A proposta de funcionamento da maioria das criptomoedas busca descentralização, liberdade e segurança. Ao descobrir o que é Monero, você conhecerá um criptoativo que leva todos esses pontos a sério e oferece uma experiência diferenciada.

Antes de pensar em investir ou aproveitar essa oportunidade, é importante entender o funcionamento e as características específicas. Assim, você tem a chance de definir se a alternativa deve ou não fazer parte da sua carteira.

Neste artigo, você poderá explorar as principais qualidades da criptomoeda Monero e saberá até qual é sua relação com os hackers pelo mundo. Confira!

O que é Monero?

A Monero é uma moeda virtual que é conhecida pelo alto nível de privacidade e segurança que oferece. Ela foi criada em 2013, a partir de um novo protocolo chamado de CryptoNote.

A ideia da solução era trazer uma nova perspectiva para as transações ponto a ponto feitas com Bitcoin. Focado na criptografia, o protocolo passou a ser usado pela moeda conhecida como Bytecoin.

Porém, seu desenvolvimento não progrediu e, então, a estrutura de blockchain foi dividida. Foi assim que surgiu a Bitmonero, que depois se transformou apenas em Monero.

Como ela funciona?

As transações com Monero dependem da tecnologia de blockchain, que envolve registros de operações e criação de blocos, conforme ocorrem novas transferências. É um recurso que permite obter a descentralização que é comum a esse tipo de criptoativo.

No entanto, o blockchain na Monero não é tão público ou transparente como no Bitcoin, por exemplo. Por causa do uso dinâmico de chaves criptografadas, somente quem faz a transferência conhece seus detalhes.

Para entender seu funcionamento, também é preciso compreender como acontece a mineração de moedas. O processamento das transações utiliza o regime de consenso de proof-of-work (PoW) ou prova de trabalho.

Então, utilizam-se recursos computacionais para resolver problemas matemáticos completos e validar a operação. Os mineradores são remunerados pela tarefa, o que dá origem a novas moedas em circulação.

Quais são as principais vantagens da Monero?

Depois de saber o que é Monero, vale pensar em seus benefícios. Um dos pontos é que a moeda é conhecida por oferecer transações rápidas, seguras e com baixo custo. A exceção fica para a ocorrência de congestionamento, que pode aumentar um pouco os custos e o tempo.

A privacidade de dados também é uma prioridade e, com isso, pode atender às necessidades de quem espera estar totalmente anônimo. Como consequência, oferece mais flexibilidade, sem abandonar a segurança.

QUANTO VOCÊ TERIA HOJE SE TIVESSE COMPRADO UM BITCOIN HÁ 10 ANOS ATRÁS?

Esteja preparado para sua próxima chance Rendimento bitcoin

Esteja preparado para sua próxima chance Rendimento bitcoin

Além disso, ela está em constante desenvolvimento. Novas pesquisas têm sido feitas, em busca de aprimoramento quanto ao resultado.

Em relação ao mercado, uma das vantagens da Monero é o interesse crescente que ela tem atraído. Com mais gente negociando o criptoativo, seu preço aumenta e sua aceitação também passa a ser maior.

Quais são os riscos do criptoativo?

Pensando nos riscos da Monero enquanto criptomoeda, a volatilidade é o ponto que mais chama a atenção. Afinal, a moeda já sofreu quedas históricas, mas também já teve valorizações surpreendentes.

Sendo assim, é um investimento com pouca previsibilidade e que costuma ser mais adequado para quem tem um perfil arrojado.

Quais as diferenças da Monero para outras criptomoedas?

Um dos diferenciais da Monero é o fato do protocolo CryptoNote ter sido criado do zero, enquanto diversas outras moedas digitais são elaboradas com base no código do Bitcoin.

Também é importante destacar o seu nível de privacidade. As transferências são anônimas e não rastreáveis. Por isso, oferecem um nível de criptografia muito mais intenso.

Essa proteção de privacidade se deve ao uso de uma solução diferente das carteiras digitais. No caso, utilizam-se senhas que mudam a cada transação e que não são vinculadas à carteira para Monero.

Além de anonimizar o usuário que envia ou recebe a moeda digital, é possível ocultar todos os valores. Logo, nenhuma informação pode ser rastreada.

Na hora de minerar Monero, também há diferenças, em especial quanto ao Bitcoin. Isso porque não é preciso dispor de supercomputadores, sendo viável realizar a tarefa com equipamentos cotidianos.

Ainda em relação ao Bitcoin, a Monero tem um limite fixo de 18,4 milhões. Porém, ao contrário da criptomoeda pioneira no mercado, a Monero prevê a adição de novas moedas quando o limite for atingido, de modo a manter a remuneração por mineração.

Como comprar Monero?

Se, após saber o que é Monero, você decidir investir, saiba que é preciso começar buscando as exchanges do Brasil ou de outros países. Isso é importante porque a instituição permite adquirir e negociar criptoativos com segurança e praticidade.

Com a conta criada, basta transferir recursos para fazer a aquisição. A quantidade de Monero obtida dependerá do quanto você tem para aportar e qual é a cotação atual. Então, a moeda fará parte da sua carteira.

Se quiser vender em um momento de alta, por exemplo, basta realizar a negociação pela própria plataforma da exchange. O valor será creditado em sua conta e poderá ser retirado posteriormente.

Para obter a moeda, como visto, também é possível recorrer à mineração. No entanto, é um processo que tem se tornado mais disputado, diante do interesse crescente.

Uma alternativa mais segura para investir em moedas digitais é recorrer aos fundos de criptomoedas. Eles estão disponíveis no mercado brasileiro e possuem regulação para funcionar.

Qual a relação entre Monero e hackers?

As vantagens e os diferenciais da Monero — em especial, a capacidade de não ser rastreada — não chamou a atenção apenas de entusiastas e investidores. Quem atua fora da lei também começou a adotar essa criptomoeda, que passou a ser usada em situações hackers.

Como não é rastreável, a Monero costuma ser utilizada por pessoas que sequestram dados e exigem o pagamento de uma espécie de resgate.

Além disso, o uso de certos vírus permite transformar máquinas de terceiros em ferramentas de apoio para minerar Monero, tornando-as zumbis. No entanto, por ser descentralizada, a moeda não chegou a ser banida — mas passou a inspirar cuidados de autoridades.

Sabendo o que é Monero, você passa a conhecer uma das criptomoedas criptografadas, dando origem a transações que não são rastreáveis. Entretanto, antes de investir, considere suas características com cuidado para tomar boas decisões!

Para acompanhar as novidades e ter outras informações, confira nossas postagens no Facebook, Instagram, Youtube e LinkedIn!