3 Riscos de investir em FIP que você deve considerar

3 Riscos de investir em FIP que você deve considerar

Os Fundos de Investimento em Participação são um tipo bastante específico de fundo de investimento. Eles focam na participação em empresas, geralmente de capital fechado. O portfólio dos FIPs costuma ser composto por ações, debêntures ou sociedade limitada.

Apesar de apresentarem perspectivas interessantes de lucro, também existem significativos riscos de investir em FIP. Quer saber mais sobre eles?

Neste artigo, trouxemos 3 riscos de investir em FIP que você deve considerar antes de optar por esta modalidade de investimento. Acompanhe!

Para quem o FIP é indicado?

Antes de conhecer os principais riscos de investir em FIP, vale a pena entender melhor como um FIP funciona e para qual perfil de investidor esta modalidade pode ser mais adequada.

Como falamos, o foco de fundos deste tipo é a participação na sociedade de empresas –normalmente, aquelas de menor porte. O objetivo do fundo é se tornar sócio de companhias pequenas ou médias e ajudá-las a crescer.

A evolução se dá não apenas com o aporte de capital dos investidores, mas também com o trabalho da gestão do fundo. Desse modo, o FIP não injeta somente dinheiro. Ele vai além.

Como o fundo se torna um sócio, os gestores do FIP passam a trabalhar para que a empresa na qual investiram seja administrada de forma mais eficiente. O objetivo é levar a empresa a valer muito mais do que antes do aporte do FIP.

Com o tempo, o lucro dos investidores tende a se dar na valorização da companhia. A dissolução do FIP pode acontecer com a venda da participação ou mesmo com a abertura de um IPO na bolsa de valores.

Depois de conhecer os detalhes do Fundo de Investimento em Participações, é possível perceber que se trata de algo complexo, certo? Por isso, o FIP está restrito ao acesso de investidores qualificados.

Um investidor qualificado é aquele que tem mais de 1 milhão de reais para investir ou que apresente qualificação profissional na área de investimentos, a partir das certificações

3 riscos de investir em FIP

Investir por meio de FIPs pode ser bastante vantajoso para grandes investidores ou empresas. Quando bem sucedido, o fundo consegue levar uma pequena ou média empresa a crescer significativamente – gerando muito lucro aos investidores.

Contudo, os resultados estão expostos a diversos fatores relevantes, relacionados ao mercado, à gestão, etc. Assim, a grande expectativa de ganhos está relacionada também a riscos correspondentes.

Conheça a seguir 3 dos principais riscos de investir em FIP que você deve conhecer:

1. Risco de mercado

Basicamente, o FIP funciona como um investimento direto em uma empresa. Ou seja, os rendimentos do fundo dependem dos bons resultados obtidos pelo negócio ao longo do tempo.

Mas é preciso lembrar que ele investe, preferencialmente, em companhias menores.

Diferente do que fazem muitos investidores na bolsa de valores, que buscam comprar ações de empresas sólidas no mercado, o FIP se expõe a riscos mais significativos. Afinal, negócios pequenos podem enfrentar muita dificuldade em sua evolução.

Logo, um dos maiores riscos relacionados ao fundo de participações é o da gestão não obter sucesso no desenvolvimento da empresa. Se o negócio não conseguir alavancar os lucros – ou mesmo vier à falência, haverá prejuízo para os cotistas.

2. Riscos econômicos

Além do perigo relacionado à má gestão ou aos desafios específicos da empresa, existem também os riscos macroeconômicos. Ou seja, aqueles que estão relacionados às dificuldades da economia regional, nacional ou mesmo mundial.

Geralmente, empresas menores estão mais vulneráveis diante de crises econômicas. Com isso, os riscos para quem investe em FIP aumentam em períodos de instabilidade.

Além disso, em cenários de retração econômica, torna-se difícil conquistar o crescimento desejado no negócio.

3. Risco de liquidez

Mais um elemento que deve ser considerado por quem pensa em investir em FIPs é a liquidez. Como mostramos, os fundos desse tipo apresentam um funcionamento complexo, uma vez que envolvem a participação na gestão de uma empresa.

É de se esperar, portanto, que não sejam fundos líquidos no mercado. Isto é, a negociação das cotas do FIP não costuma se dar com agilidade caso haja necessidade de transformar o investimento em dinheiro.

Normalmente, trata-se de fundos fechados, nos quais o capital investido só pode ser resgatado em um período previamente estipulado. E, pelo caráter do investimento, os períodos geralmente são de longo prazo – por exemplo, 5 ou 10 anos.

Até mesmo os FIPs que autorizam a negociação de cotas dentro deste período têm liquidez menor, já que menos investidores estão capacitados ou interessados em investir neles.

Como escolher um FIP?

Após saber o que é um FIP, para quem ele é indicado e quais são os principais riscos envolvidos, há alguns detalhes que lhe ajudam a decidir por investir ou não em um Fundo de Participações.

Veja o que considerar antes de escolher um FIP para investir:

Seu perfil e objetivos

O primeiro passo para escolher um FIP é ter clareza sobre qual é o seu perfil de investidor e quais objetivos você tem para o dinheiro que pretende investir.

Ao considerar os riscos e o prazo de investimentos, fica mais evidente que se trata de uma alternativa para investidores arrojados.

Assim, é importante avaliar sua disponibilidade para correr maiores riscos. Além disso, lembre-se de que se trata de uma opção para investidores qualificados. Avalie seus objetivos e o montante disponível para investimento antes de se comprometer no longo prazo.

Gestão

Outro ponto essencial para analisar ao escolher um FIP é a gestão. Podemos dizer, inclusive, que ela é a principal característica de um fundo desse tipo.

Afinal, os gestores têm a função não apenas de organizar o investimento, mas também de participar da administração da empresa na qual o FIP investe.

Sendo assim, a gestão do FIP é uma das responsáveis diretas pelos resultados que podem ser obtidos com o investimento. Não deixe de levar em consideração a qualidade dos gestores, os critérios que eles seguem e a transparência na comunicação do fundo.

Portfólio do FIP

Por fim, os investidores devem ficar atentos à carteira formada pelo FIP. Eles podem investir em ações, debêntures, bônus de subscrição e títulos permutáveis em ações de companhias de capital aberto ou fechado — além de adquirir cotas de outros FIPs.

É fundamental que você conheça os detalhes do fundo antes de investir. Avalie o portfólio e, se possível, conheça as características dos negócios nos quais o fundo investe. Esses cuidados trazem mais segurança às suas decisões de investimento.

Neste post você pode conhecer mais sobre os Fundos de Investimentos em Participações e os 3 principais riscos de investir em FIP.

E se depois de considerar os riscos deste investimento você acredita que os Fundos em Participações são para você, entre em contato conosco!

Contar com ajuda profissional para embasar suas decisões é muito importante. Então conte com a Renova Invest para conhecer as melhores opções de investimento para o seu perfil. Clique aqui e fale conosco.

 

Deixe uma resposta