Ao pensar em estratégias de investimento, muitos se interessam pelas alocações internacionais, expondo o patrimônio a outros mercados. Mas você já pensou em adotar a estratégia por meio da bolsa de valores brasileira, a B3? Isso é possível por meio dos BDRs, como o BXTC39.

No entanto, muitos investidores não conhecem a alternativa ou não sabem como ela funciona. Por isso, é importante entender mais sobre essa oportunidade para definir se ela é adequada para o seu portfólio e garantir melhores decisões.

Quer aprender tudo? Então continue a leitura e saiba mais sobre o BXTC39, um BDR que pode ampliar as oportunidades da sua carteira!

O que é BDR?

Antes de aprender sobre o BXTC39, é preciso entender o que é BDR. A sigla se refere ao brazilian depositary receipt, ou certificado de depósito de valores mobiliários, em português. Por meio dele, o investidor tem exposição aos ativos internacionais, que podem ser ações, ETFs, títulos de dívida etc.

Para tanto, uma instituição depositária adquire os ativos no exterior e segue os requisitos exigidos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Assim, ela consegue lançar os certificados no Brasil, possibilitando a sua negociação por meio da B3.

O que significa ETF?

Já a sigla ETF trata dos exchange traded funds, ou fundos de índice. Eles são uma modalidade de investimento coletiva, que tem a figura de um gestor profissional, responsável pela alocação dos recursos, e dos cotistas — os investidores.

A estratégia dos ETFs é focada em espelhar um índice do mercado financeiro nacional ou internacional. Desse modo, ele replica a carteira teórica do indicador, acompanhando os seus resultados.

Nesse caso, o fundo tem uma gestão passiva. Isso porque o gestor não tem o objetivo de superar o benchmark. Na prática, a característica pode trazer custos menores na taxa de administração quando comparada a outros fundos.

Como funciona o BXTC39?

Você já sabe o que é BDR e o que é ETF. Logo, pode entender melhor o que é e como funciona o BXTC39. Esse é um BDR lastreado no ETF iShares Exponential Technologies. Ele foi disponibilizado pela BlackRock, uma das maiores gestoras globais de ativos.

Saiba mais!

Data de lançamento

O BDR foi lançado na bolsa em 30 de abril de 2020. Na data, a BlackRock, em parceria com o Banco B3, disponibilizou 26 BDRs de ETFs. Já em relação ao ETF replicado, o seu lançamento aconteceu em março de 2015 e as suas cotas são negociadas na NASDAQ, uma das bolsas de valores americanas.

ETF replicado pelo BXTC39

Como visto, o BXTC39 espelha o ETF iShares Exponential Technologies. Ele é focado em empresas consideradas líderes de inovação que compõem o índice Exponential Technologies, da MorningStar. Mas como funciona esse índice?


Ele foi criado pela equipe de Equity Research da Morningstar com base em critérios específicos. Para isso, eles selecionaram ações de companhias que podem trazer benefícios econômicos significativos como usuários ou produtores de tecnologias promissoras.

Assim, a carteira do fundo conta com ações de empresas que criam o novo mercado. Vale saber que o índice foi lançado em dezembro de 2014, mas representa o desempenho obtido pelas ações desde dezembro de 2013.

Ao longo do tempo, ele passou por rebalanceamentos para atualizar a composição da carteira do fundo conforme os critérios do índice. Em julho de 2021, por exemplo, o ETF possuía diversas grandes empresas do setor de tecnologia em seu portfólio, como:

  • Dell;
  • Alphabet;
  • Nvidia;
  • HP;
  • Nokia;
  • Facebook;
  • Siemens;
  • Apple;
  • Tesla;
  • Intel;
  • Amazon;
  • entre outras.

Quais são as vantagens e os riscos de investir em BDR?

Após aprender sobre o que é o BXTC39, assim como o conceito de BDR e de ETF, vale a pena conhecer as vantagens desse investimento. De modo geral, o investimento nos certificados de depósitos de valores mobiliários tem como benefício a exposição internacional do seu capital.

Isso tudo com maior praticidade, já que o investimento é feito pela B3 e em reais, sem exigir abrir conta no exterior ou realizar o câmbio. Outro benefício é a diversificação. O BXTC39, por exemplo, permite se expor a outros mercados e a diversos ativos que compõem o ETF.

Contudo, também existem riscos envolvidos. Um dos principais é o de mercado, relacionado às oscilações nos preços dos ativos pelas movimentações na bolsa de valores. Também há o risco de liquidez, que se relaciona com a facilidade na conversão dos ativos em dinheiro.


Por fim, a exposição cambial também envolve riscos. Afinal, as variações do dólar podem afetar a performance do BDR.

Como investir nessa alternativa?

Antes de investir nessa alternativa, é preciso avaliar se ela está alinhada ao seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Lembre-se de que ela apresenta riscos comuns da renda variável, então pode não se alinhar ao seu nível de tolerância ao risco.

Além disso, os investimentos em BDRs e ETFs tendem a ser mais adequados para objetivos de longo prazo. Afinal, a medida ajuda a reduzir os impactos que oscilações da bolsa podem trazer para os aportes.

Caso entenda que essa alternativa se alinha à sua carteira, vale saber como fazer o aporte. Para isso, é preciso ter conta em um banco de investimentos. Com ela, você terá acesso ao home broker — uma plataforma que permite fazer negociações na bolsa.

Depois, localize o ativo pesquisando o ticker (BXTC39, por exemplo), insira o preço que você está disposto a pagar e o número de BDRs que deseja adquirir. Na sequência, emita a ordem de compra. Após a conclusão da negociação, basta aguardar o prazo de liquidação para que os certificados componham a sua carteira.

Se surgirem dúvidas sobre os BDRs ou outras alternativas do mercado, você pode contar com o suporte de uma assessoria de investimentos. Os profissionais podem apresentar e esclarecer o funcionamento de diferentes investimentos, proporcionando mais segurança para suas decisões.

Conseguiu entender como funciona o BXTC39? Agora que você conhece essa alternativa, avalie se ela se alinha às suas necessidades. E, se ficar com alguma dúvida, procure uma assessoria de investimentos. Assim você poderá fazer escolhas mais alinhadas para o seu portfólio.

Gostou do conteúdo? Se você ainda tem questionamentos sobre o assunto, entre em contato conosco!