Quem está iniciando seus estudos sobre investimentos pode ter dúvidas sobre o que são e como funcionam as ações. Afinal, a bolsa de valores tem chamado atenção das pessoas – especialmente devido à queda na rentabilidade da renda fixa, mas muitos ainda não sabem como ela funciona.

Assim, para avaliar melhor as possibilidades de investimento, é fundamental conhecer um dos principais ativos da renda variável – as ações. Se você tem interesse em entender melhor esse universo, está no post certo.

Acompanhe a leitura e descubra o que são e como funcionam as ações negociadas na bolsa de valores brasileira. Confira!

O que é o mercado de ações?

Antes de saber mais sobre as ações, é interessante primeiro entender o que é o mercado de ações. Entenda-o como um ambiente no qual companhias que abriram seu capital negociam seus papéis. Assim, é por meio dele que os investidores podem investir na renda variável.

No geral, todo o processo de compra e venda de ações ocorre na bolsa de valores. As operações são realizadas em um ambiente online e não existe mais um pregão presencial.

O que são as ações?

Agora que você sabe o que é o mercado de ações, fica mais fácil compreender o que é, de fato, um dos ativos mais importantes desse ambiente.

As ações representam pequenas frações do capital de uma empresa. Ou seja, ao adquirir um papel, o investidor se torna um acionista – ou seja, um sócio daquela companhia. Dessa forma, ele passa a se expor aos riscos do negócio e a participar de eventuais lucros e prejuízos.

O processo de investimento é bastante simples e pode ser feito a partir da intermediação de um banco de investimentos. Por meio de uma plataforma, o investidor pode escolher a ação de sua preferência e fazer o aporte.

Como as ações funcionam?

Há determinadas características que são próprias desse tipo de investimento. Por isso, se você tem interesse em conhecer mais sobre a alternativa, precisa entender em detalhes o seu funcionamento.

Confira alguns detalhes importantes acerca das ações a seguir:

Liquidez

Talvez um dos motivos que mais atraia investidores para a bolsa de valores é a alta liquidez dos ativos. Ações costumam apresentar boa liquidez, que é a facilidade de transformar o investimento em dinheiro em espécie.

A liquidez pode variar de acordo com a empresa e o tipo de ação. Afinal, existem ações mais ou menos procuradas na bolsa de valores. Apesar disso, o resgate do investimento tende a ser bastante simples.

Oscilação de preço

Quem deseja investir na bolsa de valores precisa entender que o preço das ações muda a todo instante. Essa característica costuma assustar investidores iniciantes e aqueles com perfil mais conservador.

Contudo, é importante ter em mente que essa volatilidade faz parte do universo da renda variável. E que, se o foco do investidor estiver no longo prazo, as oscilações tendem a ser diluídas no tempo.

Riscos

Os investimentos em renda variável são conhecidos por serem mais arriscados que aqueles de renda fixa. E eles devem ser conhecidos pelo investidor – a fim de evitar frustrações futuras. Falaremos sobre esses riscos mais adiante.

Possibilidades

É possível investir em ações com os mais diferentes objetivos. Muitas pessoas investem na renda variável, por exemplo, visando o longo prazo. Por outro lado, há aqueles que fazem operações especulativas visando lucros no curtíssimo prazo. É o caso de quem é adepto ao Day Trade.

Qual o papel do mercado de ações?

Até aqui você já entendeu o que são e como funcionam as ações. Mas, você já se perguntou o motivo de as ações existirem?

Descubra a seguir qual o papel do mercado de ações para as empresas, para os investidores e para a economia:

Empresas

Abrir capital no mercado de ações pode ser considerado, para as empresas, uma oportunidade de crescimento. Isso porque elas podem realizar um IPO (oferta pública inicial de ações) e captar recursos para realizar investimentos e expandirem seus negócios.

Investidores

Investir em ações possibilita aos investidores do mercado financeiro participar de grandes negócios, buscando obter lucro a partir do crescimento das empresas sem, necessariamente, atuar na administração e gestão da empresa.

Economia

Os investimentos em ações movimentam a economia. Ainda, é preciso avaliar, por meio da evolução da bolsa de valores, se o momento é favorável ou não às empresas e, consequentemente, à população como um todo.

Em geral, países com economias sólidas e empresas em franco crescimento têm bolsas de valores em alta.

Quais os riscos envolvidos?

O mercado de ações oferece, como você viu até aqui, inúmeras oportunidades a investidores. Os riscos do investimento em ações, no entanto, devem ser considerados antes de qualquer aporte.

O maior risco está justamente na impossibilidade de prever as movimentações do mercado. Afinal, na renda variável, é impossível saber com antecedência se o investimento lhe trará bons retornos.

Apesar disso, existem algumas ferramentas que podem mitigar os riscos dos investimentos em ações. A principal delas é a análise fundamentalista. A partir de uma avaliação profunda acerca do negócio, o investidor consegue ter mais informações sobre a empresa e avaliar se as ações são – ou não – atraentes para sua carteira.

Ainda, é fundamental conhecer seu perfil de investidor para descobrir se você possui tolerância a riscos e está alinhado às características do mercado de ações.

Quais os custos envolvidos?

Conhecer o que são e como funcionam as ações engloba também compreender quais são os custos envolvidos no investimento. Eles podem variar de acordo com a instituição. Mas, em geral, é necessário arcar com custos de corretagem e, muitas vezes, de custódia.

Os emolumentos, cobrados pela B3, também devem ser considerados. O investidor precisa se atentar, ainda, à eventual cobrança do Imposto de Renda.

Como investir em ações?

Interessado em investir na renda variável? Então saiba que existem três maneiras principais de investir em ações. E vale a pena conhecê-las.

A primeira delas é comprando os papéis por conta própria via plataforma do seu banco de investimentos. A segunda maneira é por meio dos ETFs, ou fundos de índice – que espelham determinados índices do mercado. Para se expor às ações, é preciso escolher um ETF relacionado aos indicadores da bolsa de valores – como o Ibovespa.

Por fim, há os fundos de investimento em ações. Trata-se de uma modalidade de investimento que funciona sob a forma de condomínio, no qual diversos investidores adquirem cotas e participam dos resultados obtidos pelo fundo. O patrimônio do fundo, inclusive, é gerido por um gestor profissional.

Todas as alternativas possuem vantagens e desvantagens. Caso você tenha perfil para investir na renda variável e deseje se expor ao mercado de ações, basta avaliar qual delas faz mais sentido para você e realizar seu aporte.

E então, gostou de aprender o que são e como funcionam as ações? Caso tenha dúvidas sobre o tema, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo!