Renova Invest Facebook

Quando fazer o Rebalanceamento de carteira de investimentos?

Ao montar o seu portfólio de investimentos, você deve considerar o seu perfil de investidor, o seu planejamento e os seus objetivos. Contudo, ao longo do tempo, as oscilações do mercado podem levar às modificações nas proporções dos ativos da sua carteira. Quando isso acontece, você se expõe a riscos que não condizem com os fatores que o levaram a escolher os seus investimentos. Nesse momento, o ideal é fazer o rebalanceamento de carteira. Você sabe o que isso significa?

Neste post, você entenderá o que é essa estratégia e quais são os sinais de que é necessário fazê-la. Ainda, aprenderá quais são os riscos de não colocá-la em prática e qual o melhor momento para fazer o rebalanceamento da carteira.

Acompanhe!

O que é rebalanceamento de carteira?

Como o próprio nome sugere, o rebalanceamento de carteira de investimentos envolve a revisão e o alinhamento de todos os ativos que compõem o portfólio. Isso significa ajustar a proporção de todos os investimentos para que eles se alinhem às estratégias do investidor.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

Assim, a carteira de investimentos deve ser montada considerando 3 fatores: perfil de investidor, planejamento e objetivos financeiros. Desse modo, é possível equilibrar os riscos e o retorno dos ativos no portfólio para atender às suas necessidades.

Além disso, ao contrário do que muitos imaginam, esse portfólio não deve ser linear — com as mesmas proporções de investimentos por tempo indefinido. Isso porque, no decorrer dos anos, podem acontecer diversas oscilações no mercado financeiro.

Nesse cenário, ativos podem ser valorizados ou desvalorizados. Ademais, também é possível que o seu perfil ou objetivos passem por mudanças. Se isso acontecer, as estratégias de alocação podem exigir adaptações e, consequentemente, o rebalanceamento.

Qual é a sua importância?

Você entendeu que o rebalanceamento de carteira é um processo que visa realinhar o portfólio aos objetivos do investidor. Ao mesmo tempo, compor a carteira de investimentos ideal não é uma tarefa fácil.

Ela exige muita análise dos diversos fatores para ser definida, sendo uma decisão pessoal e que depende do perfil de cada investidor. Como você conferiu, o portfólio também sofre com a ação das flutuações do mercado, modificando as suas proporções.


Então o rebalanceamento de carteira permite que o investidor se reaproxime desse ideal, mantendo o equilíbrio de sua estratégia. E como a estratégia exige um acompanhamento do mercado, ela pode ajudar o investidor a identificar mais oportunidades.

Afinal, quando utilizar essa estratégia?

Agora que você já sabe o que é, como funciona e qual a importância de fazer o rebalanceamento de carteira, chegou o momento de entender quando utilizar essa estratégia. Ao pensar na sua finalidade, é comum imaginar que a estratégia deve ser aplicada sempre que o mercado oscilar.

No entanto, ela pode ser dificultada pelos custos das transações de ativos. Dessa maneira, pode ser inviável rebalancear a carteira sempre que houver flutuações no mercado financeiro.

Diante disso, existem outras formas de colocar essa estratégia em prática. Veja!

Rebalanceamento por período

Nesse método, essa operação é feita em momentos pré-definidos. Ou seja, independentemente das oscilações dos ativos, o investidor realinha a sua carteira em períodos já estabelecidos — semestral ou anualmente, por exemplo.

Sua intenção é reduzir os custos para manter a rentabilidade, porém há possibilidade de o investidor perder momentos interessantes entre um alinhamento e outro.

Rebalanceamento por faixas

Outra técnica para determinar o momento para fazer o rebalanceamento de carteira de investimentos é por faixas. Nela, o investidor estabelece limites para as oscilações dos percentuais de seus ativos.

Portanto, ele condiciona o alinhamento do seu portfólio a limites de tolerância. Quando a margem é ultrapassada, ele coloca a estratégia em prática.

Rebalanceamento por objetivos

O investidor também pode recorrer ao rebalanceamento de carteira quando perceber que ela não está mais alinhada com seus objetivos. Como foi possível aprender, não é somente o mercado que se modifica ao longo do tempo — os planos e o perfil do investidor também.

Por exemplo, a pessoa monta a sua carteira de investimentos com objetivo de comprar um imóvel em 15 anos. No entanto, uma determinada situação modifica esses planos, como a necessidade de antecipar a aquisição ou a definição de que a meta não é mais necessária.

Quando isso acontece, existem chances de que a composição atual do portfólio não se alinhe aos objetivos restantes e as novas metas. Outro exemplo acontece quando os investidores ficam mais experientes e sentem mais tranquilidade para se expor a investimentos mais arrojados.

Nesses casos, eles podem buscar oportunidades com maior potencial de rentabilidade e riscos mais altos. Logo, será necessário readaptar a carteira para que a alocação se alinhe ao perfil de risco.

Quais são os riscos de não fazer rebalanceamento de carteira?

Você já aprendeu quando fazer o rebalanceamento de carteira de investimentos. Porém, também é importante saber quais são os riscos de não colocar a estratégia em prática. Para entendê-los, saiba que, sem fazer esse alinhamento do seu portfólio, você ficará mais exposto às oscilações do mercado.

Quando isso acontece, podem surgir diversas situações, como aumento dos riscos ou a queda do potencial de retorno. Portanto, se a carteira deve ser elaborada conforme o perfil do investidor e objetivos, não faz sentido deixá-la desalinhada em relação a esses fatores.

Lembre-se de que, sem o rebalanceamento de carteira de investimentos, a tendência é que ela se afaste cada vez mais do seu propósito com o passar dos anos.


Como utilizar essa estratégia?

Após entender a importância do rebalanceamento do portfólio, é preciso ter consciência de que rebalancear pode significar diferentes medidas. Ou seja, isso pode ser feito ao renunciar a um ativo para adquirir outro, apenas por novos aportes ou somente com resgates.

Então ele pode exigir diferentes práticas para obter equilíbrio e se aproximar da carteira de investimentos ideal. Para ajudar, o primeiro passo é observar a proporção atual de sua carteira. Considere também o montante disponível para novos aportes.

O próximo passo é verificar quais ativos deseja vender e/ou comprar para trazer o alinhamento da carteira. Aqui, também é necessário observar os custos para avaliar se a operação será vantajosa e definir a melhor estratégia para alinhar o portfólio.

Agora você sabe que o rebalanceamento de carteira de investimentos é importante para manter a segurança e a rentabilidade dos seus aportes. Portanto, não deixe de reavaliar o seu portfólio para fazer as adequações necessárias para atender ao seu perfil e objetivos.

Quer saber mais sobre o mercado financeiro e alternativas de investimento para a sua carteira? Entre em contato conosco e converse com um de nossos assessores!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.