Você sabe o que levar em consideração ao montar uma carteira de investimento moderada? Investidores com esse perfil buscam estratégias que possam equilibrar segurança e rentabilidade em seus aportes. Assim, podem assumir um pouco de risco.

No entanto, nem sempre é fácil definir quais ativos e classes priorizar na hora de compor o portfólio. Por isso, é fundamental entender como cada tipo de investimento funciona — para, assim, fazer melhores escolhas.

Pensando nisso, neste artigo você conhecerá algumas alternativas que costumam fazer parte de uma carteira de investimentos moderada. Continue a leitura!

O que é o perfil moderado?

O perfil de investidor é uma informação importante para dar os primeiros passos no universo dos investimentos com consistência. Afinal, é essa avaliação que permite ao investidor identificar sua tolerância aos riscos.

Há três principais perfis de investidor, e o investidor moderado é aquele que se posiciona exatamente entre os dois outros perfis — conservadores e arrojados. Nesse caso, um investidor conservador prioriza a segurança em seus aportes. Já o arrojado tem uma postura mais agressiva, priorizando rentabilidade.

Dessa forma, os investidores moderados conseguem mesclar algumas características de ambos. Assim, buscam por aportes com um pouco mais de risco e potencial de retorno, mas equilibram com produtos de maior estabilidade. Portanto, costumam transitar entre a renda fixa e a variável.

Quais os investimentos adequados para esse perfil?

Como você viu, investidores moderados tomam decisões buscando equilibrar a relação entre risco e retorno. Dessa forma, há diversos investimentos que se adéquam a essas características.

Conheça alguns deles a seguir!

Títulos públicos

Para a parte da carteira que visa segurança, os investidores moderados geralmente buscam a renda fixa. Nessa classe, os títulos públicos do Tesouro Direto são alguns dos mais buscados, pois serem considerados os investimentos mais seguros do mercado.

A remuneração deles, assim como nos demais títulos de renda fixa, pode funcionar de três formas:

  • prefixada;
  • pós-fixada;
  • híbrida

Na primeira, os retornos já são apresentados no momento do aporte. Já na segunda, o investidor a conhece no momento do resgate. Isso se dá porque o rendimento pós-fixado acompanha um índice, como a Selic — a taxa básica de juros da economia brasileira.

SUA LIBERDADE FINANCEIRA ESTÁ A UM CLIQUE Aprenda a viver de renda

Aprenda a viver de renda passiva com especialistas do mercado

Por fim, os títulos híbridos agregam características de ambos, como o nome sugere. Dessa forma, há uma porcentagem fixa e outra variável — que também acompanha um índice. Um dos produtos nessa modalidade é o Tesouro IPCA+, que rende uma taxa fixa acrescida da inflação.

Fundos de inflação

Continuando na renda fixa, uma opção que pode agradar o investidor moderado são os fundos de inflação. Eles têm como característica a sua rentabilidade vinculada ao Índice de Mercado ANBIMA (IMA-B).

Para isso, são formados por títulos indexados ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Dessa forma, ao investir nesse tipo de fundo, o rendimento é dado de acordo com a inflação — ou seja, protege contra a perda no poder de compra.

Fundos imobiliários

Entrando na renda variável, uma das principais alternativas para montar uma carteira de investimento moderada é o fundo imobiliário (FII). Essa modalidade pode ser interessante para quem busca investir no mercado de imóveis sem a necessidade de comprar um bem físico.

Assim, o investidor compra cotas de participação em um fundo — que terá a administração de um gestor. Ele pode ser:

  • de tijolo — o investimento é feito em empreendimentos físicos, como shoppings, prédios comerciais, etc.;
  • de papel — o gestor investirá em títulos e certificados ligados ao mercado imobiliário;
  • fundo de fundo — o investimento é, em sua maioria, feito em outros FIIs.

Uma das possibilidades de ganhos nos FIIs é o recebimento de dividendos. Eles são partes do lucro do fundo, que é compartilhada entre os cotistas. Além disso, é possível ter lucros ao vender as cotas depois de valorização.

Fundos multimercado

Os fundos multimercado também são uma opção a ser considerada por investidores moderados. Como em qualquer fundo de investimento, também há a presença de um gestor que será responsável por administrar a carteira segundo a estratégia adotada.

Nessa modalidade, não há a limitação sobre quais serão os tipos de ativos que comporão o portfólio do fundo. Portanto, é possível que os gestores invistam em diversas opções, tanto na renda fixa quanto variável. Assim, você pode encontrar multimercados com estratégias distintas — e alternativas interessantes para diferentes objetivos.

Ações

Por fim, as ações também podem fazer parte de uma boa carteira de investimento moderada. Nesse tipo de ativo, você adquire parcelas do capital social de uma empresa. Assim, será um acionista da companhia e pode participar dos resultados dela — assumindo seus riscos.

Nessa modalidade, a rentabilidade se dá de duas formas principais: com o pagamento de proventos e valorização dos papéis. Na primeira, o acionista pode receber uma parcela dos lucros na empresa (na forma de dividendos ou juros sobre capital próprio) e outros benefícios.

Alguns tipos de proventos podem ser uma fonte de renda passiva. Já com a valorização, o investidor tem lucros com o crescimento do valor de mercado da empresa. Assim, o preço das suas ações pode avançar e, consequentemente, a venda poderá trazer lucros.

No entanto, para investir em ações é preciso ter atenção aos riscos. Afinal, os ganhos não são garantidos. Você também pode enfrentar possibilidades de prejuízos. Logo, é essencial ter atenção com a escolha dos papéis.

Como alcançar bons resultados com uma carteira moderada?

Como você viu, os investidores moderados contam com diversas opções de investimentos alinhadas ao seu perfil. Contudo, é preciso seguir uma estratégia para atingir resultados positivos — independentemente do tipo de perfil.

A primeira etapa consiste em realizar um planejamento financeiro. Isso inclui entender a sua realidade e as suas possibilidades no momento. Além disso, também é interessante estabelecer um valor regular para novos aportes.

Após essa fase, o investidor pode traçar metas para os seus investimentos. Assim, é possível escolher os ativos que estão alinhados a essa visão. Nesse momento, definir prazos também tem um papel relevante para decidir como investir.

Ademais, é imprescindível ter em mente a importância de se diversificar a carteira de investimento moderada. Ou seja, investir em ativos e classes diferentes. Esse método será responsável por trazer um maior equilíbrio ao portfólio, diluindo riscos e aumentando o potencial de retorno.

Outra estratégia que pode trazer bons resultados é contar com o suporte de uma assessoria de investimentos. Esses profissionais poderão ajudar o investidor a entender os investimentos e tirar dúvidas na hora de montar sua carteira.

Como vimos, uma carteira de investimentos moderada tem como característica buscar a segurança enquanto também procura melhores rentabilidades. Por isso, é interessante avaliar alternativas tanto na renda fixa quanto variável e, principalmente, diversificar o portfólio.

Quer apoio na hora de entender o mercado financeiro? Entre em contato conosco na Renova Invest e entenda como montar uma carteira de acordo com o seu perfil!