Muitos investidores brasileiros acreditam que investir no exterior envolve altos custos. No entanto, essa realidade foi alterada quando a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) permitiu a negociação de diversos BDRs ao investidor comum na B3, a bolsa brasileira. O BIEV39 está entre eles.

Assim, quem tem interesse em investir fora do Brasil — sem precisar se vincular a uma bolsa estrangeira e fazer câmbio — conta com mais alternativas. Dessa forma, há maior praticidade para se expor a outros mercados.

Neste artigo, você verá o que é o BIEV39, e como funciona esse BDR do ETF iShares Europe. Acompanhe!

O que é um BDR?

Primeiro, é importante saber o que é um BDR. A sigla significa brazilian depositary receipts, ou certificado de depósito de valores mobiliários, em português. Assim, trata-se de um veículo de investimento de renda variável disponível na B3.

Nesse caso, o certificado é atrelado a um ativo financeiro que não é negociado diretamente no mercado nacional. Por exemplo, ele pode ser lastreado em ações, títulos de dívida ou exchange traded fund (ETFs) do exterior.

Ele funciona assim: inicialmente uma instituição depositária adquire investimentos nos mercados estrangeiros. Posteriormente, ela os coloca sob custódia e recebe autorização para emitir os BDRs lastreados neles — que passam a ser negociados na bolsa brasileira.

No passado, o lastro era restrito às ações internacionais. Porém, desde o final de 2020, a CVM passou a autorizar que os BDRs pudessem estar atrelados a outros ativos. Isso ampliou as possibilidades de o brasileiro acessar alternativas de investimento de diversos lugares do mundo.

Aliás, como forma de segurança para o investidor brasileiro, os investimentos que lastreiam os BDRs ficam bloqueados em um agente de custódia. Isso significa que não podem ser vendidos — ou seja, apenas os BDRs poderão ser objeto de negociação.

Nesse contexto, investir em BDRs permitirá que o interessado invista no exterior sem precisar sair do país. Além disso, é possível buscar ganhos com a valorização dos preços e com eventuais proventos, caso haja sua distribuição. Ainda, há exposição cambial — que pode afetar os preços de negociação.

O que é um de ETF?

Considerando que o BIEV39 é um BDR de um ETF, também é importante entender como funcionam os ETFs. Também conhecidos como fundos de índices, eles são fundos de investimento que têm o objetivo principal de espelhar a performance de um índice de mercado (benchmark).

Do mesmo modo que outros tipos de fundo de investimento, o ETF conta com a figura de um gestor profissional. Ele fica responsável por escolher os investimentos que serão feitos com o patrimônio do fundo, seguindo a estratégia específica.

Vale destacar que a gestão é passiva nos ETFs. Portanto, o gestor precisará seguir os critérios de investimento do benchmark escolhido, visando replicá-lo.

O que é o BIEV39 e quando ele surgiu?

Agora que você já sabe o que é um BDR e um ETF, conseguirá entender melhor o BIEV39 e seu funcionamento. Ele trata do ticker de negociação referente ao BDR do ETF iShares Europe, disponível na B3.

O BIEV39 começou a ser negociado na bolsa brasileira em maio de 2021. Na época, ele foi disponibilizado apenas para investidores qualificados — aqueles com mais de R$ 1 milhão investidos ou que possuam certificações do mercado financeiro.

Contudo, desde junho de 2021 ele entrou na lista dos BDRs que tiveram autorização da CVM para ser negociados por qualquer tipo de investidor.

Quer saber mais sobre ele? Conheça as principais característica do BIEV39:

Em qual ETF o BIEV39 está lastreado?

Como visto acima, o BIEV39 possui lastro no ETF iShares Europe. Esse ETF, por sua vez, existe desde 25 de julho de 2000, sendo negociado na NYSE Arca, uma das bolsas de valores dos Estados Unidos. O índice replicado é o S&P Europe 350 (Standard and Poor’s Europe 350).

Qual é a composição do ETF iShares Europe?

Considerando que o ETF acompanha o desempenho do S&P Europe 350, ele é composto por diversas ações que estão incluídas nesse benchmark. Assim, fazem parte do ETF cerca de 350 ações de companhias europeias mais negociadas, como Nestlé, Siemens, Unilever, entre outras.

Quem administra esse ETF?

A gestão do ETF iShares Europe é feita pela empresa BlackRock Inc., a mesma que emite o BDR BIEV39. Trata-se de uma companhia norte-americana originada em 1998, sendo considerada uma das maiores gestoras do mundo. Porém, a sua atuação no mercado brasileiro teve início em 2008.

Quais as vantagens de escolher BDRs de ETFs?

Depois de conhecer mais a respeito do BIEV39, talvez você esteja se perguntando quais as vantagens de escolher um BDR de ETF. Confira as principais!

Acessibilidade

Uma das principais vantagens de investir em BDRs de ETFs é a acessibilidade. Como visto, aquele que quer expor seu capital a investimentos estrangeiros não precisa se vincular a um mercado internacional ou fazer câmbio. Basta investir em BDRs diretamente na bolsa de valores brasileira.

Diversificação

Investir em BDRs de ETFs também auxilia na diversificação de sua carteira de investimentos. Isso porque os fundos de índice costumam ser compostos por múltiplos ativos. Nesse sentido, a partir da aquisição de uma única cota você já terá participação em todo o portfólio do ETF.

Proteção cambial

Esse tipo de investimento também conta com a vantagem de estar protegido contra variação cambial. O motivo está no fato de que os ETFs que lastreiam os BDRs são negociados em moedas estrangeiras — muitas vezes em dólar, fazendo com que a sua carteira fique dolarizada.

Exposição a grandes empresas internacionais

Nem sempre no mercado nacional é possível investir diretamente em grandes empresas estrangerias. Afinal, diversas companhias não têm interesse em abrir capital no Brasil. Portanto, investir em BDRs de ETFs abre essa possibilidade ao investidor.

Ao escolher o BIEV39, por exemplo, o interessado estará com o capital exposto a grandes empresas internacionais como a Nestlé, AstraZeneca, Nokia e muitas outras. Porém, lembre-se de que a escolha de investimento é particular e deve ser tomada com base em seu perfil e objetivos.

Conclusão

Como você viu, o BIEV39 é um BDR do ETF iShares Europe atrelado a um benchmark com 350 ações de empresas europeias. Caso entenda que é um investimento que faz sentido para você, não deixe de analisar também outras alternativas disponíveis no mercado para fazer as melhores escolhas.

Quer conhecer melhor essa e outras alternativas de investimento? Entre em contato com nossa equipe! Temos assessores preparados para esclarecer suas dúvidas.