de todos os cotistas é gerenciado e aplicado por um gestor, que fica responsável por utilizar esses recursos da melhor maneira possível – visando obter os melhores resultados, respeitando a estratégia do fundo.

Por ser estabelecido sob a forma de condomínio aberto, os participantes do fundo cambial podem aplicar recursos ou solicitar o resgate de suas cotas a qualquer tempo – conforme o regulamento do fundo escolhido.

Ainda sobre o assunto, vale destacar que não é possível investir em fundos cambiais na bolsa de valores. Afinal, a negociação de cotas não ocorre neste ambiente – como acontece com os fundos imobiliários.

Por fim, é importante que você saiba que, apesar da exposição da carteira às moedas internacionais, o investimento e o resgate de cotas são realizados em real.

Quais as vantagens da modalidade?

Os fundos cambiais apresentam vantagens para diversos investidores – a depender dos objetivos de cada um. Confira alguns destes benefícios a seguir:

Diversificação da carteira

Ter uma carteira de investimentos diversificada é sempre aconselhável – uma vez que equilibra os riscos. O investidor que diversifica não corre o risco de perder todo o seu patrimônio, por exemplo, por ter escolhido apenas um tipo de investimento.

Assim, o fundo de investimento em dólar é uma modalidade que pode ser utilizada para diversificação da carteira – expondo uma pequena parcela do portfólio do investidor a outras moedas – geralmente mais fortes, como o dólar.

Proteção contra a variação cambial

Empresários e pessoa física que fazem negócios no exterior ou precisam pagar compromissos em dólar podem utilizar essa modalidade de fundo para proteger-se da variação cambial.

Afinal, apesar de se tratar de uma movimentação comum, as oscilações de preços do dólar podem ser prejudiciais em certas situações. Para evitar perdas relacionadas a esse movimento, investir em fundos cambiais pode ser uma opção interessante.

Hedge de carteira

Os fundos de investimento em dólar também podem ser interessantes para investidores que desejam fazer um hedge na carteira de investimentos – criando uma espécie de proteção para seu portfólio.

Possibilidade de resgate rápido

Para quem está acostumado com modalidades de investimento com prazos maiores para resgate, o fundo cambial acaba sendo diferente. Uma vez que o fundo é aberto, o investidor pode resgatar seu dinheiro conforme sua necessidade, observando as regras do fundo.

A liquidez mais alta, portanto, é um dos benefícios dos fundos cambiais.

Praticidade

A carteira do fundo é montada por um gestor, que fica responsável por aplicar os recursos dos cotistas e avaliar os ativos antes de montar a carteira. Desta maneira, contar com um especialista para compor um portfólio adequado às suas necessidades pode fazer toda diferença.

Entretanto, se por um lado contar com o trabalho de um gestor possa tornar o investimento mais prático, há quem não se sinta confortável em ter um terceiro tomando decisões em relação à parte da sua carteira e aos seus recursos financeiros.

Quais são os riscos envolvidos?

Apesar das vantagens, os fundos cambiais têm riscos. Afinal, o fundo de investimento em dólar está sujeito ao risco de flutuação do dólar em frente ao real – e o câmbio acaba sendo um dos indicadores mais difíceis de se prever e lidar.

Contudo, o risco pode ser maior ou menor dependendo do propósito do investidor para com o fundo. Se o objetivo é tentar lucrar com a valorização da moeda, por exemplo, o risco pode ser alto.

Por outro lado, se a intenção é apenas proteger parte dos recursos financeiros da flutuação cambial, por exemplo, o risco costuma ser muito menor do que na primeira situação.

Quais os custos dos fundos cambiais?

Os fundos cambiais, de forma geral, costumam apresentar cobrança da taxa de administração, que pode variar. Outra taxa que pode ser cobrada é a taxa de performance, que costuma incidir sobre a rentabilidade do fundo caso exceda o indicador de referência (benchmark).

Em relação aos tributos, há incidência do Imposto de Renda (IR). Ele pode, inclusive, ser cobrado antecipadamente sob forma de come-cotas.

O come-cotas costuma ser comum em diversas modalidades de fundos de investimentos. Quando cobrado, o cotista paga, antecipadamente, um percentual de 15% ou 20% de Imposto de Renda sobre os rendimentos – dependendo do fundo (se de curto ou longo prazo).

Para o pagamento de IR no resgate, a incidência de imposto varia de 22,5% a 15%. O come-cotas é descontado do montante devido.

Outro tributo que pode ser cobrado é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), caso o resgate for realizado em até 30 dias após a aplicação.

Para quem os fundos cambiais são adequados?

Esse fundo costuma ser mais adequado a investidores de perfil moderado ou agressivo/arrojado. Por apresentar riscos devido às oscilações cambiais, é importante considerar também se o objetivo é obter lucro com essa variação ou proteger e diversificar a carteira.

De maneira geral, quem deseja proteger seu patrimônio em relação às oscilações do dólar frente ao real ou possui compromissos financeiros em moeda estrangeira pode se beneficiar dos fundos cambiais.

Os fundos de investimento em dólar também costumam ser opções interessantes para quem deseja especular no mercado – buscando obter lucros a partir das oscilações do câmbio. Esta última alternativa, no entanto, oferece maiores riscos.

Antes de fazer seus aportes vale a pena considerar, portanto, seus objetivos em relação ao fundo cambial e o seu perfil enquanto investidor.

Como investir em um fundo cambial?

Como você acompanhou até aqui, o fundo cambial é uma modalidade de investimento coletivo que costuma interessar diversos investidores – pelos mais diferentes motivos.

Se você já considerou os riscos e vantagens do investimento – além dos seus objetivos e perfil de investidor – e decidiu investir em um fundo de investimento em dólar, saiba que não é difícil fazer seus aportes nesta modalidade.

Para investir nesse tipo de fundo, é preciso ter conta em um banco de investimentos. Por meio da plataforma da instituição financeira você consegue acessar os fundos disponíveis e fazer sua escolha.

Neste ponto, é importante ressaltar a importância de contar com uma instituição que tenha condições de oferecer um suporte especializado e de qualidade para o investidor. Isso pode fazer toda a diferença na hora de investir.

Certifique-se, portanto, de escolher um banco de investimento eficiente e confiável, que tenha autoridade quando o assunto é investimentos.

O banco de investimentos BTG Pactual – o maior banco de investimentos da América Latina – é a melhor opção para quem deseja investir em um fundo de investimento em dólar com eficiência, simplicidade e segurança para alcançar seus objetivos financeiros.

Para acessar os melhores fundos cambiais do mercado e fazer seus aportes, basta abrir uma conta no BTG Pactual e escolher a melhor opção de investimento para seus objetivos e perfil!

E, se precisar de ajuda, entre em contato conosco que ficaremos felizes em lhe ajudar a tomar as melhores decisões de investimento!

Deixe uma resposta