Há famílias que, com o passar do tempo, constroem um grande patrimônio. No entanto, administrar muitos bens não é algo simples. É por isso que algumas pessoas optam pela criação de uma holding familiar.

A estratégia costuma trazer uma série de benefícios. Podemos citar, por exemplo, redução no Imposto de Renda e eficiência na sucessão patrimonial. Por isso, vale a pena se informar sobre como abrir uma holding.

Trouxemos as principais informações neste artigo. A seguir, você entenderá o conceito de holding familiar e verá como se faz para montar uma. Continue a leitura!

O que é uma holding familiar e como ela funciona?

Holding familiar é um tipo de pessoa jurídica criada para facilitar a administração dos bens de uma família. Inclusive, às vezes ela também é chamada de holding de investimentos. É útil para famílias com um grande patrimônio e a necessidade de cuidar dele de maneira mais eficiente.

Depois da criação da holding, todos os bens são transferidos das pessoas físicas para a jurídica. Os familiares são sócios dessa empresa, que, por sua vez, administra os negócios e o dinheiro de todos os envolvidos.

Sabe quais são os benefícios de uma holding familiar? Com um bom planejamento tributário, uma das vantagens é a possibilidade de se reduzir o Imposto de Renda.

Outro benefício é a eficiência do planejamento sucessório. Caso ocorra o falecimento de um dos sócios, por exemplo, os bens podem ser transferidos de maneira simples. Isso inclui imóveis, investimentos, empresas e assim por diante.

Afinal, todas as regras de transferência de bens constam no contrato social. Assim, a família não precisa lidar com um inventário complexo e problemático. Por esses motivos, você pode ver que uma holding familiar facilita a administração dos bens de uma família.

Mas, afinal, como montar uma holding familiar? Você lerá sobre isso a seguir.

 

Como abrir uma holding familiar?

Para a criação de uma holding, você pode seguir os passos que estão nos próximos tópicos. Confira!

Analise o patrimônio

Antes de criar uma empresa para gerir o patrimônio, é preciso analisar todo os bens envolvidos. Isso inclui as propriedades de quem está instituindo a pessoa jurídica, bem como as dos beneficiários.

Um dos motivos é que, dependendo do volume do patrimônio, pode não valer a pena a criação de uma holding. Afinal, há custos envolvidos com os serviços de contabilidade e até com os de um advogado, se for o caso.

A avaliação inclui também uma análise das empresas de cada sócio. Desse modo, é possível definir o melhor modelo societário a ser aplicado na holding familiar.

Escolha os sócios

Em seguida, defina quem serão os sócios da sua holding familiar. Depois disso, é fundamental que você se reúna com eles para entender quais são as perspectivas de cada um. Inclusive, a reunião é um passo importante para alinhar as expectativas de todos.

Um dos principais assuntos a serem tratados é a sucessão patrimonial. Assim como você tem em mente uma linha sucessória para os seus bens, os sócios também têm planos para os deles. Por isso, ao se reunir com todos, procure entender o que planejam em termos de transferência de bens.

Essas informações serão necessárias mais à frente, na hora da elaboração da documentação. Agindo dessa maneira, você garantirá que o planejamento sucessório ocorra conforme o desejo de cada um.

Defina o tipo societário

O próximo passo é definir qual será o tipo societário da holding. Normalmente, os mais usados são a sociedade anônima e a sociedade limitada. Uma das características da sociedade anônima é a distribuição de Ações entre os sócios. Inclusive, elas podem ser ordinárias ou preferenciais.

Quem tem as primeiras pode votar nas assembleias, ao passo que as outras não dão esse direito. Em uma sociedade anônima, também existe a possibilidade de um sócio vender suas Ações a terceiros. Além disso, esse tipo societário geralmente apresenta maior custo.

Há pessoas que optam pela sociedade limitada, em especial porque ela contribui para a proteção do patrimônio familiar. O motivo é que, nesse tipo de sociedade, existe maior liberdade na elaboração do contrato social.

Desse modo, é possível garantir que os sócios não terão permissão para vender sua participação para terceiros, por exemplo. Além disso, a constituição da empresa apresenta maior simplicidade. Quanto ao registro na Junta Comercial, o custo costuma ser mais baixo.

Naturalmente, não se pode dizer que um tipo societário é o ideal para todas as famílias. Cada uma precisa analisar a própria situação e entender qual poderá atender melhor às necessidades dos sócios.

Faça o planejamento tributário

Esse é um passo fundamental na abertura de qualquer empresa. Afinal, as escolhas no planejamento podem ter um grande impacto na carga tributária dela.

Por isso, é preciso fazer um cuidadoso planejamento tributário para evitar o pagamento desnecessário de impostos. Dependendo do modelo escolhido, sua holding poderá economizar com a despesa.

Elabore a documentação

Depois que você e seus sócios já tiverem definido o tipo societário e feito o planejamento tributário, é preciso cuidar da documentação. Um dos documentos essenciais é o contrato social, que deve incluir todas as regras de sucessão definidas na reunião dos sócios.

Os documentos devem ser registrados nos órgãos competentes. Inclusive, é durante a elaboração da documentação que se transferem os bens das pessoas físicas para a holding. É justamente esse passo que garante a proteção do patrimônio.

Conte com profissionais capacitados

Como você pode perceber, a criação de uma holding familiar requer bastante cuidado. Como se trata de uma pessoa jurídica, é fundamental contar com os serviços de profissionais. Por exemplo, de contabilidade.

Talvez você queira procurar profissionais especializados em holdings familiares. Um advogado também pode ser muito útil nesse processo. Desse modo, será possível garantir que tudo funcione conforme o esperado.

Agora que você sabe como abrir uma holding familiar, comece analisando o seu patrimônio. Esse passo é fundamental para entender se ela pode ser vantajosa para a sua família. Cuidando bem do seu patrimônio, seus negócios serão mais bem administrados e o seu legado se fortalecerá!

Gostou das informações a respeito de holding patrimonial que trouxemos para você? Assine nossa newsletter e fique sabendo sobre cada conteúdo novo publicado em nosso blog!