Saber o que é Peercoin (PPC) pode interessar aos que buscam conhecer mais sobre criptomoedas. Afinal, esse criptoativo — que é inspirado no Bitcoin (BTC) — conta com algumas características especiais.

A primeira delas é o fato de ter introduzido o conceito de Prova de Propriedade no mercado de moedas digitais. O intuito dessa introdução é ganhar mais controle sobre a rede.

Além disso, o Peercoin caminha próximo do conceito de Prova de Trabalho. Ele, por sua vez, busca promover a justa repartição de moedas.

Quer saber ainda mais sobre o que é Peercoin e quais são suas particularidades? Acompanhe o conteúdo!

O que são criptomoedas e o que é o Bitcoin?

Para entender o que é Peercoin, é interessante retomar o conceito de criptomoeda e Bitcoin. As criptomoedas são moedas digitais. Elas funcionam de forma similar ao dólar ou ao real. Porém, sua existência está condicionada a ambientes tecnológicos, como a internet.

O Bitcoin é a moeda digital mais famosa entre as existentes. Ele é construído em meio ao sistema peer-to-peer.  Aqui no Brasil, esse termo é conhecido como ponto-a-ponto e remete às transações não intermediadas por instituições, como Bancos Centrais.

Desse modo, as transações realizadas por Bitcoin não passam por regulamentações Governamentais. Ainda assim, são importantes veículos de investimentos globais e são até mesmo aceitas como formas de pagamento em muitas transações comerciais.

O que é Peercoin?

Nesse sentido, o nome Peercoin pode trazer alguns insights. Afinal, acabamos de falar sobre peer-to-peer. Mas, qual a relação entre os dois conceitos? O Peercoin é chamado assim justamente por ser parte de uma transação entre pessoas — sem intermédios de terceiros.

Conforme apontado, seu código é baseado no Bitcoin, motivo pelo qual é interessante conhecer seu conceito. Porém, ele traz diferenças em relação à moeda digital mais famosa do mercado.

Quais as diferenças e semelhanças entre Peercoin e Bitcoin?

O Peercoin foi criado no final do ano 2012, baseado no BTC. Porém, seu principal objetivo era aliviar a grande quantidade de energia que era necessária para alimentar a rede Bitcoin.

Para isso, o PPC surgiu com uma abordagem híbrida no processo de mineração de moedas. Essa é a maior diferença entre ela e o BTC.

Já em termos de semelhanças, é possível apontar que o Peercoin usa da tecnologia blockchain para disponibilizar um livro público ao mercado, assim como o BTC. Essa tecnologia traz segurança às transações.

O livro disponibilizado por ela é transparente e de fácil acesso, além de manter os envolvidos nas trocas em anônimo. Por isso, muitas pessoas preferem usar as criptomoedas para enviar e receber dinheiro sem precisar depender de intermediários.

A primeira moeda que se tornou famosa nesse sentido foi o Bitcoin. Porém, uma vez que alguns desenvolvedores começaram a detectar problemas em sua estrutura, foram criadas as chamadas altcoins.

Sua proposta é trazer melhorias para o mercado de criptoativos em relação ao Bitcoin. O Peercoin é uma delas.

Como o Peercoin funciona na prática?

Como você viu, altcoins como o Peercoin podem trazer diferenciais aos entusiastas de criptomoedas. Um exemplo é a sua abordagem híbrida para a validação de blocos e criação de moedas.

Já em termos de funcionamento prático, o Peercoin pode ser representado por trocas dentro de uma rede de contatos. Para entender esse ponto, imagine ser possível trocar criptomoedas livremente, sem nenhum intermediário presente.

É isso que acontece por meio de moedas digitais como o PPC. Além disso, não há limites para a quantidade de Peercoins que podem ser gerados. Isso ocorre por meio de tempos médios de geração mais altos do que outras moedas, como o próprio Bitcoin.

Por fim, é interessante saber que não é possível comprar Peercoins “diretamente”, como você adquire Bitcoins, por exemplo. Isso porque, nessa hora, é preciso utilizar outra criptomoeda.

Vale a pena investir?

Ao se pensar em investimentos ou especulação com Peercoin é interessante ter em mente que investir em criptomoedas, em geral, está relacionado a altos riscos. O primeiro deles é o fato das moedas digitais não serem fiscalizadas diretamente.

No Brasil, elas não são regulamentadas. Assim, apesar de não haver proibição, não há instituições autorizadas negociando diretamente os ativos. Isso abre espaço para muitas empresas golpistas se aproveitarem de potenciais investidores.

Para evitar esse problema, é fundamental atentar à integridade da instituição antes de investir. Ainda em relação ao risco, é preciso entender a exposição à variação dos preços da criptomoeda. Se você não tem um perfil de investidor condizente com a volatilidade, pode não ser interessante operar com essas moedas.

Caso nenhum desses dois pontos represente um desafio para você, o investimento em criptomoedas pode ser uma possibilidade. Existem chances de que esse mercado cresça cada vez mais, trazendo oportunidades. Porém, é imprescindível avaliar os objetivos antes de tomar qualquer decisão.

Como investir em Peercoin?

Ao saber o que é Peercoin e quais benefícios ele pode trazer — especialmente em relação ao BTC, pode ser que você deseje saber mais sobre como investir nele. Depois de reconhecer os riscos, vale saber quais são as opções.

As operações com criptomoedas como o Peercoin podem ser realizadas de duas formas principais. Uma é a compra e venda direta, por meio das exchanges (não regulamentadas). Outra é através de fundos de investimentos (regulamentados, oferecendo maior segurança institucional).

Agora que você sabe o que é Peercoin e quais as principais vantagens que ela traz, será mais fácil tomar suas decisões. Nessa hora, lembre-se: é fundamental avaliar sua tolerância aos riscos e conhecer o mercado!

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário a seguir!

Quer saber mais sobre as moedas digitais que estão fazendo sucesso no mundo dos investimentos?

Baixe nosso e-book elaborado por especialistas Renova Invest