Muitas pessoas já conhecem a importância de investir dinheiro, mas não sabem onde fazer isso. É o seu caso? Saiba que existem muitas opções para diferentes perfis e metas. O primeiro passo para começar é conhecer o que o mercado oferece.

Nesse sentido, é importante destacar que a prática nem sempre tem o foco em obter a maior rentabilidade. Ela também pode servir para proteger o dinheiro da desvalorização da moeda, manter a reserva financeira em um local seguro, entre outras finalidades.

Quer saber mais? Neste artigo, você verá informações importantes para quem pretende começar a investir e 6 alternativas que valem a pena conhecer.

Vamos lá?

O que é preciso saber antes de começar a investir?

Se você decidiu começar a investir, ótimo! Essa é uma escolha importante para obter benefícios em sua vida financeira. Mas, antes de começar, é preciso conhecer algumas informações. A primeira delas é o conceito de perfil de investidor.

Existem três perfis de investidor: conservador, moderado e arrojado (ou agressivo). Ele avalia como cada pessoa lida com as variações do mercado financeiro e ajuda a entender suas preferências para encontrar os melhores investimentos.

Além de altamente recomendado, fazer o teste para saber qual é o seu perfil é uma exigência da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para realizar os aportes. Por isso, toda instituição financeira, como banco de investimentos, aplica um questionário com os clientes.

Além do perfil, é importante refletir sobre os seus objetivos, pois eles são outro indicativo das opções mais adequadas para você. Ciente dessas informações é possível realizar um bom planejamento financeiro para que os aportes sejam regulares.

Considere, ainda, a diversificação das suas escolhas. Quando você faz aportes financeiros, não precisa se limitar a apenas uma alternativa. Para descobrir onde investir dinheiro, é preciso conhecer o mercado e as oportunidades que oferece.

Como são muitos os tipos disponíveis, eles podem ter benefícios distintos. Então ter uma carteira diversificada ajuda a aproveitar vantagens e diluir riscos. A ideia é distribuir seu dinheiro entre as alternativas que fazem mais sentido.

6 Alternativas para investir dinheiro

Agora que você já entendeu o que precisa saber antes de investir, pode conferir as alternativas de investimentos. Primeiramente, é preciso compreender que existem duas grandes classes: a renda fixa e a renda variável.

A renda fixa oferece maior previsibilidade quanto à rentabilidade, pois o investidor sabe como a remuneração acontecerá. Isso porque ela funciona como um empréstimo ao emissor. Assim, costuma apresentar menos riscos.

Já na renda variável não se pode prever como a remuneração ocorrerá, sendo uma classe mais arriscada. O resultado dela depende do desempenho do investimento e é possível resgatar um valor maior ou menor em relação ao aporte — mas o potencial de ganhos é maior que na renda fixa.

Conheça alguns tipos de investimentos das duas classes!

  1. Títulos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é a plataforma do Governo Federal em que são negociados os títulos públicos do Tesouro Nacional. Eles fazem parte da renda fixa e são os investimentos mais seguros do mercado.

Há 3 opções de títulos:

  • Tesouro Selic — rendimento pós-fixado que segue a taxa Selic;
  • Tesouro prefixado — rende uma taxa fixa;
  • Tesouro IPCA — rende uma taxa fixa acrescida da inflação.
  1. Certificados de depósito bancário (CDBs)

Os CDBs fazem parte dos títulos privados da renda fixa. Eles são emitidos por bancos e instituições financeiras. Por isso, não têm tanta segurança quanto o Tesouro, mas apresentam cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Assim como os títulos do Tesouro Direto, o CDB pode ter rentabilidade prefixada, pós-fixada ou híbrida. Ele também cobra Imposto de Renda, de acordo com a tabela regressiva da renda fixa. Os valores para aportes, a liquidez e prazos são variados.

  1. Letras de crédito (LCI e LCA)

Os títulos privados da renda fixa também podem ser letras de crédito imobiliário (LCIs) e letras de crédito do agronegócio (LCAs). Como os CDBs, elas podem ser bastante variadas e são cobertas pelo FGC.

No entanto, costumam ter valor do aporte mais alto, o que faz com que não sejam tão acessíveis quanto os CDBs e os títulos públicos. Como vantagem, a LCI e a LCA são isentas do Imposto de Renda para pessoas físicas.

  1. Debêntures

Ainda no grupo dos títulos privados da renda fixa, existem as debêntures — que podem ser tradicionais ou incentivadas. Elas são emitidas por empresas de diversos portes para viabilizar seus projetos.

Por envolverem maiores riscos e não terem a cobertura do FGC, elas têm o potencial de rendimento acima da média da classe. Para manejar os riscos, é importante priorizar empresas estáveis e sólidas no mercado.

Nas debêntures simples, incide o IR. No entanto, as debêntures incentivadas são um tipo de investimento isento do imposto. Essa categoria fomenta projetos de infraestrutura no país, realizados por empresas privadas. Por esse motivo, recebem o apoio do Governo Federal.

  1. Ações

No grupo da renda variável, as ações são os investimentos mais conhecidos. Elas representam o capital social de empresas. Logo, ao comprar uma ação o investidor se torna seu sócio e pode ter participação nos resultados — compartilhando também dos riscos do negócio.

A rentabilidade pode acontecer de duas formas principais: com a venda dos papéis com lucro ou com o recebimento de proventos. Por exemplo, os dividendos, juros sob o capital próprio (JPC), bonificações e bônus de subscrição.

As ações são negociadas na bolsa de valores (B3) e o retorno depende dos resultados da empresa emissora. Como envolvem maiores riscos, é importante avaliar o seu perfil de investidor e buscar maneiras de se resguardar — avaliando as empresas e diversificando, por exemplo.

  1. Fundos de investimentos

Por fim, vale a pena conhecer também os fundos de investimentos para decidir onde investir seu dinheiro. Eles podem ser de renda fixa ou de renda variável. Trata-se de investimentos coletivos, com um gestor profissional responsável por criar e administrar a carteira.

O mercado conta com opções de fundos de diversos objetivos. Portanto, pode ser uma alternativa para investidores de diferentes perfis e preferências.

Alguns exemplos de fundos são:

Como você viu, para saber onde investir dinheiro é fundamental conhecer as alternativas que o mercado oferece. As 6 opções que você conheceu se destacam, mas existem muitas outras que podem ajudar a alcançar seus objetivos. Não deixe de entender mais sobre elas!

Quer estudar mais sobre esse tema e desenvolver seus conhecimentos? Então descubra 5 livros de investimentos para quem quer começar a investir!

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!