Renova Invest Facebook

XMAL11: conheça o ETF de Small Caps da B3!

Os ETFs são investimentos que permitem a exposição a diversos mercados a partir dos resultados obtidos por uma gestão profissional. Para quem se interessa por empresas de menor capitalização, pode ser interessante conhecer o XMAL11.

Esse é um ETF disponível na bolsa de valores brasileira, a B3. Conhecendo seu funcionamento, carteira e o mercado ao qual ele se expõe, é possível analisar se esse investimento faz sentido para sua estratégia. Ademais, você pode pesar riscos e vantagens para tomar uma decisão embasada.

Ficou interessado no XMAL11? Então acompanhe esse texto e aprenda mais sobre ele!

O que é e como funciona um ETF?

Antes de conhecer o XMAL11, você precisa saber o que é um ETF e como esse veículo de investimento funciona. Essa é a sigla para exchange traded fund, também conhecido como fundo de índice.

Logo, o ETF é um tipo de fundo de investimento. Dessa maneira, o patrimônio do veículo é composto pelos recursos de diversos investidores e investe em títulos ou ativos conforme regras determinadas no momento de sua criação.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

A carteira do ETF é administrada por um gestor profissional, responsável por efetuar as negociações necessárias para atingir os objetivos propostos. Já os investidores que desejam participar dos resultados devem comprar cotas — que representam uma fração ideal do patrimônio.

Assim, ao investir na modalidade, o investidor se expõe a todos os investimentos da carteira do fundo e o preço das cotas varia conforme as movimentações do patrimônio. Mas vale ressaltar que as cotas dos ETFs são negociadas em bolsa, então a cotação também sofre influência da oferta e demanda.

Outra característica essencial dos ETFs é que eles têm o objetivo principal de espelhar os resultados de um índice financeiro. Desse modo, o gestor busca montar um portfólio igual ao do indicador.

O que é e como funciona o XMAL11?

Agora que você já sabe que os ETFs são fundos de investimento que espelham resultados de um índice de mercado, já pode conhecer o XMAL11. Esse é o ticker que identifica o ETF chamado Trend ETF Small Caps Fundo de Índice.

Suas cotas são negociadas na bolsa de valores brasileira e o objetivo do XMAL11 é seguir os resultados do índice chamado de Small Caps, que é calculado pela própria B3. Logo, a carteira do fundo está relacionada às empresas de baixa capitalização na bolsa.


O XMAL11 foi lançado no dia 16 de julho de 2021. Nessa data, foram emitidas as primeiras cotas — e os investidores interessados fizeram aportes para compor o patrimônio do fundo. Depois disso, as cotas passaram a ser negociadas entre investidores no mercado secundário.

Quais são as principais características do XMAL11?

Após saber o que é o XMAL11, é necessário entender quais são as principais características desse ETF. Confira a seguir:

Índice-alvo

A primeira informação relevante sobre o XMAL11 é o índice que ele segue. Afinal, os resultados dos cotistas seguem essa referência. Nesse contexto, você já viu que o indicador-alvo é o Small Caps, calculado pela B3.

Esse índice mede os resultados de uma carteira teórica composta por ações negociadas na bolsa brasileira. Seu ponto principal é o foco em empresas que têm menor capitalização. Ou seja, as maiores companhias da bolsa não são incluídas no índice.

Para compor essa carteira teórica, a B3 criou uma metodologia que considera o índice de negociabilidade, a liquidez e a capitalização de cada empresa. Então é possível medir resultados de companhias relativamente menores.

Por ainda não serem consolidadas no mercado, as small caps possuem mais potencial de crescimento por meio de expansão e conquista de público. Por isso, elas costumam ter mais riscos, mas também maior expectativa de retorno em relação à valorização das ações.

Composição da carteira

Você já viu qual é o índice que o XMAL11 busca replicar, então é preciso compreender a composição de sua carteira. Para conseguir esse espelhamento, o ETF investe nas mesmas ações que estão presentes na carteira teórica do índice.

Ainda, ele segue as proporções propostas pela metodologia da B3, além de rebalancear a carteira conforme as movimentações do próprio índice. Dessa maneira, o XMAL11 consegue ter resultados muito próximos do índice Small Caps.

Administração e gestão

Outra informação importante a respeito do XMAL11 diz respeito a quem é responsável pela administração e gestão da carteira. Nesse contexto, a instituição administradora do ETF é o Banco BNP Paribas Brasil SA.

Já o gestor profissional responsável por realizar todas as negociações com os ativos é a XP Allocation Asset Management LTDA.

Quais são as vantagens e riscos de investir em ETF?

Ao chegar até aqui, você deve estar interessado em conhecer as vantagens e riscos de investir no XMAL11, não é mesmo? Conhecer essas questões é necessário para pautar suas decisões de investimento e avaliar o veículo.

Veja os principais pontos:

Vantagens

A principal vantagem de investir em um ETF é poder se expor a uma carteira diversificada por meio da compra de apenas uma cota. Imagine que você avaliou as alternativas de ações e decidiu que, conforme seus objetivos, tem interesse nas empresas com menor capitalização.

Para montar uma carteira diversificada, você precisaria selecionar as ações de empresas menores, fazer aportes individuais em cada uma e conferir os resultados de todas periodicamente. Ainda, seria preciso avaliar se é necessário fazer rebalanceamentos ao longo do tempo.

Com um ETF, você pode acompanhar o desempenho médio do mercado de small caps de forma simples e prática. Além disso, há a vantagem de ter o gestor profissional para realizar os investimentos e rebalanceamentos necessários.


Riscos

Apesar das vantagens, você também precisa considerar os riscos do investimento em XMAL11. Nesse contexto, as small caps são ações que tendem a ser mais voláteis, pois possuem menor capitalização e liquidez.

Desse modo, as oscilações nos preços dos papéis podem ser bastante altas em comparação às ações de companhias maiores. Nesse contexto, o preço das cotas dos ETFs também passa por mais oscilações. Logo, avalie se o seu perfil de investidor tem abertura para esse risco.

Também é preciso definir objetivos financeiros claros é fundamental para embasar esse investimento. Assim, você saberá se vale a pena investir na alternativa de acordo com suas características e expectativas em relação ao mercado.

Entendeu o que é o XMAL11 e como ele funciona? Conhecendo os ETFs e as alternativas disponíveis você poderá avaliar as opções para definir investimentos adequados para a sua estratégia. Caso tenha interesse nele, é possível adquirir as cotas na B3 por meio da conta em um banco de investimentos.

Quer entender melhor como os ETFs funcionam? Então conte com a assessoria da Renova Invest!

 

 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.