Renova Invest Facebook

Aave (AAVE): O que é e como funciona esse Token

Aave (AAVE)
Aave (AAVE)

O token Aave é oriundo do protocolo de mesmo nome que faz parte do sistema de finanças descentralizadas (DeFi). Ele tem o objetivo de ajudar os usuários que desejam obter criptomoedas emprestadas e tem chamado a atenção dos investidores.

Afinal, quem empresta os criptoativos recebe rendimento pelo empréstimo. Além disso, o Aave permite a utilização de outras estratégias para obtenção de lucro. Sendo assim, o investidor que deseja aumentar sua rentabilidade pode querer entender como funciona esse mecanismo.

Neste conteúdo, você entenderá o que é o protocolo e o token Aave e saberá como investir nesse ativo de maneira segura. Confira!

O que é protocolo Aave?

Para começar, é importante saber que Aave é um protocolo de empréstimo descentralizado. Assim, ele possibilita que os usuários emprestem ou tomem empréstimos de criptomoedas, sem recorrer a um intermediário centralizado.

Com isso, o Avee possibilita que o tomador consiga rapidamente as criptomoedas necessárias para uma transação utilizando suas criptomoedas como garantia. Além disso, o protocolo possibilita que o credor obtenha rendimentos com a operação.

O Aave foi criado, especialmente, para suprir a demanda do mercado por empréstimos descentralizados de criptomoedas. A partir dele, os traders (especuladores), por exemplo, podem utilizar o crédito para alavancar as suas posições e buscar lucros mais expressivos.

Ademais, entre as vantagens do Aave, está a possibilidade de obter a criptomoeda moeda que você precisa, sem precisar vender a que está na sua carteira. Desse modo, ele pode ser considerado também um mercado de liquidez.

Outro benefício é que o tomador evita a tributação de compra e venda do ativo. Ainda, o protocolo pode ser usado para estratégia de arbitragem — na qual o especulador toma empréstimo de determinada moeda e a vende por um preço mais alto.

Então ele devolve o valor original e obtém o seu lucro a partir da diferença entre a quantia acertada no empréstimo e aquela recebida pela venda.

Como ele funciona?

Após saber o que é o Aave, chegou o momento de entender o seu funcionamento. Como você viu, com esse protocolo é possível pedir criptomoedas emprestadas, assim como emprestar as suas criptomoedas para os interessados.

O Aave consegue operar por conta dos pools de liquidez. Esses são grupos de criptomoedas inseridas no protocolo por meio dos usuários que desejam emprestar seus ativos. Em troca, os provedores de liquidez recebem os juros gerados cada vez que suas moedas digitais são emprestadas.

Na prática, a taxa de juros cobrada depende do nível de utilização de ativos de um pool. Se a utilização estiver em alta, restando poucos ativos, os juros serão maiores. Assim, essa dinâmica é uma forma de incentivo para que os usuários queiram emprestar suas criptomoedas.

Em contrapartida, se a utilização de um pool for baixa, os juros são reduzidos para atrair mais tomadores de empréstimos. Vale destacar que os pools no Aave suportam diversas moedas, como ether, binance e chainlink. Logo, o protocolo tende a apresentar uma alta de liquidez.

Em maio de 2022, por exemplo, as carteiras do Aave apresentavam 1,8 trilhão de dólares de liquidez. Ademais, para que o processo aconteça de forma segura, há contratos inteligentes e autoexecutáveis programados na rede ethereum.

Qual é a história do Aave?

Aprendendo mais sobre o Aave, é possível que você tenha curiosidade em saber como surgiu esse protocolo. Ele foi criado em 2017 pelo desenvolvedor Stanu Kulechov, com objetivo de mudar o sistema financeiro tradicional, utilizando o potencial da rede ethereum.

A princípio, o Aave se chamava ETHLend e funcionava de forma diferente do modelo atual. Na época, os usuários deveriam fazer empréstimos de criptomoedas com negociação direta entre eles.

Assim, tanto quem emprestava quanto quem tomava precisava divulgar as ofertas e solicitações de empréstimo. Como mercado em baixa, em 2018, a plataforma e seu token LEND sofreram com a baixa liquidez.

Isso porque havia dificuldade de encontrar solicitações e ofertas correspondentes. Então os desenvolvedores do protocolo reformularam o projeto — lançando o Aave, que atua como um mercado monetário algorítmico.


Como funciona o token Aave?

O protocolo Aave apresenta seu token nativo, o Aave — que é um token de governança. Dessa maneira, ele permite que os proprietários tenham poder de decisão sobre o sistema por meio do voto.

Além disso, o Aave é um token de utilidade, oferecendo desconto nas taxas de juros de empréstimo aos usuários que o enviam para os pools como garantia. O token também possibilita que o proprietário tenha prioridade para colocar seus criptoativos disponíveis para empréstimos.

Em relação à sua estrutura, o Aave é construído com base no padrão ERC-20 da ethereum. Ademais, eles são projetados para serem deflacionários. Isso significa que o número de tokens em circulação seguirá o limite preestabelecido, mesmo que a demanda aumente.

Vale a pena investir em Aave?

Depois de conhecer o protocolo Aave e o seu token, é preciso saber se vale a pena investir na alternativa. Na prática, a resposta é individual, pois há fatores pessoais que devem ser considerados para fazer essa avaliação.

Primeiramente, você deve saber qual é o seu perfil de investidor para descobrir o seu nível de tolerância aos riscos. Geralmente, os criptoativos costumam ser mais bem tolerados pelos perfis arrojados, que suportam maiores riscos em busca de melhores rendimentos.

Ainda, é importante definir os seus objetivos com o dinheiro a investir. Isso ajuda a compreender se a alternativa se encaixa em sua meta e horizonte de investimentos. Portanto, você deve verificar se o token Aave está alinhado à sua estratégia.

Como investir no mercado de criptomoedas de maneira segura?

Após saber analisar os fatores para descobrir se investir em Aave vale a pena, é interessante entender como investir no mercado cripto de maneira segura. Afinal, o investimento direto em criptoativos não é regulamentado no Brasil.

Desse modo, realizar a compra direta de ativos digitais pode representar riscos por não ter um agente regulador dessa operação. Felizmente, há outras maneiras de investir em criptoativos com regulação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

É o caso dos fundos de criptoativos e os ETFs de criptoativos — que são modalidades de investimento coletivo. Esses veículos financeiros alocam capital em alternativas do mercado cripto. Assim, o investidor pode se expor ao portfólio montado por um gestor profissional.

Neste artigo, você entendeu o que é o token Aave e como funciona o protocolo de empréstimo descentralizado. Se você se interessou em investir nesse criptoativo, não deixe de considerar as dicas para ajudar a identificar se o investimento vale a pena para a sua estratégia.

Quer continuar bem informado sobre o mercado financeiro? Nos siga nas redes sociais! Estamos no Facebook, LinkedIn, Instagram e Telegram!

 

 

Veja também

botão de concordância

0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.